segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Sala P.F. Gastal entra em recesso

A partir do dia 13 de dezembro a Sala P.F. Gastal entra em recesso e volta com programação a partir de fevereiro de 2011. Agradecemos a todos pela presença nesse ano e desejamos boas festas a todos!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Vincent Moon na Sala P. F. Gastal dia 08 de dezembro

Vincent Moon é um videomaker e diretor francês responsável por fazer uma pequena revolução nas relações entre música e cinema.


No ano de 2006, em Paris, o artista lançou o primeiro Take Away Show, "documentos musicais" que consistem em sessões improvisadas de vídeos com artistas estabelecidos em lugares inusitados. Essa espécie de videocast é produzido artesanalmente para ser postado no site La Blogothèque. Moon já produziu mais de cem desses vídeos e dentre os grupos que já trabalharam com o artista estão o Arcade Fire, Beirut, Phoenix e Wilco. Uma das mais expressivas delas, no entanto, é a banda americana R.E.M., que tem Vincent Moon na direção do vídeo Supernatural Superserious. O artista estará na Sala P. F. Gastal para exibir alguns de seus trabalhos e falar sobre seu processo de trabalho, que envolve ainda o uso de Creative Commons para veiculação sem cobrança de direitos autorais de suas obras.

Dia 08 de dezembro
19 horas

Sala P F Gastal
Entrada Gratuita
(Distribuição de senhas a partir das 18h30m)
Outros apoios: Lorita Restaurante e Schullas Restaurante e Chopperia

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Centenário de Jean Genet

Um dos maiores escritores e dramaturgos do século XX, o francês Jean Genet (1910-1986) estaria completando 100 anos em 19 de dezembro de 2010. Para marcar a data, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro realiza a partir de 7 de dezembro uma pequena mostra dedicada ao autor de Nossa Senhora das Flores e Querelle de Brest.

Na ocasião, serão exibidos o média-metragem Canção de Amor, único filme dirigido por Genet; As Criadas, adaptação para a televisão inglesa de um dos textos teatrais mais conhecidos do autor, com Glenda Jackson e Susannah York no elenco; e Querelle, último filme dirigido pelo alemão Rainer Werner Fassbinder; além do documentário Genet, que traz uma longa entrevista com o autor realizada em 1981.

Com esta programação, que tem entrada franca, a Sala P. F. Gastal encerra suas atividades em 2010. A partir de 13 de dezembro, o cinema da Usina do Gasômetro entra em recesso de final de ano, retomando sua programação normal em janeiro de 2011.


Programação


Canção de Amor (Un Chant d´amour), de Jean Genet (França, 1950, 26 minutos)
Em celas distintas, dois prisioneiros tentam estabelecer contato. Ousada e poética incursão de Jean Genet no cinema, na qual estão presentes dois de seus principais temas, o universo carcerário e a homossexualidade masculina. A fotografia em preto e branco é assinada por Jean Cocteau. Exibição em DVD, sem diálogos.

Querelle, de Rainer Werner Fassbinder (Alemanha/França, 1982, 108 minutos)


Um marinheiro francês (Brad Davis) frequenta um bordel comandado pela cafetina Lysiane (Jeanne Moreau), envolvendo-se com várias personagens do submundo portuário da cidade de Brest. Polêmica adaptação do alemão Fassbinder para um dos romances mais conhecidos de Genet, Querelle de Brest. Exibição em DVD, com legendas em português.

As Criadas (The Maids), de Christopher Miles (Inglaterra, 1975, 94 minutos)

Em uma mansão parisiense, duas criadas (Glenda Jackson e Susannah York) aproveitam a ausência da dona da casa (Vivien Merchant) para encenarem um jogo no qual reproduzem os papéis de serva e patroa, com consequências trágicas. Genet inspirou-se num episódio real para criar esta que é uma de suas grandes peças teatrais. Exibição em DVD, diálogos em inglês, sem legendas.

Genet, de Antoine Bourseiller (França, 1981, 52 minutos)
Longa entrevista realizada com o escritor Jean Genet em 1981, que fala sobre os principais temas de sua obra e relembra momentos de sua vida. Exibição em DVD, com legendas em português.


GRADE DE HORÁRIOS

Semana de 7 a 12 de dezembro de 2010


7 de dezembro (terça-feira)
15:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)
17:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (As Criadas)
19:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)


8 de dezembro (quarta-feira)
15:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (As Criadas)
17:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)
19:00 – Noite Vincent Moon, com a presença do artista

9 de dezembro (quinta-feira)
15:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)
17:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (As Criadas)
19:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Querelle)

10 de dezembro (sexta-feira)
15:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (As Criadas)
17:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)
21:00 – Coletivo Avalanche – Rock no Cinema

11 de dezembro (sábado)
15:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (As Criadas)
17:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)
19:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Chamas de Verão)

12 de dezembro (domingo)
15:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Canção de Amor + Genet)
17:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Chamas de Verão)
19:00 – Mostra Jean Genet 100 Anos (Querelle)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sala P F Gastal recebe Mostra de Cinema Polonês Contemporâneo

A Sala P. F. Gastal inaugura em 30 de novembro, às 19h, o Festival de Cinema Polonês 2010, realizado pelo Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba.
A mostra conta com a exibição de oito filmes de longa-metragem produzidos na Polônia entre os anos de 2004 e 2009, todos inéditos no Brasil, além de uma produção de 1980, Ursinho, que é considerado um marco do cinema polonês.
Acompanhando os longas, acontecerá a exibição de 5 curta-metragens poloneses premiados em festivais de cinema internacionais.
A mostra permanece em cartaz até o dia 5 de dezembro, em três sessões diárias, e conta com o apoio da Sociedade Polônia de Porto Alegre.
Na abertura, a cônsul da Polônia em Curitiba, Sra. Dorota Barys, estará recebendo o público para um coquetel, seguido da exibição do filme O Jardim de Luiza (acompanhado pelo curta A História da Polônia em Desenho Animado). Todas as sessões têm entrada franca e os filmes serão exibidos em cópias em DVD, com legendas em português.


Sinopses dos Filmes

A Festa de Casamento (Wesele), de Wojciech Smarzowski (Polônia, 2004, 109 minutos)
Celebra-se uma festa de casamento. O pai da noiva presenteia o noivo com um carro de luxo que tinha conseguido em troca de certa quantidade de dinheiro, mais dois hectares de terra que pertencem ao patriarca da família. Mas o velho se recusa a cedê-las. Este será um dos muitos contratempos e problemas de todo tipo que surgirão nessa noite interminável… Uma comédia de tons negros, muito conhecida na Polônia: três prêmios no Festival de Cinema Polonês e seis prêmios Águia, entre eles o de melhor filme e melhor diretor em 2005. Além disso, recebeu distinções em Locarno e Karlovy Vary.


O Jardim de Luiza (Ogród Luizy), de Maciej Wojtyszko (Polônia, 2007, 105 minutos)
O que aconteceria se Léon, o profissional, se apaixonasse por Amélie de Montmartre de Paris? Luiza, uma moça sensível e solitária, e Fábio, um delinquente que vive infringindo e zombando da lei, se conhecem num hospício. Ela foi ali internada por seus pais incapazes de aceitar sua hipersensibilidade. Ele está no hospital para observação. Com o tempo suas relações convertem-se num sentimento difícil e, na opinião de muitos, praticamente condenado ao fracasso.

A Reserva (Rezerwat), de Łukasz Palkowski (Polônia, 2007, 100 minutos)
O fotógrafo Marcin Wilczyński, depois de se separar da namorada, se muda para um velho sobrado em um bairro de Varsóvia chamado Praga. O proprietário do edifício lhe pede para fazer uma série de fotos para mostrar o estado decadente da propriedade. Marcin, tirando fotos dos vizinhos e dos arredores do prédio, está descobrindo um mundo totalmente novo pelo qual começa a se fascinar. Encantado pela vizinha – uma cabeleireira sensual, Hanka B., entra na lista negra de um bandido temperamental, Rysiek, que mora com ela. Isso é apenas o começo da série de acontecimentos que mudarão a vida de Marcin, juntando-se a novos amigos... e inimigos.
O principiante Łukasz Palkowski leva os espectadores a uma viagem cinematográfica para as regiões de Varsóvia não mencionadas nos guias de turismo. A Reserva é um quente, doce-amargo conto sobre os moradores de Praga em Varsóvia – um bairro de clima específico e irrepetível.

A Pequena Moscou (Mala Moskwa), de Waldemar Krzystek (Polônia, 2008, 113 minutos)
O filme relata os abusos cometidos pelo Exército Soviético na cidade polonesa de Legnica, apelidada de A Pequena Moscou devido à presença, durante quase 50 anos (1945-1993), de uma base militar soviética, a maior da Polônia.
Viera, uma jovem russa casada com Yuri, um piloto de caça, inicia um romance clandestino com Michał, um tenente polonês. O encontro acontece em 1967, quando das cerimônias do 50° aniversário da Revolução de Outubro. A história de amor proibido se converte numa tragédia pessoal, que tem como pano de fundo uma tensa situação política, agravada pela invasão das tropas do Pacto de Varsóvia na Tchecoslováquia em 1968.

Uma Árvore Mágica (Magiczne Drzewo), de Andrzej Maleszka (Polônia, 2008, 83 minutos)
Uma forte tempestade derruba um enorme e velho carvalho – a Árvore Mágica.
As pessoas, inconscientes de seu poder, cortam a árvore e utilizam a madeira na fabricação de centenas de objetos: móveis, instrumentos e decorações de casas. Cada objeto conserva uma parte daquele extraordinário poder mágico. Um desses móveis, uma cadeira, é capaz de voar e realizar os desejos dos que nela sentam. Três crianças encontram a cadeira e assim começa sua emocionante viagem ao encontro de seus pais que saíram em busca de trabalho no estrangeiro, deixando-as sob os cuidados de sua odiada tia.

Garotas de Shopping (Galerianki), de Katarzyna Rosłaniec (Polônia, 2009, 70 minutos)
Alicia, 14 anos, entra em uma nova turma durante o curso ginasial. Sente-se muito solitária nesse novo ambiente. Um dia, uma companheira a convida para passear em um shopping, onde podem observar as vitrines durante horas, comer, ouvir música, observar gente bonita e... conhecer potenciais "patrocinadores". Graças a eles poderão conseguir todas essas novas coisas cintilantes...


General Nil (General Nil), de Ryszard Bugajski (Polônia, 2009, 120 minutos)
A história apresentada no filme de Ryszard Bugajski é uma tentativa de reconstrução dos últimos anos da vida do legendário comandante do Kedyw (Comando da Diversidade do Exército Nacional), general de brigada August Emil Fieldorf, apelidado de "Nil". O conto começa no momento da sua volta de um campo de trabalhos forçados na União Soviética, onde foi mandado depois da sua detenção em 1945 pelo NKVD e acaba com a execução da sua pena de morte numa prisão de Varsóvia no inverno de 1953. O filme é acompanhado pelas retrospecções do período da ocupação nazista e as atividades conspiradoras do General, em particular, o atentado ao carrasco de Varsóvia, o general nazista Franz Kutschera.

Quanto Pesa um Cavalo de Tróia? (Ile Wazy Kon Trojanski), de Juliusz Machulski (Polônia, 2008, 117 minutos)
Réveillon de 1999. Zosia Albrecht-Radecka é uma esposa e mãe feliz. O seu segundo casamento com Kuba é muito bom. A filha de Zosia, Florentina, de 12 anos, adora o seu padrasto. Parece que vida melhor não poderia existir. No entanto, Zosia culpa o seu destino por não ter conhecido Kuba 13 anos antes. Em uma manhã de maio de 1987, ao acordar, por algum milagre seu sonho se tornou realidade e está 13 anos mais nova, encontrando deitado ao seu lado Darek, seu primeiro marido. Florentina ainda não veio ao mundo e do outro lado da janela vemos os últimos dias da Polônia comunista. Quando Zosia percebe que isso não é um simples pesadelo, entra em ação. Primeiramente, tem que se livrar do seu marido-tirano o mais rápido possível, em segundo lugar, tem que encontrar Kuba mais cedo. Mas como Florentina ainda não existe, e Zosia a quer tanto, resta concebê-la com Darek...


Ursinho (Mis), de Stanisław Bareja (Polônia, 1980, 111 minutos)
O presidente do clube esportivo "Arco-íris", Richard Ochódzki, chamado de Ursinho, vai para Londres. Porém fica detido porque de seu passaporte foram arrancadas algumas páginas. Ochódzki suspeita de sua esposa, Irena, que queria impedir sua viagem, ou pelo menos atrasá-lo e chegar em Londres primeiro. Anos atrás o casal abriu uma conta bancária em um banco de Londres. A separação os forçou a à divisão dos bens. Só que ninguém gosta de dividir com o outro o dinheiro acumulado no exterior. O dinheiro então ficará com aquele que chegar primeiro. Ochódzki não se rende facilmente e tenta de qualquer maneira derrubar o plano da mulher, conseguindo ao mesmo tempo um novo passaporte.
O filme foi criado em uma época de quebra na história moderna da Polônia, quando de repente se verificou que era possível rir de quase tudo. Ficou então mais difícil ainda criar algo que divertisse o público. Stanisław Bareja e Stanisław Tym (autor do roteiro) inventaram então esta historinha complicada sobre Ricardo “Ursinho”, que disputa com a ex-esposa uma boa grana depositada no exterior, mas esse conto serve como pretexto para mostrar os absurdos do dia-a-dia dos anos 70/80.

Programa de Curtas

A Catedral (Katedra), de Tomek Bagiński (Polônia 2001, 7 minutos). Um homem visita uma misteriosa estrutura que parece uma catedral da Idade Média. Ao caminhar, a luz da sua lanterna ilumina pilares descobrindo rostos humanos.O filme ganhou o prêmio Siggraph em San Antonio para melhor curta de animação no ano 2002 e foi indicado ao Oscar na categoria.
A Poltrona (Fotel), de Daniel Szczechura (Polônia, 1963, 6 minutos). Uma história de luta pelo poder expressa genialmente através de simples meios gráficos.]

A Arte Caída (Sztuka Spadania), de Tomek Bagiński (Polônia, 2004, 6 minutos). Uma velha e esquecida base militar no Pacífico. Os soldados, que perderam o juízo em consequência das guerras, lá ficaram para completar a última missão com um general que se acredita um artista. Em 2006 este curta ganhou o prêmio da British Academy of Film and Television Arts Award.

Tango, de Zbigniew Rybczyński (Polônia, 1980, 8 minutos). Uma história sobre a alienação e solidão do ser humano. No mesmo espaço aparecem pessoas que vivem as suas vidas (dançam os seus tangos) sem nenhum vínculo umas com as outras. O filme ganhou o Oscar de melhor curta em 1983.

A História da Polônia em Desenho Animado (Animowana Historia Polski), de Tomek Baginski (Polônia, 2010, 8 minutos). Mais de mil anos da história da Polônia apresentados em oito minutos de animação. Um projeto educativo apresentado durante a EXPO Shanghai 2010.
Vermelho e Preto (Czerwone i Czarne), de Witold Giersz (Polônia, 1963, 7 minutos). Uma humorística história da corrida de touros com técnica de pintura livre sobre celulóide.

Cinematógrafo (Kinematograf), de Tomek Bagiński (Polônia, 2009, 12 minutos). Francis é um inventor e sua última invenção pode mudar o mundo. Contudo, ele esqueceu de um detalhe: os sonhos podem custar caro demais. Focado exclusivamente em seu trabalho, reconhece a seriedade da situação tarde demais. Melhor curta de animação em Potsdam 2009.


GRADE DE HORÁRIOS
Semana de 30 de novembro a 5 de dezembro de 2010

30 de novembro (terça-feira)

19:00 – Coquetel de abertura da mostra, seguido de exibição do filme O Jardim de Luiza (acompanha A História da Polônia em Desenho Animado)

1º de dezembro (quarta-feira)
15:00 – A Festa de Casamento (acompanha o curta A Catedral)
17:00 – Ursinho (acompanha o curta Tango)
19:00 – A Reserva (acompanha o curta A Poltrona)

2 de dezembro (quinta-feira)
15:00 – Garotas de Shopping (acompanha o curta Cinematógrafo)
17:00 – O Jardim de Luiza (acompanha o curta Arte Caída)
19:00 – A Pequena Moscou (acompanha o curta A História da Polônia em Desenho Animado)

3 de dezembro (sexta-feira)
15:00 – General Nil (acompanha o curta Vermelho e Preto)
17:00 – Ursinho (acompanha o curta Tango)
19:00 – Quanto Pesa um Cavalo de Tróia?

4 de dezembro (sábado)
15:00 – A Pequena Moscou (acompanha o curta A História da Polônia em Desenho Animado)
17:00 – Lançamento dos vídeos da oficina de cinema da FASC
18:00 – Programa de Curtas
19:00 – Garotas de Shopping (acompanha o curta Cinematógrafo)

5 de dezembro (domingo)
15:00 – A Reserva (acompanha o curta A Poltrona)
17:00 – Uma Árvore Mágica
19:00 – General Nil (acompanha o curta Vermelho e Preto)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Exibição de Filmes Selecionados no Rumos Cinema e Vídeo


A capital gaúcha é a primeira cidade a receber mostra itinerante dos 21 trabalhos contemplados entre 662 projetos inscritos na sexta edição do programa neste segmento; aparecem projetos de Alessandra Colasanti, Katia Maciel, Cinthia Marcelle e Arthur Omar; nos filmes a arte do cinema é contaminada por todas as outras formas de expressão

De 23 de novembro a 5 de dezembro, o Centro Cultural Usina do Gasômetro em Porto Alegre recebe a Mostra Rumos Cinema e Vídeo 2009/2011 – Linguagens Expandidas. Serão ao todo 21 trabalhos que se esparramam pelo palco, a tela de cinema, o espaço expositivo e a internet. Cinco deles são expostos como instalações no espaço expositivo, durante todo o período; oito integram a mostra audiovisual na sala de cinema P.F.Gastal (de 22 a 26 de novembro) e três são apresentados como performances também no espaço expositivo durante o final de semana de 26 a 28 de novembro.

No dia 22 de novembro, segunda-feira, ocorrerá abertura para convidados com exibição do filme Alquimia da Velocidade de Arthur Omar, seguido de debate com o diretor e coquetel. O filme recebeu o prêmio especial da comissão de seleção do Rumos Cinema e Vídeo, considerando o mérito pelo conjunto da obra do artista e pela vitalidade deste seu novo trabalho.

Arthur Omar começou a trabalhar Alquimia da Velocidade em 2002 no Afeganistão, durante uma viagem à zona de guerra. Ele apresenta cenas do violento jogo do buskashi, em que dois grupos de cavaleiros combatem pela posse de uma carcaça de bode decepado. As imagens foram captadas com uma câmera amadora de baixa definição e têm seu tempo dilatado até o limite da imobilidade, em que a luta dos corpos fica suspensa no ar.

O programa Rumos neste segmento mantém o objetivo de fomentar e difundir a produção do audiovisual contemporânea, mas nesta sexta edição expandiu a sua área de ação para além do campo do documentário, único contemplado nas edições anteriores. Foram inscritos 662 projetos, e selecionados, entre eles, 21 trabalhos em três categorias: Filmes e Vídeos Experimentais; Eventos Multimídia e Documentários para Web.

Nas palavras de Roberto Cruz, gerente do Núcleo Audiovisual do Itaú Cultural, responsável pelo programa Rumos Cinema e Vídeo, as obras compõem um panorama coerente das muitas possibilidades de se expressar por meio da linguagem do audiovisual, a qual não se traduz mais de forma pura e modelar. “O audiovisual é contaminado por todas as outras formas de expressão: cinema-dança, cinema-teatro, cinema-pintura, cinema-literatura, cinema-cinema”, diz ele.

Em sua opinião, o desafio desta edição era exatamente o de dar conta desta pluralidade, multiforme e heterogênea. “Mais que a possibilidade de se contar uma história e convencer por meio da analogia e dos efeitos do realismo cinematográfico, estas realizações extrapolam e exploram a materialidade do suporte fotoquímico e digital; trabalham as características descontínuas do processo da montagem; enfatizam a sensorialidade visual da imagem em movimento; transformam o espaço-tempo da exibição no espaço-tempo da criação”, observa Roberto Cruz.

Documentário para web na rede
Na mostra em Porto Alegre, os sete documentários para web selecionados pelo edital poderão ser acessados em dois computadores em um lounge no espaço expositivo. Além disso, desde o dia 15 de setembro seis dos sete documentários estão disponibilizados no site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br) no link Rumos.

O Vôo de Tulugaq, de André Guerreiro Lopes, é um misto de documentário e poema visual, que registra um momento no silêncio de uma tarde de outono no Alasca. Em Satélite Bolinha, Bruno Vianna mostra o uso por brasileiros de satélites militares norte-americanos para bater papo.

Petrus Cariry traz, em O Som do Tempo, o concreto e os sons da cidade que avançam contra dona Maria Fátima, enquanto ela segue em frente impassível. O Céu Nos Observa, de Daniel Lima, cria interferências em uma imagem de São Paulo captada por satélite, propondo uma discussão sobre a capacidade de interferir coletivamente nas estruturas de controle e vigilância de escala global. O resultado é um processo poético de criação de ruídos na representação da metrópole.

Sinfonia, de Aline Portugal, João Costa, Julia De Simone e Julia Mariano, trata de ruídos gravados na memória e que nascem como música. Finalmente, Polivolume: Conexão Livre, de Claudia Afonso, Gabriel Gutierrez e Pedro Vieira, cria no espaço urbano e em seu esvaziamento, uma escultura cinética que pode e deve ser tocada e joga com diferentes tempos de percepção no cotidiano da cidade.

Todos os filmes citados têm oito minutos e tratam de forma geral da questão do ruído e da velocidade da informação, tema proposto pelo Itaú Cultural para esta categoria.

Instalações no espaço expositivo
De 23 de novembro a 5 de dezembro, além dos documentários para web, disponibilizados em computadores em um lounge, o espaço expositivo da Usina do Gasômetro apresenta obras selecionadas nas categorias Filme e vídeo experimental; Evento multimídia e Documentário para web, que se traduzem como instalações.

Travelling Zona Norte, produzido pelo grupo Nós do Morro e dirigido por Gustavo Melo, joga poesia e experimentação no subúrbio do Rio de Janeiro. Este trabalho utiliza ferramentas da técnica cinematográfica, como o travelling (carrinho sobre trilhos que transporta a câmera e o operador) e projetores para mostrar um pouco daquela realidade.

Em forma de um díptico, Gabriel Menotti apresenta 0fps: Southbank. Trata-se também de uma obra que traz fragmentos de imagens em uma sequência de frames. A mesma paisagem aparece em dois regimes de tempo e espaço, evidenciando diferenças entre suportes de imagem analógicos e digitais.

O filme Plataforma, de Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado, que formam o Cinemata,e Museu dos Corações Partidos, de Inês Cardoso, faz parte da série Unus Mundus, que investiga, desde 2004, a relação entre acontecimentos isolados e ocorrências múltiplas. Esta história se desenrola às vésperas de um feriado, no saguão de uma rodoviária. Os viajantes vão aparecendo aos poucos e começam a descer as escadas a partir das chamadas de embarque. No entanto, deixam as suas bagagens para trás em um rastro devastador de malas.

Em Casa-Construção, Kátia Maciel apresenta diálogos e, sobretudo, não-diálogos de um casal em uma casa em construção. Já Inês Cardoso fala de rompimentos amorosos em Museu dos Corações Partidos. Ela criou este espaço museográfico na rede e se dedicou a coletar depoimentos de anônimos via Skype. As conversas tornaram-se matéria poética para o desenvolvimento do filme, uma verdadeira cartografia amorosa. O museu apresenta também imagens de outros artistas convidados, como José Roberto Aguilar, Cão Guimarães, Cris Bierrenbach e Jac Lerner, criando uma iconografia de desilusões amorosas.

Filmes sala de Cinema P.F.Gastal
De 23 a 26 de novembro, sempre às 17h, a Sala de Cinema P.F Gastal do Centro Cultural apresenta os sete filmes selecionados na categoria Filmes e vídeos experimentais e um dia com a exibição de seis documentários para a web.

No dia 23 (terça-feira), será exibido Desassossego (Filme das Maravilhas), de Felipe Bragança e Marina Meliande, que dá início à mostra. Nele, uma carta de amor e raiva, escrita por Bragança em 2007, foi enviada a 14 cineastas, como Karim Ainouz, que formaram o Grupo do Desassossego e dirigiram dez fragmentos do filme. O mote são as sensações que fazer cinema despertam atualmente no Brasil.

No dia sequinte são exibidos sequencialmente os documentários para web: O Vôo de Tulugaq, Satélite Bolinha, Som do Tempo, O Céu Nos Observa, Sinfonia e Polivolume: Conexão Livre.

Na quinta-feira, dia 25, são exibidos três filmes. A Redação, de Andréa Midori Simão e Thiago Faelli traz a história de uma jovem roteirista e diretora de cinema, que descobre os prazeres e perigos de escrever sobre si mesma, sobre seu relacionamento amoroso e sobre sua família. Em Casa-Construção, Kátia Maciel apresenta diálogos e, sobretudo, não-diálogos de um casal em uma casa em construção.

Alessandra Colasanti e Samir Abujanra apresentam o documentário ficcional A Verdadeira História da Bailarina de Vermelho, com locações em Paris, Nova York e Rio de Janeiro. O filme aborda de forma irônica e bem humorada a história de uma dançarina de um dos quadros de Edgar Dégas. Ela abandona a tela, ganha o mundo e desaparece no carnaval carioca; mistura universo acadêmico, arte de vanguarda e submundo do sexo.

No dia seguinte, sexta, 26, também são exibidos três filmes. Enquadro episódio 2: Tiaguinho da Redenção, realizado pelo grupo Casadalapa, faz parte de uma série que retrata um drama representativo da vida de um personagem e de seu espaço. Neste filme específico, é revelado o que acontece a Tiaguinho, depois de abandonar a mãe, Domingas. A criação do rapaz está diretamente ligada ao barracão de uma pequena escola de samba, localizado embaixo de um viaduto no bairro Itaim Paulista, zona Leste da cidade. O grupo trabalhou, gravou e grafitou com a participação dos moradores e artistas da região.

Ainda neste dia é apresentado Cellphone. O filme de Daniel Lisboa demonstra que por trás de todo numero telefônico existem palavras que movimentam situações específicas. E fechando a programação é apresentado Museu dos Corações Partidos, de Inês Cardoso (obra também apresentada no espaço expositivo).

Performances
Três performances ocupam espaço expositivo de 26 a 28 de novembro (sexta-feira a domingo) sempre às 20h. No primeiro dia, Raimo Benedetti apresenta Sequenze, concerto audiovisual no qual as interpretações do olhar do autor se encontram com a obra do compositor italiano Luciano Berio.

No sábado Luiz DuVa sobe ao palco com Storm, um espetáculo inédito de improvisação multimídia que tem como tema o embate do ser humano com o desconhecido, seus limites e tentativas de transposição.

Fechando toda a programação, no domingo, Sandro Canavezzi de Abreu apresenta Pelas Fendas. A performance traz uma situação absurda em que perfis falsos criados em fóruns, comunidades virtuais, sites de relacionamento se tornam independentes e passam a vagar pela internet. O artista recria continuamente o trabalho, com base em sua reprogramação. A plateia assiste à fusão entre imagens e sons e à própria interface de programação que os geram.

PROGRAMAÇÃO

ABERTURA

Para convidados
22/11 às 20h
Exibição do filme Alquimia da Velocidade (52’), de Arthur Omar – Rj, com a presença do diretor.
Coquetel de abertura


EXPOSIÇÃO
De 23/11 a 5/12
Espaço expositivo (térreo)
De terça a domingo das 9h às 21h


Obras
- Travelling Zona Norte (produção do Grupo Nós do Morro, concepção de Gustavo Melo ,RJ)
- 0fps: Southbank (Gabriel Menotti,ES)
- Plataforma (Cinemata, formado por Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado MG, 26’)
- Museu dos Corações Partidos (Inês Cardoso, SP,15’)
- Casa – Construção (Katia Maciel, RJ, 15’)

Documentários para web (exibidos em lounge com dois computadores)
- O Vôo de Tulugaq (André Guerreiro Lopes, SP, 8’)
- Satélite Bolinha (Bruno Vianna, RJ, 8’)
- Som do Tempo (Petrus Cariry, CE, 8’)
- O Céu Nos Observa (Daniel Lima, SP, 8’)
- Sinfonia (Aline Portugal, João Costa, Julia De Simone e Julia Mariano, RJ, 7’32’’)
- Polivolume: Conexão Livre (Claudia Afonso, Gabriel Gutierrez, Pedro Vieira, SP, 2010, 8’)
- Cidades Visíveis (LAT-23,SP)



MOSTRA DE FILMES E VÍDEOS EXPERIMENTAIS
De 23 a 26/11
Sala de Cinema P.F.Gastal, às 17h


23/11
Desassossego (Filme das Maravilhas), (Felipe Bragança, Marina Meliande, RJ, 54’)

24/11
Documentários para web
- O Vôo de Tulugaq (André Guerreiro Lopes, SP, 8’)
- Satélite Bolinha (Bruno Vianna, RJ, 8’)
- Som do Tempo (Petrus Cariry, CE, 8’)
- O Céu Nos Observa (Daniel Lima, SP, 8’)
- Sinfonia (Aline Portugal, João Costa, Julia De Simone e Julia Mariano, RJ, 7’32’’)
- Polivolume: Conexão Livre (Claudia Afonso, Gabriel Gutierrez, Pedro Vieira, SP, 2010, 8’)

25/11
A Redação (Andréa Midori, Simão, Thiago Faelli, SP, 26’30”)
Casa – Construção (Katia Maciel, RJ, 15’)
A Verdadeira História da Bailarina de Vermelho (Alessandra Colasanti e Samir Abujanra, RJ,15’)

26/11
Enquadro episódio 2: Tiaguinho da Redenção (Casadalapa, SP, 26’)
Cellphone (Daniel Lisboa, BA)
Museu dos Corações Partidos (Inês Cardoso, SP,15’)

PERFORMANCES
De 26 a 28/11
Espaço Expositivo, às 20h

26/11
Sequenze, de Raimo Benedetti., SP,
27/11
Storm, de Luiz duVa, SP
28/11
Pelas Fendas, de Sandro Canavezzi de Abreu, MG


SERVIÇO
Mostra Rumos Cinema e Vídeo 2009/2011 – Linguagens Expandidas
Apresentação dos 21 trabalhos selecionados

22/11
Abertura para convidados
Às 20h
De 23/11 a 5/12
Exposição
Filme e vídeo experimental, Evento multimídia e Documentário para web
Espaço Expositivo
De terça a sexta, das 9h às 21h
De 23 a 26/11
Mostra de Filmes e Vídeos Experimentais
Sala de Cienma P.F.Gastal
Às 17h
De 26 a 28/11
Performances
Espaço Expositivo
Às 20h

Classificação indicativa: 14 anos
Entrada franca (ingresso distribuído com meia hora de antecedência)

Centro Cultural Usina do Gasômetro
Avenida Presidente João Goulart, 551
Fones: 55 3289-8111
Email: usina@smc.prefpoa.com.br


Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô
Fones: 11. 2168-1776/1777
https://correio.itau.com.br/exchweb/bin/redir.asp?URL=https://correio.itau.com.br/exchweb/bin/redir.asp?URL=http://www.itaucultural.org.br/
www.twitter.com/itaucultural
www.facebook.com/itaucultural
www.youtube.com/itaucultural
www.flickr.com/itaucultural

Informações para a imprensa:
Conteúdo Comunicação
Tel.: 11.5056-9800
Roberta Montanari: roberta.montanari@conteudonet.com
Fernanda Assef: fernanda.assef@conteudonet.com
Jessica Orlandi: jessica.orlandi@conteudonet.com
Cristina R. Durán: cristina.duran@conteudonet.com
No Itaú Cultural
Larissa Corrêa: larissa.correa@mailer.com.br
Tel.: 11.2168 -1950
Fundação Clóvis Salgado
Carolina Mayrink - carolina.oliveira@palaciodasartes.com.br
Laura Barbosa – laura.barbosa@palaciodasartes.com.br
31 – 3236-7378 / 7379

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Mostra de Filmes do coletivo Avalanche segue em Cartaz, agora acompanhada de 2 exposições

Um dos mais atuantes coletivos de artistas da capital gaúcha, a Avalanche ganha espaço na Usina do Gasômetro a partir de convite da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal da Cultura. Além de uma mostra de filmes, iniciada já na semana passada e que se estende até 28 de novembro, a Avalanche inaugura no dia 25 de novembro, quinta-feira, às 19h, duas exposições na Usina, uma na Galeria dos Arcos (no térreo) e outra na Galeria Lunara (5º andar). No mesmo dia, às 21h, a Avalanche lança na Sala P. F. Gastal o seu novo curta, A Mão do Homem Morto, de Matheus Walter e Virgínia Simone, produzido especialmente para a mostra. Esta ocupação de espaços, que atende pelo título Paraísos Perdidos Século XX, é uma oportunidade de ver em ação este criativo e irrequieto grupo de artistas, capitaneado por Virgínia Simone e Matheus Walter (posto antes dividido com Gus Jahn e Melissa Dullius, atualmente radicados em Berlim).

Uma produtora de filmes realizados em bitolas arcaicas como o Super-8 e o 16mm ou um grupo de jovens de aparência insondável, que circulam pela cidade sem pertencer em verdade a nenhum de seus guetos senão ao seu próprio ninho, sito à baixada da rua Santo Antônio? Inclassificável a priori, a Avalanche poderá ter na presente mostra suas criações conferidas em todas as suas frentes e ao mesmo tempo, permitindo ao público um contato amplo com o universo sui generis promovido por seus integrantes. Para além do desgastado rótulo underground, e muito aquém do temerário mainstream, a Avalanche opera e transita entre múltiplas esferas: do cinema à moda, da música ao décor, da fotografia à memorabilia, da festa à labuta. Suas obras apóiam-se em fundamentos estéticos tão variados quanto os registros temporais de suas narrativas audiovisuais.


A mostra de filmes na Sala P. F. Gastal inclui desde trabalhos assinados pelo grupo, reunidos nos programas Avalanche 1 e Avalanche 2, até uma seleção de títulos que lhes são inspiradores, com destaque para obras de sabor setentista como Tubarão, de Steven Spielberg, All That Jazz, de Bob Fosse, e Stroszek, de Werner Herzog; o piloto da cultuada série televisiva Twin Peaks,

de David Lynch; ou raridades como o documentário Downtown 81, sobre o artista norte-americano Basquiat, e o filme de culto inglês Um Beatle no Paraíso, estrelado por Ringo Starr, Peter Sellers, Raquel Welch e Christopher Lee. Em 10 de dezembro, a Avalanche promove ainda na Sala P. F. Gastal uma edição especial do projeto Rock no Cinema. Em sua última semana, a mostra divide horários na Sala P. F. Gastal com a programação do Rumos Cinema e Vídeo do Itaú Cultural e do III Festival Escolar de Cinema (conferir abaixo a grade de horários).

Programação Mostra de Filmes

Tubarão (Jaws), de Steven Spielberg (EUA, 1975)
Lua de Papel (Paper Moon), de Peter Bogdanovich (EUA, 1973)

Os Desajustados (The Misfits), de John Huston (EUA, 1961)

All That Jazz, de Bob Fosse (EUA, 1979)

Stroszek, de Werner Herzog (Alemanha, 1977)

Twin Peaks – A Série (Episódio Piloto), de David Lynch (EUA, 1990)

Um Beatle no Paraíso (The Magic Christian), de Joseph McGrath (Inglaterra, 1969)


The Music of Harry Nilsson

Downtown 81 (a.k.a New York Beat Movie) Edo Bertoglio (1980/1981)


Sessão Avalanche 1


Éternau, de Gustavo Jahn (2006)
Siempre Unidos, de Virginia Simone & Matheus Walter (2009)
Os Boçais, de Lufe Bollini (2007)
O Cotidiano do Ovo de Codorna, de Lia Letícia (2008)
Don’t Look Back, Gustavo Jahn & Melissa Dullius (2009)


Sessão Avalanche 2
A Mão do Homem Morto, de Virginia Simone & Matheus Walter (2010)
Tri Massa: POA na Choque, de Virginia Simone & Matheus Walter (2008)
Aos Pés, de Zeca Brito (2008)
Muita Calma Nessa Hora, de Frederico Ruas (2010)
Crosstar, de Rochele Zandavalli (2009)


Grade de Horários
Semana de 22 a 28 de novembro de 2010


22 de novembro (segunda-feira)
20:00 – Lançamento do filme Alquimia da Velocidade, de Arthur Omar, com a presença do diretor (abertura do Rumos Cinema e Vídeo 2010)

23 de novembro (terça-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Mostra Rumos Cinema e Vídeo – Linguagens Expandidas (Desassossego – Filme das Maravilhas) – 54 minutos

18:00 – Um Beatle no Paraíso
19:30 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)

24 de novembro (quarta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Mostra Rumos Cinema e Vídeo – Linguagens Expandidas (Documentários para Web) – 48 minutos
18:00 – Downtown 81
19:15 – All That Jazz

25 de novembro (quinta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Mostra Rumos Cinema e Vídeo – Linguagens Expandidas (Filmes e Vídeos Experimentais) – 57 minutos

18:00 – The Music of Harry Nilsson
19:00 – Um Céu de Estrelas, seguido de debate sobre violência contra a mulher
21:00 – Lançamento do curta A Mão do Homem Morto, de Virgínia Simone e Matheus Walter

26 de novembro (sexta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Mostra Rumos Cinema e Vídeo – Linguagens Expandidas (Filmes e Vídeos Experimentais) – 56 minutos
18:00 – Downtown 81
19:15 – Twin Peaks – Episódio Piloto

27 de novembro (sábado)
15:00 – Tubarão
17:00 – Mostra Descentralização da Cultura
19:00 – Mostra Descentralização da Cultura

28 de novembro (domingo)
15:00 – The Music of Harry Nilsson + Downtown 81
17:00 – Um Beatle no Paraíso
19:00 – Sessão Avalanche 2

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sala P.F. Gastal recebe mostra de filmes com curadoria do coletivo Avalanche

Um dos mais atuantes e criativos coletivos de artistas da capital, a Avalanche ganha espaço na Usina do Gasômetro a partir da próxima semana, a partir de convite da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal da Cultura. Hoje capitaneado por Virgínia Simone e Matheus Walter (posto antes dividido com Gus Jahn e Melissa Dullius, atualmente radicados em Berlim), a Avalanche irá expor simultaneamente nos três espaços comandados pela CCVF na Usina, a Galeria dos Arcos, a Galeria Lunara e a Sala P. F. Gastal, numa mostra que atende pelo título Paraísos Perdidos Século XX. A programação tem início na terça-feira, 16 de novembro, com uma mostra de filmes na Sala P. F. Gastal, e no dia 25 de novembro inauguram as exposições do grupo na Galeria dos Arcos e na Galeria Lunara.


Uma produtora de filmes realizados em bitolas arcaicas como o Super-8 e o 16mm ou um grupo de jovens de aparência insondável, que circulam pela cidade sem pertencer em verdade a nenhum de seus guetos senão ao seu próprio ninho, sito à baixada da rua Santo Antônio? Inclassificável a priori, a Avalanche poderá ter na presente mostra suas ações conferidas em todas as suas frentes e ao mesmo tempo, permitindo ao público um contato amplo com o universo sui generis promovido por seus integrantes. Para além do desgastado rótulo underground, e muito aquém do temerário mainstream, a Avalanche opera e transita entre múltiplas esferas: do cinema à moda, da música ao décor, da fotografia à memorabilia, da festa à labuta. Suas obras apóiam-se em fundamentos estéticos tão variados quanto os registros temporais de suas narrativas audiovisuais.
A mostra de filmes inclui desde trabalhos assinados pelo grupo, reunidos nos programas Avalanche 1 e Avalanche 2, até uma seleção de títulos que lhes são inspiradores, com destaque para obras de sabor setentista como Tubarão, de Steven Spielberg, Lua de Papel, de Peter Bogdanovich, e Stroszek, de Werner Herzog. Além disso, a Avalanche irá lançar seu novo curta A Mão do Homem Morto, de Matheus Walter e Virgínia Simone, produzido especialmente para a mostra.




Programação Mostra de Filmes

Tubarão (Jaws), de Steven Spielberg (EUA, 1975)
Lua de Papel (Paper Moon), de Peter Bogdanovich (EUA, 1973)
Os Desajustados (The Misfits), de John Huston (EUA, 1961)
All That Jazz, de Bob Fosse (EUA, 1979)
Stroszek, de Werner Herzog (Alemanha, 1977)
Downtown 81, de Edo Bertoglio (EUA, 1981)
Twin Peaks – A Série (Episódio Piloto), de David Lynch (EUA, 1990)
Um Beatle no Paraíso (The Magic Christian), de Joseph McGrath (Inaglaterra, 1969)

Programa Avalanche 1

Éternau, de Gustavo Jahn (2006)
Siempre Unidos, de Virginia Simone & Matheus Walter (2009)
Os Boçais, de Lufe Bollini (2007)
O Cotidiano do Ovo de Codorna, de Lia Letícia (2008)
Don’t Look Back, Gustavo Jahn & Melissa Dullius (2009)


Programa Avalanche 2

A Mão do Homem Morto, de Virginia Simone & Matheus Walter (2010)
Tri Massa: POA na Choque, de Virginia Simone & Matheus Walter (2008)
Aos Pés, de Zeca Brito (2008)
Muita Calma Nessa Hora, de Frederico Ruas (2010)
Crosstar, de Rochele Zandavalli (2009)

Nos outros horários seguem as sessões fechadas do Festival Escolar de Cinema.


GRADE DE HORÁRIOS
Primeira Semana (16 a 21 de novembro de 2010)

16 de novembro (terça-feira)
17:00 - Os Desajustados
19:00 - Tubarão

17 de novembro (quarta-feira)
17:00 - All That Jazz

18 de novembro (quinta-feira)
17:00 - The Music of Harry Nilsson
19:00 - Stroszek

19 de novembro (sexta-feira)
17:00 - Um Beatle no Paraíso
19:00 - Sessão Avalanche I

20 de novembro (sábado)
15:00 - Lua de Papel
17:00 - Um Beatle no Paraíso
19:00 - Tubarão

21 de novembro (domingo)
15:00 - Downtown 81
17:00 - Stroszek
19:00 - Lua de Papel

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Semana da Consciência Negra e Antes que o Mundo Acabe

A Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro realiza entre os dias 9 e 14 de novembro uma mostra reunindo diversos filmes relacionados à questão do preconceito racial, como parte das atividades desenvolvidas pela Secretaria Municipal da Cultura para marcar a passagem da Semana da Consciência Negra. A programação inclui dois longas brasileiros, A Negação do Brasil e Vida de Menina, além dos clássicos do cinema norte-americano O Sol Tornará a Brilhar e Adivinhe Quem Vem Para Jantar?, ambos estrelados por Sidney Poitier, o mais respeitado ator negro dos Estados Unidos.

A mostra tem o apoio da Programadora Brasil, projeto do Ministério da Cultura destinado à difusão de filmes brasileiros, e da distribuidora MPLC. Exibição em DVD. A entrada é franca.
Sábado e domingo, na sessão das 15h, a Sala P. F. Gastal exibe o longa gaúcho Antes que o Mundo Acabe, de Ana Luiza Azevedo.

Sinopses dos Filmes

A Negação do Brasil, de Joel Zito Araújo (Brasil, 2000, 91 minutos)

Uma minuciosa investigação e análise sobre a participação dos atores negros nas telenovelas brasileiras, no período 1963-1997.
Acompanha o curta Carolina, de Jeferson De.

Vida de Menina, de Helena Solberg (Brasil, 2005, 102 minutos)

Premiada adaptação dos diários de Helena Morley, menina de 13 anos que retratou as desigualdades e preconceitos do Brasil do século XIX. Vencedor de seis Kikitos no Festival de Gramado, incluindo melhor filme.

O Sol Tornará a Brilhar (A Raisin in the Sun), de Daniel Petrie (EUA, 1961, 128 minutos)
Uma família negra muda-se para uma casa num subúrbio cujos vizinhos são, em sua maioria, brancos. Um clássico do cinema americano, sobre a luta dos negros americanos contra décadas de discriminação, estrelado por Sidney Poitier, o grande ator negro dos Estados Unidos.

Adivinhe Quem Vem Para Jantar? (Guess Who’s Coming to Dinner), de Stanley Kramer (EUA, 1967, 108 minutos)

Joanna (Katharine Houghton), a bela filha de um editor liberal, Matthew Drayton (Spencer Tracy) e sua esposa aristocrata (Katharine Hepburn), retorna para casa com seu novo namorado, John Prentice (Sidney Poitier), um ilustre médico negro. A mãe aceita a decisão da filha de se casar com John, mas seu pai está chocado com essa união interracial; bem como os pais do médico. Para acertar as coisas, ambas as famílias devem sentar-se frente a frente e examinar os seus níveis de intolerância. Spencer Tracy e Katharine Hepburn (que foi premiada com o Oscar por sua atuação) estão inesquecíveis como os atônitos pais, neste filme de 1967 que é um marco sobre as questões de miscigenação racial no casamento.

Carolina, de Jeferson De (Brasil, 2003, 15 minutos)

A história da escritora Carolina Maria de Jesus, que vivia numa favela em São Paulo e alcançou sucesso internacional com o livro Quarto de Despejo. Prêmio de melhor curta-metragem no Festival de Gramado.


GRADE DE HORÁRIOS
9 a 14 de dezembro de 2010

9 de novembro (terça-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Vida de Menina
19:00 – Adivinhe Quem Vem Para Jantar?

10 de novembro (quarta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – O Sol Tornará a Brilhar
19:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)

11 de novembro (quinta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Adivinhe Quem Vem Para Jantar?
19:00 – Vida de Menina

12 de novembro (sexta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – A Negação do Brasil (acompanha o curta Carolina)
19:00 – Exibição do curta Carolina, seguido de apresentação de coral do CECUNE e de recital com o ator Sirmar Antunes

13 de novembro (sábado)
15:00 – Antes que o Mundo Acabe
17:00 – Vida de Menina
19:00 – O Sol Tornará a Brilhar

14 de novembro (domingo)
15:00 – Antes que o Mundo Acabe
17:00 – Adivinhe Quem Vem Para Jantar?
19:00 – A Negação do Brasil (acompanha o curta Carolina)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

VIVO ARTE.MOV na P.F.

A Sala P. F. Gastal inicia a sua primeira semana de novembro exibindo nos dias 2 (feriado de Finados) e 3, em todos os horários, a deliciosa comédia O Pequeno Nicolau, recente sucesso do cinema francês e uma das atrações do 3º Festival Escolar de Cinema, que tem levado alunos da rede pública municipal ao cinema da Usina do Gasômetro desde a metade de outubro (em sessões fechadas), através de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria Municipal da Cultura.

A partir de quinta-feira, dia 4 de novembro, a Sala P. F. Gastal recebe a programação do evento Vivo Arte.mov. Em sua quinta edição, o festival amplia sua atuação e desembarca em Porto Alegre no dia 3 de novembro, trazendo diferentes formas de arte impulsionadas por novas tecnologias. Evento pioneiro no Brasil na abordagem das novas manifestações artísticas estimuladas por avanços tecnológicos, o Vivo Arte.mov aborda as linguagens que surgem em um cenário de cruzamento entre vertentes das artes, vídeo e cinema, impulsionadas pela utilização de dispositivos móveis que escapam das telas tradicionais em direção ao espaço público. A edição de Porto Alegre também debate o papel das tecnologias em rede, e seu potencial agregador, através da realização de três simpósios, com a participação de nomes como André Parente, Elaine Tedesco, Lucas Bambozzi, Tapio Makela, Heidi Kumao, Matijn van Bomen e Lenara Verle, entre outros.

Além da Sala P. F. Gastal, a programação do Vivo Arte.mov irá se espalhar por diferentes espaços da Usina do Gasômetro. A abertura oficial é na quarta-feira, 3 de novembro, às 19h, com a apresentação da performance Gambiociclo (no andar térreo da Usina). A entrada é franca em todas as atividades, incluindo as sessões de cinema.
O Pequeno Nicolau (Le Petit Nicolas), de Laurent Tirard. França/Bélgica, 2009, 91 minutos.




Na França dos anos 50, o pequeno Nicolau leva uma vida feliz como filho único, dividindo-se entre os cuidados dos pais e a companhia de seus colegas de escola. Ao ver-se ameaçado pela provável gravidez da mãe, cria um plano mirabolante com a ajuda de seus amigos para livrar-se do futuro irmãozinho. Saborosa comédia francesa inspirada na popular série de livros da dupla Jean-Jacques Sempé e René Goscinny, este último também conhecido como um dos criadores do personagem Asterix.


GRADE DE HORÁRIOS
Semana de 2 a 7 de novembro de 2010


2 de novembro (terça-feira)
15:00 – O Pequeno Nicolau
17:00 – O Pequeno Nicolau
19:00 – O Pequeno Nicolau

3 de novembro (quarta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – O Pequeno Nicolau
19:00 – O Pequeno Nicolau

4 de novembro (quinta-feira)
Vivo Arte.mov
14:00 – Mostra Nacional 2006/2009
16:00 – Mostra Temática Nordeste
17:30 – Sonic Acts: Cinema Expandido
19:00 – Simpósio 1 (com Matijn van Boven, Lenara Verle, Eduardo Pelanda e Lucas Bambozzi)

5 de novembro (sexta-feira)
Vivo Arte.mov
14:00 – Disposable
15:30 – Mostra Temática Norte
17:00 – Hong Kong Mobile Film Festival
19:00 – Simpósio 2 (com Tapio Makela, Heidi Kumao, Letícia Ramos e Marcus Bastos)

6 de novembro (sábado)
Vivo Arte.mov
14:00 – Off Loop 2010
15:30 – Mostra Temática Sudeste
17:00 – Dot.Mov
19:00 – Simpósio 3 (com Santiago G. Navarro, Elaine Tedesco, André Parente e Rodrigo Minelli)

7 de novembro (domingo)
Vivo Arte.mov
14:00 – Mostra Nacional 2006/2009
16:00 – Arqueologia Digital Imediata
17:00 – Mostra Temática Sul (apresentação de Gustavo Spolidoro, seguida de debate)


PROGRAMAS VIVO ARTE.MOV

MOSTRA NACIONAL 2006/2009
Andorinhas
Auto-retratos quando vários
Brtld_bertoldo
Dead Pixel
Drive-(e:)
Hilda Replicante
Movietone Cara no Vidro
Pirulito / Loll ypop
Se estou certo, por que meu coração bate do lado errado?
Toró
Ant mov
Da série tartarugas no céu
Galaxão
Hoje vou beber Niemeyer
Inserções culinárias em circuitos ideológicos
Me //AT
O paradoxo da espera do ônibus
Sem título
Sens
Tocata e Fuga
Zoi
A carne de Ulisses
Esporos
Arquivo Morto
Calçadão
Coney Island Walk
Crisálidas (de bolso)
Entrelinhas
Frestinha
Memórias de um Celular
Pequenos Reparos
Vazio agudo
Centipede
Scasa
Sob Controle
Mídia Locativa
Pedra Mole em Água Dura
98001075056
Atlântico
Botões
Intimidade
Following the Light

Sonic Acts: Cinema Expandido
Rex
Grundlos
Ursonography
AH3
Somersault
Time out of Place
Building
Weekend
Tunnel Vision
Rotor

Disposable
Housse de Racket - "1234"
The Animated Heavy Metal Parking Lot
The Lost Tribes of New York City
Wood Smoke
Sour
Death the Dialogue
How to Google Maps
Cubism
Toilet Paper Animation
Home
My 60 Seconds Documentary About the Stuff What is in This Room
Hair and Diamonds: Exercise
Tak
Lucia
How to Make a Baby
Wolf and Pig
Memoirs of a Scanner
After the Rain
Monolife
Pretty Babby
Orson Whales

DotMov 2010
Bubly 023
Varfix
Soundsphere
1925 aka Hell
1923 aka Heaven (loop)
Runner's Poem
Natsu Wo Matte Imashita
Volcano
Bless
Embah
Inner Klange

OFF Loop 2010
AU
Walking to de sol
La Valise
Pardo es leo
In.soroll
Plastic
Video Borders-series tape#hair
Como
Epanalipsi (Repetición)
Palavras ao Interior
Days of Porcelain
The End

Hong Kong Mobile Festival
The Earth Game
Opportunity Knocks?
Sunshine
Away From Drugs (virus)
Faces
Planet 3 in 3HK
Tree
Imperfect Hong Kong
Invincible
Anti-Virus Boy
Happy Boy
Connected
Pulse
Illegal Sharing can't be a secret
Concrete City
CFSC-Alien Duncan
Don't Disturb Please
Select Your Life
Rhyme

ARQUEOLOGIA DIGITAL IMEDIATA
Lu Arembepe e Fabi Borges apresentada por Bastos/Lucas
Em trechos curtos histórias e personagens relevantes apresentam a história das aproximações mais recentes entre arte e ativismo


MOSTRAS TEMÁTICAS


NORDESTE/SALVADOR
Pombagira
Sensações Contrárias
Flash Happy Society
Plus Ultra
Vertigem
CUCETA - A Cultura Queer de Solange Tô Aberta
O Mundo de Janiele
Acredite nas suas Ações

NORTE/BELÉM
Ymá Nhandehetama
Raposa Serra do Sol – A luta continua
Viagem das Idéias

SUDESTE/BELO HORIZONTE
Pré-História
Translado
Alexandre Illich
1716
Cordis
Mobilete

SUL/PORTO ALEGRE
Um instante de Estática
Ginástica
Piknik
Projeto Vermelho
Sentinela
Impulso
Peço-lhe que volte e fique contente
Águas de Maio
Especulativo Móvel

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O melhor do INPUT 2010

Depois de realizar sua primeira semana no Instituto Goethe, a programação do Melhor do Input 2010 passa a acontecer na Sala P. F. Gastal a partir de terça-feira, 26 de outubro.


Realizado pelo nono ano consecutivo em Porto Alegre, graças a uma parceria entre o Instituto Goethe e Secretaria Municipal da Cultura, este ano a programação do Melhor do Input 2010 reúne 16 produções de 10 diferentes países (Alemanha, Rússia, França, Holanda, Itália, Suíça, Inglaterra, Polônia, Austrália e Bielorússia), distribuídas em sessões com entrada franca.

O INPUT é uma conferência anual que tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento de uma televisão de qualidade, a serviço da formação da cidadania, realizada já há 28 anos, sempre em países diferentes. O Input 2010 aconteceu em maio deste ano em Budapeste, na Hungria, e contou com a presença da produtora Alice Urbim, coordenadora nacional do Input no Brasil. Na ocasião, foram exibidos 80 programas de 29 países, e o que agora os porto-alegrenses irão assistir é uma seleção dos melhores títulos lá apresentados.


O grande destaque da programação 2010 é o polêmico e perturbador documentário suíço Tabu, dirigido por Orane Burri. Burri é uma jovem cineasta que recebeu de seu amigo Thomas, 20 anos, diversas horas de material filmado registrando seus últimos momentos de vida, desde o momento em que ele optou pelo suicídio até o seu gesto final. Dez anos após a morte de Thomas, Burri finalmente decidiu se confrontar com este material, que resultou num filme que traz uma abordagem corajosa sobre um dos temas mais controversos da atualidade, especialmente por sua insistente e inexplicável recorrência, inclusive na capital gaúcha: o suicídio entre jovens. A transmissão deste documentário pela televisão na Suíça (país em que um jovem se suicida a cada 72 horas) dividiu a audiência e provocou debates sobre a pertinência de veicular um programa dessa natureza, que eventualmente pode incentivar outros jovens a repetirem o mesmo gesto de Thomas.


SINOPSES


O Menino e o Monstro (Der Kleine und das Biest), de Johannes Weiland e Uwe Heidschötter
Alemanha, 2009, 6 minutos
Curta-metragem de animação sobre menino que acredita que sua mãe é um monstro.

Tabu (Tabou), de Orane Burri
Suíça, 2008, 52 minutos
Thomas, 20 anos, deseja acabar com a sua vida. Decide, então, filmar seus últimos meses. Uma herança que ele deixa à sua amiga Orane Burri. Dez anos após o suicídio de Thomas, Burri se confronta com este material já na condição de cineasta.

A Festa da Nossa Rua (The Feast on Our Street), de Marcin Smialowski
Bielorússia, 2008, 22 minutos
Um documentário observacional sobre os habitantes de uma rua numa cidade da Bielorússia.

Cenas da Vida Íntima de Natalya Rasstrigina (Fragmenty Intimnoy Jizni Natalyi Rasstriginoy), de Alexandr Belobokov
Rússia, 2009, 25 minutos
Um irônico documentário sem uma única sequência encenada, editado de forma absolutamente arbitrária.

50 Anos da Mulher Objeto (50 Años de la Mujer Cosa de Hombres), de Isabel Coixet
Espanha, 2009, 27 minutos
Documentário realizado a partir de imagens de arquivo que retratam o papel tradicional da mulher na sociedade espanhola, bem como a repercussão na mídia de crimes de violência contra o sexo feminino.

O Homem Viagra (De Viagraman), de Michael Schaap
Holanda, 2009, 50 minutos
Como uma pequena pílula conseguiu produzir uma nova revolução sexual? Documentário holandês que narra, com uma saudável dose de bom humor, a história da descoberta do “pequeno diamante azul” conhecido como Viagra. Um conto sobre virilidade, ansiedade e a condição do macho contemporâneo.

Contato (Contact), de Martin Butler e Bentley Dean Austrália/França, 2009, 52 minutos Impactante documentário com raras imagens de arquivo, pela primeira vez divulgadas, que revelam o primeiro contato de um grupo de mulheres aborígenes e seus filhos com a cultura européia.


Coelhos à Berlim (Mauerhase), de Bartek Konopka e Piotr Rosolowski
Alemanha, 2009, 39 minutos
O cotidiano absurdo de uma cidade dividida por muro sob a ótica dos coelhos. Um contundente e original documentário sobre coelhos e humanos, retratando um episódio real, embora, à primeira vista, absurdo.

Os Arquivos da Stasi de Hans Kramer (Dossier Stasi – Hans Kramer), de Heike Bachelier
França, 2009, 52 minutos
As denúncias de um antigo colaborador da Stasi (o serviço secreto de informações da antiga Alemanha Oriental) leva seu amigo à prisão, sob a acusação de crimes contra o Estado.

A Criança, a Morte e a Verdade (Das Kind, der Tod und die Wahrheit), de Esther Schapira e Georg M. Hafner
Alemanha, 2009, 53 minutos
Uma imagem que comoveu o mundo: um pai protege seu filho dos tiros trocados entre soldados israelenses e palestinos.

Esterhazy (Esterhazy), de Izabela Plucinska
Polônia, 2009, 23 minutos
O jovem coelho Esterhazy, da famosa Dinastia Esterhazy de Viena, é enviado a Berlim para encontrar uma companheira que vive nas proximidades do misterioso Muro de Berlim.

País das Maravilhas: Os Ingleses na Cama (Wonderland), de Philippa Robinson
Inglaterra, 2009, 60 minutos
Seis casais falam de modo franco e aberto sobre sexo, amor, infidelidade e casamento, em revelador documentário que desnuda os hábitos sexuais dos ingleses.

Como um Homem na Terra (Come um Uomo Sulla Terra), de Andrea Segre, Dagmawi Yimer e Riccardo Biadene
Itália, 2008, 60 minutos
Documentário que dá voz a um grupo de refugiados etíopes que vive em Roma, revelando os brutais meios de controle dos movimentos migratórios africanos por parte do governo da Líbia, auxiliado por fundos italianos, bem como de outros países da Europa.


Os Profissionais do Sexo no Paquistão (Musafirkhana), de Mohammed Anwerzada
Paquistão, 2008, 21 minutos
Um retrato sobre as marginalizadas comunidades de prostituição masculina no Paquistão.


24h Berlim: Um Dia na Vida (24h Berlin – Ein Tag im Leben), de Volker Heise
Alemanha, 2009, 40 minutos
Um dia na vida de Berlim e seus habitantes, através de imagens captadas por profissionais e amadores, de modo planejado ou espontâneo. Um ano depois, estas imagens foram exibidas na televisão, ao longo de 24 horas, sem interrupção. Este compacto de 40 minutos dá uma ideia do que foi o projeto, que registra para o futuro os movimentos de uma das metrópoles mais vibrantes do mundo, por ocasião do 20º aniversário da queda do Muro de Berlim.


O Futuro do Jornalismo – Quem Vai Pagar Por Ele? (Zukunft des Journalismus – Wer Soll das Bezahlen?), de Mario Sixtus
Alemanha, 2009, 12 minutos
A queda acentuada das tiragens de jornais diários e revistas aponta para um processo, ao que parece irreversível, de decadência do jornalismo impresso. No futuro em que cada vez mais as notícias irão circular pela Internet, quem irá sustentar os custos da atividade jornalística?


GRADE DE HORÁRIOS
26 a 31 de outubro de 2010



26 de outubro (terça-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Como um Homem na Terra (60’) + Contato (52’)
19:00 – O Menino e o Monstro (6’) + Tabu (52’) + A Festa da Nossa Rua (22’)

27 de outubro (quarta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – O Homem Viagra (50’) + País das Maravilhas: Os Ingleses na Cama (60’)
19:00 – Programação 8ª Semana Municipal de Capoeira

28 de outubro (quinta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – O Futuro do Jornalismo – Quem Vai Pagar Por Ele? (12’) + 24h Berlim – Um Dia na Vida (40’)
19:00 – Coelhos à Berlim (39’) + A Criança, a Morte e a Verdade (53’)

29 de outubro (sexta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Esterhazy (23’) + A Criança, a Morte e a Verdade (53’) + A Festa da Nossa Rua (22’)
19:00 – Programação 8ª Semana Municipal de Capoeira

30 de outubro (sábado)
15:00 – Programação 8ª Semana Municipal de Capoeira
17:00 – O Menino e o Monstro (6’) + Profissionais do Sexo no Paquistão (21’), sessão seguida de debate com representantes do grupo Somos
19:00 – Coelhos à Berlim (39’) + Os Arquivos da Stasi de Hans Kramer (52’)

31 de outubro (domingo)
15:00 – Programação 8ª Semana Municipal de Capoeira
17:00 – O Menino e o Monstro (6’) + 50 Anos da Mulher Objeto (27’) + O Homem Viagra (50’)
19:00 – Cenas da Vida Íntima de Natalya Rasstrigina (25’) + Tabu (52’)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sala P. F. Gastal apresenta primeiros episódios da cultuada série Perdidos no Espaço

No próximo sábado, dia 23 de outubro, às 17h, a Sala P. F. Gastal da se integra à programação do Jedicon Rio Grande do Sul 2010, tradicional encontro anual que reúne fãs da série Guerra nas Estrelas e do gênero ficção-científica. Na ocasião, serão exibidos os dois primeiros episódios da primeira temporada da cultuada série de televisão Perdidos no Espaço (Lost in Space).A saga intergaláctica de maior sucesso nos anos 60, Perdidos no Espaço foi criada pelo produtor Irwin Allen e durou três temporadas (de 1965 a 1968), conquistando milhares de fãs ao redor do mundo com as aventuras da família Robinson, do Dr. Smith e do simpático robô, perdidos no espaço após um problema técnico em sua nave. No sábado, os fãs da série terão a rara oportunidade de assistir na tela grande ao piloto da série, O Clandestino Teimoso (The Reluctant Stowaway), seguido do seu segundo episódio A Nave Fantasma (The Derelict), ainda produzidos em preto e branco (somente a segunda e a terceira temporada seriam a cores).
Cada episódio tem duração de 60 minutos.
A sessão é aberta ao público e tem entrada franca.

Perdidos no Espaço (Lost in Space)
Primeira temporada
Episódios O Clandestino Teimoso (The Reluctant Stowaway), de Anton Leader, e
A Nave Fantasma (The Derelict), de Alexander Singer.

Com Guy Williams, June Lockhart, Jonathan Harris, Bill Mumy, Mark Goddard, Marta Kristen e Angela Cartwright.
EUA, 1965. Preto e branco.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

3° Festival Escolar de Cinema movimenta a P F Gastal a partir de 19 de outubro


3º FESTIVAL ESCOLAR DE CINEMA
PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO AUDIOVISUAL 2010
SALA P. F. GASTAL USINA DO GASÔMETRO

DE 19 DE OUTUBRO A 23 DE NOVEMBRO DE 2010

Pelo terceiro ano consecutivo, A Sala P. F. Gastal recebe a programação do Festival Escolar de Cinema, que é uma das ações inseridas no programa de Alfabetização Audiovisual, desenvolvido através de uma parceria entre a Secretaria Municipal da Cultura e a Secretaria Municipal da Educação. Este programa vem estimulando os professores e alunos da Rede Pública Municipal a incorporar o cinema e a fotografia no seu processo pedaógico, com resultados cada vez mais promissores.
Entre 19 de Outubro e 23 de novembro, estudantes de diferentes níveis da Rede Escolar Municipal terão acesso a uma programação de filmes cuidadosamente selecionados, que lhe proporcionarão uma viagem de diversão e conhecimento pelo mundo do cinema.

Para conhecer mais sobre o projeto e conferir toda a programação do festival, acesse o blog do projeto http://www.alfabetizacaoaudiovisual.blogspot.com/

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Última semana de documentários sobre Mercedes Sosa

No mês que marca o primeiro ano da morte da cantora argentina Mercedes Sosa, a Sala P. F. Gastal segue exibindo uma pequena mostra reunindo dois documentários sobre este ícone musical da América Latina.

A iniciativa de lançar este programa duplo no mercado brasileiro é da distribuidora Zapata Filmes, em parceria com a Cinema 7 Films da Argentina, SONY Music e AMERICINE. A mostra inclui o já clássico Como um Pássaro Livre, de 1983, que marca o retorno do exílio de Mercedes Sosa à Argentina, e Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima, que acompanha o derradeiro trabalho musical da artista antes de sua morte.

Esta mostra especial está sendo programada por meio da rede de distribuição da Zapata Filmes em diferentes países do continente e em várias mídias (cinema, televisão e DVD, em exibição simultânea), seguindo o mesmo modelo de outros filmes lançados pela empresa do diretor colombiano (radicado em Porto Alegre) Juan Zapata em anos anteriores, privilegiando assim o público que por gerações acompanhou a brilhante carreira da cantora argentina.

Ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00.

Os filmes sobre Mercedes Sosa dividem horário com a programação do III Festival Escolar de Cinema, que tem sessões fechadas para alunos da rede pública municipal.


SINOPSES

Como um Pássaro Livre (Como un Pajaro Libre), de Ricardo Wullicher (Argentina, 1983, 67 minutos)

Com Mercedes Sosa, Charly García, León Gieco, Ariel Ramírez e Antonio Tarragó Ros.
Um clássico do cinema documentário argentino que marca o retorno do exílio daquela que é considerada a maior cantora da Argentina, Mercedes Sosa, em 1982. No filme, Mercedes Sosa conta aspectos de sua vida ilustrados com imagens registradas em diversos recitais. O documentário inclui o registro de músicas como La Masa, Guitarra Enlunarada, Como la Cigarra, Cuando Tenga la Tierra e Alfonsina y el Mar, entre outras célebres canções do repertório da artista.

Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima (Mercedes Sosa, Cantante – Un Viaje Íntimo), de Rodrigo Vila (Argentina, 2008, 120 minutos)

Documentário que registra o último trabalho musical de Mercedes Sosa. Seus encontros, emotivas coincidências, momentos criativos, cumplicidades, testemunhos dos artistas que participaram deste trabalho musical e reflexões de Mercedes sobre sua vida. O documentário é um reflexo da intimidade da artista em seu momento criativo, retratando aquilo que não se pode ver, mas se sente quando escutamos sua música. Juan Manuel Serrat, Shakira, Caetano Veloso, Julieta Venegas, León Gieco, Teresa Parodi, Gustavo Cerati, Charly García, René Pérez, Fito Páez, Lila Downs e Daniela Mercury foram alguns dos mais de 40 artistas que participaram desta gravação de caráter épico. O documentário de Rodrigo Vila transcorre nas salas de gravação onde Mercedes Sosa interpretou junto a estes artistas as canções que compõem seu último álbum, Cantora. Uma viagem musical e humana, na qual Mercedes esquece a presença das câmaras e se deixa levar pela emoção da interpretação, às vezes rindo, às vezes chorando. Sua relação com cada artista está explícita, amigos, velhos companheiros de rota e novas figuras da música contemporânea que vivem a adrenalina de gravar uma canção pela primeira vez com um ícone da música latina. Momentos íntimos que refletem também as razões de Mercedes na escolha do repertório e dos artistas que a acompanharam neste último trabalho. Somado a isto, o documentário está pontuado por duas entrevistas únicas realizadas com Mercedes na sua casa meses antes de sua partida.



GRADE DE HORÁRIOS
19 a 24 de outubro de 2010


19 de outubro (terça-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:30 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)

20 de outubro (quarta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

21 de outubro (quinta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:30 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

22 de outubro (sexta-feira)
15:00 – III Festival Escolar de Cinema (sessão fechada)
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

23 de outubro (sábado)
15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Sessão especial Jedicom (aguarde divulgação)
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

24 de outubro (domingo)
15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Mercedes Sosa segue em cartaz

A Sala P. F. Gastal segue exibindo esta semana uma pequena mostra reunindo dois documentários sobre este ícone musical da América Latina.


A iniciativa de lançar este programa duplo no mercado brasileiro é da distribuidora Zapata Filmes, em parceria com a Cinema 7 Films da Argentina, SONY Music e AMERICINE.
A mostra inclui o já clássico Como um Pássaro Livre, de 1983, que marca o retorno do exílio de Mercedes Sosa à Argentina, e Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima, que acompanha o derradeiro trabalho musical da artista antes de sua morte.

Ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00.

E na quarta-feira, 13 de outubro, às 19h30, a Sala P. F. Gastal promove uma única sessão do filme Quien Dijo Miedo, sobre o golpe de estado em Honduras, dirigido pela cineasta mexicana Katia Lara.


O filme acompanha a resistência da população de Honduras que saiu às ruas para resistir ao golpe de Estado que derrubou o então presidente Manuel Zelaya, em 28 de junho de 2009. O documentário segue a participação do ator amador René, personagem central do filme, nas mobilizações e enfrentamentos que se seguiram ao golpe. Lançado em junho deste ano, e já exibido na França, México e Argentina, o documentário terá exibição única em Porto Alegre, promovida pelo blog Alter-Latina (www.alter-latina.com/blog).
Após a sessão haverá debate com a participação dos professores Jorge Quillfeldt (UFRGS) e Bruno Lima Rocha (UNISINOS).
A entrada é franca.
Retirada de senhas a partir das 19h.
Quien Dijo Miedo, de Katia Lara. Honduras/Argentina, 2010. Duração: 108 minutos. Digital. Exibição em DVD.



GRADE DE HORÁRIOS
Semana de 12 a 17 de outubro de 2010



12 de outubro (terça-feira)
15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

13 de outubro (quarta-feira)
15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:30 – Sessão especial do filme Quien Dijo Miedo (entrada franca)

14 de outubro (quinta-feira)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

15 de outubro (sexta-feira)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

16 de outubro (sábado)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

17 de outubro (domingo)
15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Documentários sobre Mercedes Sosa na Sala P F Gastal

Em outubro, mês que marca o primeiro ano da morte da cantora argentina Mercedes Sosa, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro coloca em cartaz uma pequena mostra reunindo dois documentários sobre este ícone musical da América Latina. A iniciativa de lançar este programa duplo no mercado brasileiro é da distribuidora Zapata Filmes, em parceria com a Cinema 7 Films da Argentina, SONY Music e AMERICINE.
A mostra inclui o já clássico Como um Pássaro Livre, de 1983, que marca o retorno do
exílio de Mercedes Sosa à Argentina, e Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima, que acompanha o derradeiro trabalho musical da artista antes de sua morte. Esta mostra especial está sendo programada por meio da rede de distribuição da Zapata Filmes em diferentes países do continente e em várias mídias (cinema, televisão e DVD, em exibição simultânea), seguindo o mesmo modelo de outros filmes lançados pela empresa do diretor colombiano (radicado em Porto Alegre) Juan Zapata em anos anteriores, privilegiando assim o público que por gerações acompanhou a brilhante carreira da cantora argentina.

Como um Pássaro Livre poderá ser visto a partir de 5 de outubro na sessão das 17h e Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima estará em exibição nas sessões das 15h e 19h. Ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00.

SINOPSES
Como um Pássaro Livre (Como un Pajaro Libre), de Ricardo Wullicher (Argentina, 1983, 67 minutos)
Com Mercedes Sosa, Charly García, León Gieco, Ariel Ramírez e Antonio Tarragó Ros.
Um clássico do cinema documentário argentino que marca o retorno do exílio daquela que é considerada a maior cantora da Argentina, Mercedes Sosa, em 1982. No filme, Mercedes Sosa conta aspectos de sua vida ilustrados com imagens registradas em diversos recitais. O documentário inclui o registro de músicas como La Masa, Guitarra Enlunarada, Como la Cigarra, Cuando Tenga la Tierra e Alfonsina y el Mar, entre outras célebres canções do repertório da artista. Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima (Mercedes Sosa, Cantante – Un Viaje Íntimo), de Rodrigo Vila (Argentina, 2008, 120 minutos)

Documentário que registra o último trabalho musical de Mercedes Sosa. Seus encontros, emotivas coincidências, momentos criativos, cumplicidades, testemunhos dos artistas que participaram deste trabalho musical e reflexões de Mercedes sobre sua vida. O documentário é um reflexo da intimidade da artista em seu momento criativo, retratando aquilo que não se pode ver, mas se sente quando escutamos sua música. Juan Manuel Serrat, Shakira, Caetano Veloso, Julieta Venegas, León Gieco, Teresa Parodi, Gustavo Cerati, Charly García, René Pérez, Fito Páez, Lila Downs e Daniela Mercury foram alguns dos mais de 40 artistas que participaram desta gravação de caráter épico. O documentário de Rodrigo Vila transcorre nas salas de gravação onde Mercedes Sosa interpretou junto a estes artistas as canções que compõem seu último álbum, Cantora. Uma viagem musical e humana, na qual Mercedes esquece a presença das câmaras e se deixa levar pela emoção da interpretação, às vezes rindo, às vezes chorando. Sua relação com cada artista está explícita, amigos, velhos companheiros de rota e novas figuras da música contemporânea que vivem a adrenalina de gravar uma canção pela primeira vez com um ícone da música latina. Momentos íntimos que refletem também as razões de Mercedes na escolha do repertório e dos artistas que a acompanharam neste último trabalho. Somado a isto, o documentário está pontuado por duas entrevistas únicas realizadas com Mercedes na sua casa meses antes de sua partida.

GRADE DE HORÁRIOS

Primeira Semana - 5 a 10 de outubro de 2010


5 de outubro (terça-feira)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

6 de outubro (quarta-feira)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

7 de outubro (quinta-feira)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

8 de outubro (sexta-feira)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

9 de outubro (sábado)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

10 de outubro (domingo)

15:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima
17:00 – Como um Pássaro Livre
19:00 – Mercedes Sosa, Cantora – Uma Viagem Íntima

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

CENTENÁRIO DE KUROSAWA NA SALA P.F. GASTAL



Um dos gênios absolutos da história do cinema e o mais conhecido cineasta japonês no Ocidente, Akira Kurosawa nasceu em 1910. Este ano, portanto, comemora-se o seu centenário de nascimento, e para marcar a ocasião a Sala P. F. Gastal programou uma pequena mostra reunindo três de suas obras-primas: Rashomon, Trono Manchado de Sangue e Yojimbo.

Akira Kurosawa iniciou sua carreira em 1943, e ao longo de cinco décadas construiu uma sólida filmografia, encerrada em 1993, com Madadayo. Muito admirado pelos cineastas americanos, Kurosawa recebeu várias indicações ao Oscar de melhor filme estrangeiro, que venceria com Dersu Uzala (1975). Já na velhice, abalado pelo fracasso de público de seus filmes no Japão, conseguiu viabilizar produções de grande orçamento, graças ao auxílio financeiro de Francis Ford Coppola e George Lucas (em Kagemusha, a Sombra do Samurai, de 1980) e Martin Scorsese (em Sonhos, de 1990). Em 1990 recebeu um Oscar honorário pelo conjunto da sua obra.
A programação da mostra Kurosawa 100 Anos pode ser conferida na Sala P. F. Gastal até domingo, 3 de outubro, nos horários das 15h, 17h e 19h. Todos os filmes serão exibidos em cópias em 16mm, com legendas em português.


PROGRAMAÇÃO



Rashomon,
de Akira Kurosawa (Japão, 1950, 88 minutos)
Três homens se refugiam de uma tempestade sob as ruínas do portal de Rashomon, onde são colocados diante das diferentes versões de um crime, envolvendo a morte de um samurai e o estupro de sua esposa. Leão de Ouro no Festival de Veneza, foi o filme que abriu as portas para a divulgação do cinema japonês no Ocidente.




Trono Manchado de Sangue (Kumonosu-jô), de Akira Kurosawa (Japão, 1957, 110 minutos)
No Japão do século XVI, o país é agitado por guerras civis. Dois valentes samurais, os generais Washizu e Miki, regressam aos seus domínios depois de uma batalha vitoriosa. No caminho, uma misteriosa senhora profetiza o futuro de Washizu: o guerreiro se tornará o Senhor do Castelo do Norte. A partir daí, estimulado pela esposa ambiciosa, Washizu se vê imerso numa trágica e sangrenta luta pelo poder. Uma brilhante adaptação de Macbeth, de William Shakespeare, para o universo oriental.

Yojimbo, de Akira Kuosawa (Japão, 1961, 110 minutos)
Um samurai desempregado chega a um vilarejo em busca de emprego. A cidade está dividida entre dois mercadores rivais, e o samurai se oferece a ambos para prestar serviços nada leais. Comédia satírica que inspirou o clássico western Por Um Punhado de Dólares, de Sergio Leone.





GRADE DE HORÁRIOS
Semana de 28 de setembro a 3 de outubro de 2010


28 de setembro (terça-feira)
15:00 – Rashomon
17:00 – Trono Manchado de Sangue
19:00 – Yojimbo

29 de setembro (quarta-feira)
15:00 – Trono Manchado de Sangue
17:00 – Yojimbo
19:00 – Rashomon

30 de setembro (quinta-feira)
15:00 – Yojimbo
17:00 – Rashomon
19:00 – Trono Manchado de Sangue

1º de outubro (sexta-feira)
15:00 – Rashomon
17:00 – Trono Manchado de Sangue
19:00 – Yojimbo
2 de outubro (sábado)
15:00 – Trono Manchado de Sangue
17:00 – Yojimbo
19:00 – Rashomon

3 de outubro (domingo)
15:00 – Yojimbo
17:00 – Rashomon
19:00 – Trono Manchado de Sangue