sexta-feira, 30 de maio de 2014

Sessão Aurora apresenta A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau




Neste sábado, às 19h, a Sessão Aurora apresenta na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro A Garota de Lugar Nenhum, último filme do cultuado cineasta francês Jean-Claude Brisseau. Após a exibição, acontece um debate com os editores do Zinematógrafo. A entrada é franca. 

Em A Garota de Lugar Nenhum, a rotina solitária
 de Michel muda radicalmente quando Dora, uma jovem à deriva de 26 anos, chega para viver em seu apartamento. Mesmo incipiente, a relação traz frescor à vida do professor de matemática aposentado, que revisita sensações há tempos esquecidas. Enquanto isso, seu lar gradualmente se torna cenário de misteriosos acontecimentos. Dirigido e protagonizado por Jean-Claude Brisseau, o filme segue o caráter de narrativas íntimas e corajosas do cineasta, que optou por rodar o longa-metragem em sua própria casa. Vencedor do Leopardo de Ouro no Festival de Locarno 2012.

Com a palavra, Brisseau: "sempre me interessei pelo que nos faz viver no dia a dia e pelos seus limites, sempre me perguntando se esses limites morais são justificados. Questionei-me nesse sentido sobre o sexo. Ele é ainda mais importante, porque há uma certa hipocrisia. Aí entramos na moral sexual civilizada, onde se esconde um grande número de coisas. Esse tema sempre me interessou, e remetia às pequenas proibições. Interessava-me tratar o sexo de forma direta, o que não é fácil, pois ninguém havia verdadeiramente feito isso. Fazia-se dissimulando, não mostrando nada. Mas mostrar o desejo, sem entrar no filme pornô — que, do ponto de vista cinematográfico, não é nada, é vazio —, não".


A GAROTA DE LUGAR NENHUM 
(LA FILLE DE NULLE PART)
Jean-Claude Brisseau
2012
França
90 minutos



quarta-feira, 28 de maio de 2014

Paula Gaitán apresenta Exilados do Vulcão na Sala P. F. Gastal




Nesta quinta-feira, 29 de maio, às 20h, a Sala P. F. Gastal exibe Exilados do Vulcão, grande vencedor do último Festival de Brasília, com a presença da diretora Paula Gaitán. Com entrada é franca, a sessão faz parte da programação comemorativa do aniversário de 15 anos do cinema da Usina do Gasômetro. 


Sobre Exilados do Vulcão:

Ela conseguiu salvar do incêndio uma pilha de fotografias e um diário com frases escritas à mão. Estas palavras e rostos são os únicos rastros deixados pelo homem que ela um dia conheceu e amou. Cruzando montanhas e estradas, ela tenta refazer os passos dele. Os lugares que ela visita carregam pessoas, gestos, lembranças e histórias que, pouco a pouco, se tornam parte de sua vida. Exibição em HD. 

Sobre Paula Gaitán:

Paula Gaitán nasceu em Paris em 1954. Artista visual, fotógrafa, poeta e cineasta, formou-se em Artes Visuais e Filosofia na Universidade de Los Andes de Bogotá, Colômbia. Mudou-se para o Brasil em 1977 e, desde então, tem trabalhado como professora de Cinema Experimental da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro. Paula trabalha como cineasta desde 1978, quando participou como Diretora de Arte do clássico de Glauber Rocha A Idade da Terra. Sua carreira autoral inclui vários documentários, obras de arte de vídeo e instalações de artes plásticas em muitas exposições coletivas como o Salão da Bahia, 2003 e 2006, e exposições individuais no Museu Malba, em Buenos Aires, Argentina. 


Exilados do Vulcão

Direção: Paula Gaitán 
(Brasil/2013/125 minutos)

GRADE DE HORÁRIOS
27 de maio a 1 de junho de 2014
 

27 de maio (terça)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão de 30 anos de Verdes Anos, com a presença da equipe

28 de maio (quarta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão Famecos (Vlado, 30 anos Depois, João Batista de Andrade)

29 de maio (quinta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Exilados do Vulcão, com a presença da diretora Paula Gaitán

30 de maio (sexta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão de 40 anos de O Fantasma do Paraíso, com comentários de Milton do Prado.

31 de maio (sábado)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Sessão Aurora (A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau)

01 de junho (domingo)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Educação Sentimental



segunda-feira, 26 de maio de 2014

Verdes Anos comemora aniversário na Sala P. F. Gastal





Nesta terça-feira, 27 de maio, a Sala P. F. Gastal apresenta a sessão comemorativa do trigésimo aniversário de Verdes Anos, de Carlos Gerbase e Giba Assis Brasil. Com a presença de integrantes da equipe e entrada franca, a exibição acontece às 20h, após um coquetel temático no clima do longa gaúcho.  

Em 1984, após sua primeira exibição na mostra competitiva do Festival de Gramado, um longa gaúcho iniciava uma trajetória que o transformaria numa das mais marcantes produções da história do cinema realizado no Rio Grande do Sul: Verdes Anos, de Giba Assis Brasil e Carlos Gerbase. Tratava-se do primeiro longa em 35mm da dupla de diretores, egressos de um prolífico movimento superoitista, que desde o início da década vinha renovando temática e esteticamente a produção cinematográfica gaúcha e o modo de fazer cinema no Estado por meio de filmes como Deu Pra Ti Anos 70 (1981), de Giba Assis Brasil e Nelson Nadotti, Coisa na Roda (1982), de Werner Schünemann, e Inverno (1983), de Carlos Gerbase, todos longas em Super-8 premiados em Gramado e exibidos com sucesso de público em circuitos alternativos. Verdes Anos acompanha três dias na vida de uma turma de adolescentes em uma cidade do interior, em 1972, no auge da ditadura militar; anos duros, mas também cheios de sonhos e encontros e pequenas e grandes esperanças. Anos, como disse o escritor Caio Fernando Abreu, “em que não se podia viver muito para fora: a repressão política nos empurrava para dentro.” É com essa perspectiva mais lírica, nostálgica e bem humorada que o filme aborda o cotidiano de escola, bailes, namoros e brigas daquela juventude, que ainda sabia muito pouco das ditas coisas da vida.

Para marcar o 30º aniversário de lançamento do filme (que teve sua primeira exibição pública em 9 de abril de 1984, no Festival de Gramado, estreando nas salas de cinema no dia 25 de maio do mesmo ano), a Sala P. F. Gastal (Usina do Gasômetro – 3º andar) realiza uma exibição comemorativa do filme no próximo dia 27 de maio, às 20h, na presença dos diretores Giba Assis Brasil e Carlos Gerbase e de outros membros da equipe. A sessão, que é aberta ao público e tem entrada franca, integra a programação especial de aniversário dos 15 anos da Sala P. F. Gastal.

A fim de documentar o impacto provocado pela estreia de Verdes Anos, a Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre também está preparando um livro que resgata a memória do filme. Desde o final do ano passado, a historiadora Alice Trusz se dedica a pesquisar os bastidores do filme, entrevistando membros da equipe e debruçando-se sobre acervos de jornais da época. O livro deverá ser lançado no próximo semestre.




Verdes Anos, de Giba Assis Brasil e Carlos Gerbase (Brasil, 1984, 35mm, 91 minutos). Roteiro de Álvaro Luiz Teixeira a partir de conto de Luiz Fernando Emediato. Produção: Z Produtora Cinematográfica e Porto das Cabeças. Fotografia de Christian Lesage. Música de Nei Lisboa e Nelson Coelho de Castro. Com Werner Schünemann, Luciene Adami, Márcia do Canto, Marcos Breda, Marta Biavaschi, Xala Felippi, Marco Antônio Sório, Lúcia Serpa, Júlio Conte, Ivonete Pinto, Haydée Porto, Sérgio Lulkin e grande elenco.


GRADE DE HORÁRIOS
27 de maio a 1 de junho de 2014


27 de maio (terça)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão de 30 anos de Verdes Anos, com a presença da equipe

28 de maio (quarta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão Famecos (Vlado, 30 anos Depois, João Batista de Andrade)

29 de maio (quinta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Exilados do Vulcão, com a presença da diretora Paula Gaitán

30 de maio (sexta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão de 40 anos de O Fantasma do Paraíso, com comentários de Milton do Prado.

31 de maio (sábado)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Sessão Aurora (A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau)

01 de junho (domingo)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Educação Sentimental

 

SESSÕES ESPECIAIS DE ANIVERSÁRIO CONTINUAM NA SALA P. F. GASTAL



Entre os dias 27 de maio e 01 de junho, continua a série de sessões especiais comemorando os 15 anos da Sala P. F. Gastal






Na terça-feira, 27 de maio, às 20h, acontece o coquetel de celebração de 30 anos de Verdes Anos, de Carlos Gerbase e Giba Assis Brasil, em sessão com a presença da equipe.



Na quinta-feira, 28 de maio, às 20h, será exibido Exilados do Vulcão, grande vencedor do último Festival de Brasília, com a presença da diretora Paula Gaitán.
Na sexta-feira, 29 de maio, às 20h, acontece a sessão de 40 anos de O Fantasma do Paraíso, clássico musical dirigido por Brian De Palma. Depois da exibição, haverá um debate com o professor e cineasta Milton do Prado.


Por fim, para encerrar a programação de aniversário, no sábado, às 19h, acontece a Sessão Aurora com um filme inédito em Porto Alegre: A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau, vencedor do Festival de Locarno de 2012. Após a sessão, debate com os editores do Zinematógrafo.



Continuações:
O filme Os Dias com Ele, de Maria Clara Escobar, segue em cartaz com sessão às 15h. 

Educação Sentimental, de Julio Bressane, terá suas últimas exibições no fim de semana.
Todas as sessões de aniversário têm entrada franca.

GRADE DE PROGRAMAÇÃO

Verdes Anos
Direção: Carlos Gerbase e Giba Assis Brasil (Brasil/1984/91 minutos)
Três dias na vida de uma turma de colégio, em 1972. Nando namora Soninha, que dá bola pra todo mundo. Robertão apresenta o baile de escolha da Rainha. Teco se interessa por Rita. Dudu edita um jornalzinho de fofocas. Pedro é o goleiro do time da aula, e está apaixonado pela professora. Quanto tempo se leva para passar da adolescência à maturidade? Um fim-de-semana, alguns anos ou a vida inteira? Exibição em 35mm. 


Exilados do Vulcão
Direção: Paula Gaitán (Brasil/2013/125 minutos)
Ela conseguiu salvar do incêndio uma pilha de fotografias e um diário com frases escritas à mão. Estas palavras e rostos são os únicos rastros deixados pelo homem que ela um dia conheceu e amou. Cruzando montanhas e estradas, ela tenta refazer os passos dele. Os lugares que ela visita carregam pessoas, gestos, lembranças e histórias que, pouco a pouco, se tornam parte de sua vida. Exibição em HD. 

O Fantasma do Paraíso
(The Phantom of Paradise)
Direção: Brian De Palma (Estados Unidos/1974/93 minutos)
Swan (Paul Williams) é um famoso produtor de discos que rouba de Winslow Leach (William Finley), um desconhecido compositor, uma cantata que retrata a trajetória de Fausto, o lendário mago que vendeu sua alma ao diabo. Exibição em DVD. 

A Garota de Lugar Nenhum
(La Fille de Nulle Part)
Direção: Jean-Claude Brisseau (França/2012/91 minutos)
Michel, um professor de matemática aposentado, vive sozinho desde que sua esposa faleceu e passa o tempo escrevendo um ensaio sobre as ilusões humanas. Certo dia, Michel se depara com Dora, uma jovem que aparece ferida em sua porta, e a acolhe até que ela se recupere. Sua presença traz algo de novo para a vida de Michel e, aos poucos, o apartamento torna-se um local de acontecimentos misteriosos. Exibição digital. 



GRADE DE HORÁRIOS

27 de maio a 1 de junho de 2014


27 de maio (terça)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão de 30 anos de Verdes Anos, com a presença da equipe

28 de maio (quarta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão Famecos (Vlado, 30 anos Depois, João Batista de Andrade)

29 de maio (quinta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Exilados do Vulcão, com a presença da diretora Paula Gaitán

30 de maio (sexta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão de 40 anos de O Fantasma do Paraíso, com comentários de Milton do Prado.

31 de maio (sábado)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Sessão Aurora (A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau)

01 de junho (domingo)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Educação Sentimental

quarta-feira, 21 de maio de 2014

João Silvério Trevisan exibe Orgia ou o Homem que Deu Cria no Projeto Raros



Neste sábado, 24 de maio, às 20h, acontece uma edição especial do Projeto Raros, com apoio da FestiPoa Literária, exibindo a cópia nova em 35mm de Orgia ou o Homem que deu Cria (1970), clássico marginal dirigido por João Silvério Trevisan, que estará presente para um debate após a sessão. Também será exibido o seu curta-metragem Contestação (1969), a partir de uma cópia remasterizada em DVD. A entrada é franca. 
No único longa-metragem de Trevisan, uma espécie de playboy do mundo ocidental sai pelo mundo após assassinar o pai.Em um cortejo vão se agregando um preso fugitivo, um intelectual que é enforcado, um travesti, um anjo de asa quebrada, prostitutas, cangaceiro, até chegarem à cidade grande. Acompanhamos a formação de um grupo de pessoas que busca seu país. De forma carnavalesca, com personagens alegóricos, ligado às lições tropicalistas, o filme aborda tanto a reorientação ideológica do cinema novo em sua aproximação com o Estado autoritário quanto o ambiente de asfixia (censura, repressão) e breve euforia (milagre econômico, Copa do Mundo) que dominava o Brasil da época.
Fotografado por Carlos Reichenbach, com Jean-Claude Bernardet, Jairo Ferreira e Ozualdo Candeias no elenco, o filme de Trevisan permanece como um dos ícones do Cinema Marginal. Proibido pela censura, o filme nunca teve lançamento comercial, sendo exibido posteriormente, após a abertura política, em mostras sobre o cinema de invenção. Orgia ou o Homem que Deu Cria nunca foi exibido em Porto Alegre.  
João Silvério Trevisan é romancista, contista, ensaísta, roteirista, cineasta e tradutor. Inicia a trajetória no cinema ao participar de filmagens como assistente de produção, responsável por trilhas sonoras de filmes do cineasta João Baptista de Andrade (1939), ao adaptar textos para roteiros, escrever e dirigir curtas e médias-metragens. Em 1970, escreve e dirige o longa-metragem Orgia ou o Homem que Deu Cria. Dois anos mais tarde, viaja para a Califórnia, Estados Unidos, e entra em contato com o movimento gay organizado e com a mídia especializada nessa temática. Escreve os contos do livro Testamento de Jônatas Deixado a Davi, que publica na volta ao Brasil, em 1976. Em 1978, militando no movimento gay, organiza o grupo Somos pelos Direitos dos Homossexuais Brasileiros, e funda o jornal temático Lampião da Esquina, para integrar pontos de vista não somente de homossexuais, mas também de outros grupos excluídos. Em 1982, atendendo à demanda da editora britânica Gay Men's Press - GMP, começa uma intensa pesquisa para escrever uma história da homossexualidade no Brasil, Devassos no Paraíso, lançada em 1986 simultaneamente na Inglaterra e no Brasil. Nesse ínterim, escreve seus dois primeiros romances: Em Nome do Desejo e Vagas Notícias de Melinha Marchiotti. Entre 1998 e 2005 realiza uma série de oficinas literárias para o Serviço Social do Comércio de São Paulo - Sesc/SP.

PROJETO RAROS
24/05 - 20h
ORGIA OU O HOMEM QUE DEU CRIA
Direção: João Silvério Trevisan 
(Brasil/1970/90 minutos)
Elenco: Jean-Claude Bernardet, Jairo Ferreira, Ozualdo Candeias, Fernando Benini, Sérgio Couto, Marcelino Buru. 

Novo filme de Andrea Tonacci, Já Visto Jamais Visto é exibido na P. F. Gastal



Na sexta-feira, 23 de maio, às 20h, a Sala P. F. Gastal apresenta a primeira sessão em Porto Alegre do novo filme de Andrea TonacciJá Visto Jamais Visto, com a presença da produtora e montadora Cristina Amaral. Com entrada franca e projeção em blu-ray, a exibição faz parte da programação comemorativa de aniversário de 15 anos do cinema da Usina do Gasômetro (3º andar).  



Em Já Visto Jamais Visto, há um diálogo entre as memórias de um autor e as imagens que filmou e guardou ao longo de sua atividade cinematográfica. Segmentos de vida nunca exibidos, nunca revistos e nunca editados. Uma reflexão sobre imagens que permaneceram à margem da memória, e de memórias à beira do esquecimento, fragmentos impermanentes na mente e na matéria, que constituem a narrativa passional da momentânea invenção progressiva que temos de solidez do ser e do mundo. 


Segundo Andrea Tonacci, em fala realizada durante debate na Mostra de Tiradentes deste ano, onde o filme foi exibido, Já Visto Jamais Visto "é um trabalho de montagem, tudo feito no papel, a partir das imagens que eu tinha. Meus filmes dependem muito da montagem. Eu considero hoje a montagem criativa uma segunda direção, na qual você também participa. Montador não é um mecânico que cumpre uma função. Meus filmes são uma tentativa de me situar dentro de cada instante e tentar fazer deles algo determinante da minha existência. O cinema como trajeto, como forma de estar no mundo. E hoje em dia a gente vira imagens com esses bilhões de câmera por aí. No fundo a gente só sabe o que fez através das consequências. Quando faz, é o momento da busca, da tentativa".

Montadora e produtora de Já Visto Jamais Visto, Cristina Amaral é formada em cinema pela USP. Na faculdade foi assistente de montagem e logo após montou o curta-metragem Nós de valor, nós de fato (1985), de Denoy de Oliveira. Em 1991 foi premiada no Festival de Brasília pelo longa-metragem Sua Excelência, o candidato (1991), de Ricardo Pinto e Silva, e pelo curtaWholes (1991), de Cecílio Neto. Com José Luiz Sasso fez a montagem e a edição de som deAlma corsária (1993), de Carlos Reichenbach. 

Desde 1997, Cristina Amaral coordena com Andrea Tonacci a produtora Extrema Produções Artísticas, que lança agora Já Visto Jamais Visto. Já editou mais de 60 títulos entre filmes de curta e longa-metragem, entre estes destacam-se: O cego que gritava luz (1996), de João Batista de Andrade,O velho (1996), de Toni Venturi, A hora mágica (1997), de Guilherme de Almeida Prado,Dois córregos (1999), de Carlos Reichenbach, e Sonhos tropicais (2002), de André Sturm. Em 2003, editou De passagem, filme de estréia de Ricardo Elias, e em 2004, novamente com Carlos Reichenbach, trabalhou emGarotas do ABC eBens Confiscados. Montou também o documentárioPerson (2006), de Marina Person sobre seu pai Luis Sérgio Person, e a ficção Serras da desordem (2006), de Andréa Tonacci. Em 2007, montou o longa Falsa Loura, de Carlos Reichenbach.




Já Visto Jamais Visto Direção: Andrea TonacciBrasil201354 minutos20h

domingo, 18 de maio de 2014

Documentário premiado, Os Dias com Ele entra em cartaz na Sala P. F. Gastal



A partir de terça-feira, 20 de maio, o premiado documentário Os Dias com Ele, de Maria Clara Escobar, entra em cartaz na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar), em sessão diária às 17h. No sábado, 24 de maio, o filme será exibido às 16h. A projeção é em blu-ray.   

No filme, grande vencedor da Mostra de Tiradentes de 2013, a jovem cineasta mergulha no passado quase desconhecido de seu pai, Carlos Henrique Escobar. As descobertas e frustrações de acessar a memória de um homem e de uma parte da história que são raramente expostos. Ele, um intelectual brasileiro, preso e torturado durante a ditadura militar não fala sobre isso desde aquele tempo. Ela, uma filha em busca de sua identidade.


OS DIAS COM ELE
(2014, Brasil, 107 minutos)


direção (fotografia e som): maria clara escobar

produção executiva: paula pripas

edição: julia murat e juliana rojas

edição de som e mixagem: ricardo cutz

fotógrafo para correção de cor: bruno risas

pesquisa história: remier lion

pesquisa filmes domésticos: lila foster

produtores associados: aeroplano filmes, ricardo leite, klaxon cultura audiovisual



GRADE DE HORÁRIOS
20 a 25 de maio de 2014


  

20 de maio (terça)
17:00 – Os Dias com Ele
20:30 – Sessão Plataforma (A Gatinha Esquisita, de Ramon Zürcher)

21 de maio (quarta)

17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Coquetel de Lançamento do CineEsquemaNovo 2014
20:00 – Pierrot Lunaire, de Bruce LaBruce

22 de maio (quinta)

17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Educação Sentimental

23 de maio (sexta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Já Visto Jamais Visto, de Andrea Tonacci, com a presença da montadora e produtora Cristina Amaral

24 de maio (sábado)

16:00 – Os Dias com Ele
18:00 – Sessão Plataforma (reprise)
20:00 – Projeto Raros Especial com Orgia ou o Homem que deu Cria, de João Silvério Trevisan, com a presença do cineasta

25 de maio (domingo)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Sessão Surpresa





sábado, 17 de maio de 2014

Lançamento do Cine Esquema Novo 2014 na Sala P. F. Gastal




Nesta quarta-feira, às 19h, acontece na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) o coquetel de lançamento do Cine Esquema Novo 2014, com a première nacional do mais novo filme do cineasta canadense Bruce LaBruce, Pierrot Lunaire. A entrada é franca.

O Cine Esquema Novo marcou presença em 10 dos 15 anos comemorados em maio pela Sala P. F. Gastal. E a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da CCVF, continua nesta temporada a correalização estabelecida desde 2003 com o festival que promove o cruzamento entre o cinema e a videoarte. O CEN 2014 acontecerá em novembro, mas sua programação geral será apresentada no próximo dia 21/05, às 19h, junto da sessão de Pierrot Lunaire (2014). O trabalho foi o ganhador do Teddy Bear do Festival de Cinema de Berlim 2014 e integrou a seleção do Forum Expanded - programação paralela de Berlim que ganhará um espaço exclusivo dentro do CEN este ano. Esta programação só é possível graças ao mais novo parceiro do festival este ano, o Goethe-Institut Porto Alegre, dentro das atividades do Ano da Alemanha no Brasil.

Em 1912, Arnold Schönberg compôs Pierrot Lunaire a partir da coleção de poemas com o mesmo nome, escritos pelo belga Albert Giraud; em 2011, o maestro Premil Petrovic convidou Bruce LaBruce para dirigir uma versão teatral de Pierrot Lunaire baseada na noção de cabaret do compositor austríaco; em 2013, Bruce LaBruce leva Pierrot Lunaire para as ruas de Berlim e, ao som da interpretação que Petrovic faz da música de Schönberg, filma uma história de desejo, amor e transgressão, em que uma mulher vestida de homem seduz uma jovem que não imagina que o amante é na verdade uma amante. Exibição digital em alta definição.

Pierrot Lunaire
Direção: Bruce La Bruce
(2014, Alemanha/Canadá, 51 minutos)

GRADE DE HORÁRIOS
20 a 25 de maio de 2014


  

20 de maio (terça)

17:00 – Os Dias com Ele
20:30 – Sessão Plataforma (A Gatinha Esquisita, de Ramon Zürcher)

21 de maio (quarta)

17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Coquetel de Lançamento do CineEsquemaNovo 2014
20:00 – Pierrot Lunaire, de Bruce LaBruce

22 de maio (quinta)

17:00 – Os Dias com Ele
19:00 – Educação Sentimental

23 de maio (sexta)

17:00 – Os Dias com Ele
20:00 – Já Visto Jamais Visto, de Andrea Tonacci, com a presença da montadora e produtora Cristina Amaral

24 de maio (sábado)

16:00 – Os Dias com Ele
18:00 – Sessão Plataforma (reprise)
20:00 – Projeto Raros Especial com Orgia ou o Homem que deu Cria, de João Silvério Trevisan, com a presença do cineasta

25 de maio (domingo)

15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Os Dias com Ele

20:00 – Sessão Surpresa

sexta-feira, 16 de maio de 2014

A Gatinha Esquisita na Sessão Plataforma



A Sessão Plataforma exibe na terça-feira, 20 de maio, às 20h30, na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar), o filme alemão A Gatinha Esquisita, escrito e dirigido por Ramon Zürcher. A exibição é no formato blu-ray. A reprise do filme acontece no sábado, 24 de maio, às 18h00.

O filme narra a visita dos irmãos Karin e Simon ao apartamento de seus pais e sua irmã pequena Clara. Zürcher mostra, com a sensação de tempo real, esse dia da família, seus pequenos conflitos, mistérios e revelações. Com um jogo entre sua intrigante mise en scène e enquadramentos engenhosos, o filme cria tensões e reviravoltas em pequenos acontecimentos cotidianos. Experiência cinematográfica instigante, divertida e cheia de frescor, A Gatinha Esquisita tem sido exibida com bastante êxito em diversos festivais ao redor do mundo, sendo imediatamente colocada como uma revelação importante da jovem cinematografia alemã.   


Terça feira, 20 de maio, 20h30

* A Gatinha Esquisita
(Das merkwürdige Kätzchen)
dir: Ramon Zürcher, 72min, ALE, 2013.

- 63th Berlin International FIlm Festival - Forum.
- 38th Toronto International Film Festival - Wavelengths.
- New Directors/New Films.
- CPH:PIX (New Talent Grand Prix PIX)

Sessão Plataforma.
Realização: Tokyo Filmes, Livre Associação, Coordenação de Cinema e Video da Secretaria de Cultura de Porto Alegre.

Ingresso: R$ 03,00
Projeção: Bluray - legendas em português.

Reprise - Sábado, 24 de maio, 18h00.

Sessão especial de novo filme de Gustavo Spolidoro acontece neste domingo





Em função da falta de luz na noite de ontem, a sessão de Errante – Um Filme de Encontros, com a presença do diretor Gustavo Spolidoro na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar), foi remarcada para domingo, 18 de maio, às 19h. A entrada é franca. 


Errante – Um Filme de Encontros acompanha, de forma espontânea, cinco dias do carnaval de 2011, aonde o diretor, trabalhando sozinho, munido de uma câmera, dois microfones e um carro, perambulou por Porto Alegre, interior do RS e Rio de Janeiro, filmando as conexões mentais que os seres/objetos/lugares lhe apresentavam. O filme é apresentado aqui "in process", visto não estar finalizado e, por isso mesmo, podendo contar com as opiniões dos espectadores para chegar ao seu corte final.



Gustavo Spolidoro nasceu e vive em Porto Alegre. É Mestre em Comunicação Social pela PUC/RS, onde também é professor do curso de Cinema há 7 anos. Desde 1998 realizou 17 curtas e médias e 3 longas, tendo recebido mais de 70 prêmios e participado de festivais como Berlim, Rotterdam e Sundance. Dirigiu os longas Ainda Orangotangos (2007), Gigante - como o Inter Conquistou o Mundo (2007) e Morro do Céu (2009). Foi produtor executivo de Cão sem Dono (2007), longa de Beto Brant e Renato Ciasca, co-produzido pela Clube Silêncio, produtora da qual foi sócio de 2004 a 2008. Desde 2003, é também um dos organizadores do festival Cine Esquema Novo.

Errante – Um Filme de Encontros
Direção: Gustavo Spolidoro 
(Brasil/2014/70 minutos) 


GRADE DE HORÁRIOS
16 a 18 de maio de 2014

16 de maio (sexta)
17:00 – Educação Sentimental
19:00 – Educação Sentimental
17 de maio (sábado)
15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Educação Sentimental
19:00 – Sessão de 40 anos de Uma Mulher Sob Influência, de John Cassavetes
18 de maio (domingo)
15:00 – Educação Sentimental
17:00 – Educação Sentimental

19:00 – Errante - Um Filme de Encontros, com a presença de Gustavo Spolidoro.