segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Projeto Tela Brilhadora em exibição



A partir de terça-feira, 27 de setembro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) exibe o projeto Tela Brilhadora, idealizado pelo diretor Júlio Bressane, que reúne quatro filmes produzidos com baixo orçamento. A programação conta com as obras Garoto, de Bressane, O Prefeito, de Bruno SafadiO Espelho, de Rodrigo Lima, e Origem do Mundo, de Moa Batsow. O valor do ingresso é R$ 8,00. Exibição em HD. 

FILMES

Garoto
(Brasil, 2015, 75 minutos)

Inspirado no conto O Assassino Desinteressado Bill Harrigan, do escritor argentino Jorge Luis Borges, o filme acompanha um jovem casal que se encontra em um lugar encantado, onde experimentam uma aventura amorosa e espiritual. Tudo muda quando o rapaz, inesperadamente, comete um crime que conduz os dois à separação. No entanto, uma série de eventos inquietantes os reunirá mais uma vez.

Direção: Julio Bressane
Roteiro: Julio Bressane, Rosa Dias
Fotografia: Pepe Schettino
Montagem: Rodrigo Lima
Elenco: Marjorie Estiano, Gabriel Leone e Josie Antello
Produtor: Bruno Safadi



O Prefeito
(Brasil, 2015, 70 minutos)

O prefeito da cidade do Rio de Janeiro quer entrar para a história. Para tanto, decide separar o Rio do Brasil e fundar um novo país.

Diretor: Bruno Safadi
Roteiro: Bruno Safadi
Fotografia: Lucas Barbi, Edson Secco
Montagem: Ricardo Pretti
Elenco: Nizo Neto, Djin Sganzerla, Gustavo Novaes
Produtor: Bruno Safadi, Cabi Borges, Fernanda Romero







Origem do Mundo
(Brasil, 2015, 64 minutos)

Este documentário fantástico procura resgatar os registros pré-históricos brasileiros por meio da cultura popular, do folclore e das lendas ligadas ao assunto. Um olhar sobre a origem da nossa história conduzida por personagens reais, anciões do interior do Brasil, que mantêm os mitos passados por séculos nos pequenos grupos sociais. Com textos de Bernardo Silva Ramos, um dos pioneiros na descoberta e interpretação da arte rupestre.

Diretor: Moa Batsow
Roteiro: Moa Batsow, Jade Mariani
Fotografia: Moa Batsow, Jade Mariani
Montagem: Quito Ribeiro
Música: Guilherme Vaz
Produtor: Bruno Safadi



O Espelho
(Brasil, 2015, 65 minutos)

Um misterioso chamado atrai um homem até a porteira de um sitio abandonado. Uma mulher emerge do lodo, do fundo de um lago, um espelho d’água. Eles se encontram, se aproximam e um feitiço é lançado. Juntos, experimentam os maravilhosos encantos da alucinação, das lembranças, dos sonhos. Reflexos na água revelam segredos escondidos na natureza da alma. O Espelho é uma recriação do conto homônimo do escritor brasileiro Machado de Assis.

Direção: Rodrigo Lima
Roteiro: Rodrigo Lima
Fotografia: Pablo Hoffmann
Montagem: Rodrigo Lima
Música: Guilherme Vaz
Elenco: Ana Abbott, Augusto Madeira
Produtor: Fernanda Romero, Jura Capela







GRADE DE HORÁRIOS
27 de setembro a 2 de outubro de 2016

27 de setembro
17h30 – Origem do Mundo
19h – Garoto

28 de setembro
17h30 – O Espelho
19h – O Prefeito

29 de setembro
17h30 – Garoto
19h – Origem do Mundo

30 de setembro
17h30 – O Prefeito
19h – O Espelho
20h15 – Projeto Raros (Curtas-metragens de Curtis Harrington)

1 de outubro
10h30 – Cineclube Academia das Musas
17h30 – Origem do Mundo
19h – Garoto

2 de outubro
17h30 – O Espelho
19h – O Prefeito

sábado, 24 de setembro de 2016

Vanguarda e horror de Curtis Harrington no Projeto Raros




Na sexta-feira, 30 de setembro, às 20h15, o Projeto Raros da Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) apresenta uma seleção de curtas-metragens de Curtis Harrington, um dos nomes mais singulares da história do cinema de horror. Após a exibição, há debate com os pesquisadores Carlos Thomaz Albornoz e Paulo Blob. Com projeção digital e legendas em português traduzidas pelo pesquisador Carlos Primati, a sessão tem entrada franca.

O Projeto Raros introduz a Semana Curtis Harrington, que apresenta a partir do dia 4 de outubro uma programação de filmes em homenagem ao diretor, que completaria 90 anos neste mês. Em breve informações completas do ciclo.

CURTAS-METRAGENS DE CURTIS HARRINGTON

A trajetória cinematográfica de Curtis Harrington começa já na adolescência, na década de 1940, quando o garoto de quinze anos realiza em 1942 o curta amador The Fall of the House of Usher, baseado no clássico de Edgar Allan Poe.

Pouco depois, iniciava a amizade com grandes nomes da vanguarda da costa oeste americana, como Maya Deren e Kenneth Anger (em 1949 fez a direção de fotografia de Puce Moment, marco do cinema experimental), e de mestres do cinema clássico hollywoodiano, como James Whale e Joseph von Sternberg. Realizados nesse período, os curtas Fragment of Seeking, Picnic e On the Edge revelam as influências ao mesmo tempo em que introduzem o universo completamente pessoal que seria explorado com mais densidade por Curtis Harrington nos longas-metragens dos anos 1960 e 1970.

 
A sessão ainda apresenta The Assignation, filme dos anos 1950, rodado em Veneza, considerado perdido por muito tempo; The Wormwood Star, um estudo sobre a obra da pintora e ocultista Marjorie Cameron, The Four Elements, um ensaio poético produzido para o governo norte-americano; e Usher, o último filme de Harrington, um remake do curta de estreia, protagonizado por integrantes da Igreja de Satã.





SINOPSES

The Fall of the House of Usher (1942, 5 minutos)
Adaptação do conto de Edgar Allan Poe feito por Harrington aos quinze anos, quando estava na escola.

Fragment of Seeking (1946, 16 minutos)
Harrington interpreta um jovem homem que procura desesperadamente uma companhia feminina. Ele acaba descobrindo sua sexualidade através de uma exploração surreal. Realizado um ano antes de Fireworks de Kenneth Anger, com similaridades na abordagem do conteúdo homoerótico.

Picnic (1948, 22 minutos)
O comentário satírico da vida da classe-média americana ganha uma continuidade onírica onde o protagonista possui um objeto de desejo ilusório.

On the Edge (1949, 6 minutos)
Nessa frágil mas assustadora fantasia poética, em uma paisagem industrial sombria, Harrington elenca sua mãe e seu pai nos papéis principais.

The Assignation (1953, 8 minutos)
Considerado perdido por muito tempo, esse foi o primeiro filme colorido de Harrington. Foi rodado em Veneza assim como  Fragment of Seeking, acompanha uma figura mascarada pelos canais labirínticos da cidade, concluindo num clímax espetacular.  

The Wormwood Star (1955, 10 minutos)
Um estudo fílmico sobre o trabalho da famosa pintora, oculista e entusiasta de Aleister Crowley, Marjorie Cameron.

The Four Elements (1966, 13 minutos)
Documentário poético e vanguardista feito para a Agência de Informação do Governo dos Estados Unidos.  

Usher (2002, 38 minutos)
O último filme de Harrington é um remake de um curta que ele fez no colégio, baseado na clássica história de Edgar Allan Poe. Aqui ele novamente expressa seu interesse no oculto, ao colocar no filme membros conhecidos da Igreja de Satã, Nikolas and Zeena Schreck.


PROJETO RAROS
30-09 – 20h15
Curtas-metragens de Curtis Harrington

The Fall of the House of Usher, Fragment of Seeking, Picnic, On the Edge, The Assignation, The Wormwood Star, The Four Elements, Usher

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Ciclo de Cinema Gauchesco




A partir de 13 de setembro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) recebe o Ciclo de Cinema Gauchesco, com obras argentinas e brasileiras que apresentam narrativas sobre a cultura gaucha, aproximando as tradições da Argentina e do Rio Grande do Sul. O valor do ingresso é R$ 4,00.

Entre os filmes exibidos, estão Contos Gauchescos, de Henrique de Freitas Lima e Pedro Zimmermann, uma celebração do universo do escritor Simões Lopes Neto, obras argentinas como O Deserto Negro, de Gaspar Scheuer,  Don Segundo Sombra, de Manuel Antín,Aballay, O Homem Sem Medo, de Fernando Spiner, e uma edição do Projeto Raros com o cultuado O Gaúcho de Jacques Tourneur.


Ciclo de Cinema Gauchesco surge como uma iniciativa do Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre, da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, do Instituto Estadual de Cinema de Rio Grande do Sul e da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria de Cultura de Porto Alegre de celebrar em parceria neste ano de 2016 a cultura gaucha/gaúcha que irmana a Argentina e o Rio Grande do Sul. Durante o presente ano, a Argentina celebra os 200 anos da Declaração de sua Independência e o Rio Grande do Sul lembra o centenário do falecimento do escritor tradicionalista Simões Lopes Neto. Projetar de maneira simultânea no Acampamento Farroupilha, na Cinemateca Paulo Amorim, na Sala P. F. Gastal e na Cinemateca Capitólio um ciclo de cinema sobre a temática gauchesca formado por filmes de ambas as margens do Rio Uruguai é uma forma de homenagear estas datas simbólicas durante a semana gaúcha por excelência: a Semana Farroupilha.

GRADE DE PROGRAMAÇÃO

Don Segundo Sombra
Direção: Manuel Antín,
(Don Segundo Sombra, 1969, 105 min.)  

Um relato ocorrido nos pampas argentinos onde Fábio Cáceres recorda dos tempos de criança e juventude no campo ao lado se “seu padrinho” Don Segundo Sombra, um gaúcho solitário pelo qual Fábio seguirá seus passos pela forte admiração e de onde aprenderá sobre o orgulho de ser gaúcho. Exibição em DVD sem legendas.

Contos Gauchescos
Direção: Henrique de Freitas Lima e Pedro Zimmermann
(2012, 100 minutos)

O tropeiro leal e valoroso Blau Nunes (Pedro Machado) conduz os espectadores por cinco episódios, que misturam ficção e documentário: o documentário sobre a vida e o legado do escritor, que abre o filme, e as adaptações dos contos Os Cabelos da China, Jogo do Osso, Contrabandista e No Manantial. Exibição em DVD.

O Gaúcho
Direção: Jacques Tourneur
(Way of Gaucho, 1952, 90 minutos)

Argentina, década de 1870. Um rico latifundiário, Don Miguel Aleondo (Hugh Marlowe), voltou de Buenos Aires para as pastagens infinitas conhecidas como pampas, para trazer ainda mais civilização de influência europeia ao seu país recém-unificado. Para os gaúchos, contudo, os selvagens, cowboys orgulhosos e violentos que vivem uma existência nômade a cuidar do gado, este desenvolvimento acabará por significar a sua destruição. Exibição digital com legendas em português no Projeto Raros.

Martín Fierro
Direção: Liliana Romero e Roberto Fontanarrosa (animação).
(Martín Fierro, 2007, 87 min.)
O filme, com desenhos animados do celebre desenhista rosarino Roberto Fontanarrosa, revisita a primeira parte do livro nacional clássico da literatura gauchesca, o Martín Fierro, escrito por José Hernández em 1872. Exibição em DVD.

O Deserto Negro
Direção: Gaspar Scheuer
(El Desierto Negro, 2007, 91 min.)

O filme conta a historia de um fugitivo perseguido por um grupo de soldados. A perseguição fica registrada por marcas deixadas e decifradas por rastreadores. Com o passar dos dias o caso vai se esclarecendo: o “réu” teria cometido algo terrível no passado e a um jovem soldado lhe cabe a duvidosa glória de enfrentá-lo e matá-lo. Exibição em DVD.

El Grito en la Sangre
Direção: Fernando Musa
(El Grito en la Sangre, 2012, 97 minutos)

El grito en la sangre é uma adaptação do romance Sapucay, de Horacio Guarany, de 1952. Em algum lugar do interior da Argentina, a crença popular sustêm que quando um homem morre traído, ele deve ser vingado por seu primogênito, para que sua alma descanse em paz. Exibição em DVD sem legendas.

Aballay, O Homem Sem Medo
Direção: Fernando Spiner
(Aballay, El Hombre Sin Miedo, 2011, 100 min.)

Baseado no conto Aballay, de Antonio Di Benedetto, Fernando Spiner transpõe fielmente a história da busca de Aballay, um pobre menino, pelo assassino de seu pai. A história se passa dez anos após o crime, quando Aballay já tornou “homem feito”. No filme Spiner cria uma série de personagens fundamentais para a construção da narrativa, um “western-gauchescho”.  Exibição em DVD.

Samurai
Direcao: Gaspar Scheuer
(Samurai, 2012, 96 min. )

Nos finais do século XIX a casta Samurai é abolida do Japao. Saigo, líder da ultima casta de samurais inicia uma rebelião, mas seu exercito é massacrado.  Uma família japonesa busca exílio na Argentina e o avo da família delira obcecado que Saigo está por perto montando um novo exercito para combater o Império.  Takeo, seu neto, se apega aos delírios do avo e se rebela fugindo de sua casa no campo em busca de Saigo, com a convicção de encontra-lo nessas novas terras.  Exibição em DVD.

GRADE DE HORÁRIOS
13 a 18 de setembro

13 de setembro (terça)
17h – Don Segundo Sombra
19h – Aballay, O Homem Sem Medo

14 de setembro (quarta)
20h – Sessão de lançamento de Som Sem Sentido, de Gabriela Bervian

15 de setembro (quinta)
17h – Aballay, O Homem Sem Medo
19h – Don Segundo Sombra

16 de setembro (sexta)
17h – Aballay, O Homem Sem Medo
19h – O Deserto Negro

17 de setembro (sábado)
16h – Sessão Plataforma (Terra Natal – Iraque Ano Zero, de Abbas Fahdel)

18 de setembro (domingo)
17h – O Deserto Negro
19h – Contos Gauchescos

20 de setembro (terça)
17h – Samurai
19h – El Grito en la Sangre

21 de setembro (quarta)
17h – El Grito en la Sangre
19h – Martin Fierro, La Pelicula

22 de setembro (quinta)
17h – Contos Gauchescos
19h – O Deserto Negro

23 de setembro (sexta)
17h – Samurai
20h – Projeto Raros (O Gaúcho, de Jacques Tourneur)

24 de setembro (sábado)
16h – Sessão Plataforma (Terra Natal – Iraque Ano Zero, de Abbas Fahdel)

25 de setembro (domingo)
17h – Samurai
19h – Martin Fierro, La Pelicula

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Sessão Plataforma apresenta Terra Natal - Iraque Ano Zero de Abbas Fahdel




Sessão Plataforma exibe na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) o documentário Terra Natal – Iraque Ano Zero, do diretor franco-iraquiano Abbas Fahdel, que narra em duas partes o cotidiano no Iraque antes e depois da invasão norte-americana. As sessões acontecem em dois sábados, 17 e 24 de setembro, sempre às 16h. O valor do ingresso é R$ 4,00.

Na “Parte I: Antes da queda” (duração 2h40), durante vários meses o diretor filmou um grupo de iraquianos, na sua maioria membros de sua própria família, em suas expectativas sobre a guerra. A primeira parte do filme se encerra com o início dos ataques norte-americanos a Bagdá. Na “Parte II: Após a batalha” (duração 2h54), os americanos invadem o Iraque, e o filme mostra as consequências da guerra no cotidiano dos personagens. 

Desde a sua estreia, o filme foi exibido e premiado em prestigiosos festivais no mundo todo, entre eles, Visions du Réel (Prêmio de Melhor Filme), CPH: Dox, Montreal (Prêmio de Melhor Filme), Göteborg, Ficunam (Prêmio de Melhor Filme – Júri Popular) etc. 

Abbas Fahdel é um diretor franco-iraquiano. Em 2002, filmou "Back to Babylon", uma investigação introspectiva sobre a dramática situação do Iraque. Em 2003, filmou seu segundo documentário, ‘We Iraqis’, sobre a caótica situação após a ocupação americana. Em 2008, dirigiu o longa ‘Dawn of the World’, sobre a Guerra do Golfo. "Terra Natal - Iraque Ano Zero" é seu mais recente filme.

Nesta edição do evento, a sessão e a reprise acontecerão aos sábados com exibição das duas partes do filme no mesmo dia, com intervalo entre elas. A Parte I inicia às 16h e a Parte II às 19h.

Serviço:
TERRA NATAL – IRAQUE ANO ZERO (Homeland - Iraq Year Zero)          
dir: Abbas Fahdel, 334min, IRA/FRA, 2015.          
Sessão 17 de setembro (sábado) – 16h
Única reprise 24 de setembro (sábado) - 16h
            


Local: Sala P. F. Gastal 
Ingresso: R$ 4,00
Projeção digital
Realização: Tokyo Filmes em parceria com a Coordenação de Cinema e Video da Prefeitura de Porto Alegre.
Apoio especial desta edição: Olhar de Cinema, Festival Internacional de Cinema de Curitiba

Sessão Plataforma é uma sessão de cinema, realizada desde agosto de 2013 na cidade de Porto Alegre (RS), que exibe filmes recentes e inéditos na cidade, de qualquer nacionalidade, duração e bitola, sem distribuição garantida no Brasil.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

O Gaúcho de Jacques Tourneur no Projeto Raros



Na sexta-feira, 23 de setembro, às 20h, o Projeto Raros da Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) exibe o filme O Gaúcho (Ways of a Gaucho, 1952, 90 minutos), de Jacques Tourneur. Com projeção digital e legendas em português, a sessão tem entrada franca.

A sessão faz parte do Ciclo de Cinema Gauchesco, uma iniciativa do Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre, da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, do Instituto Estadual de Cinema de Rio Grande do Sul e da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, que celebram neste ano de 2016 a cultura gaucha/gaúcha que irmana a Argentina e o Rio Grande do Sul, com exibições em três espaços da cidade, a Sala P. F. Gastal, a Cinemateca Capitólio e a Cinemateca Paulo Amorim.

O GAÚCHO

Argentina, década de 1870. Um rico latifundiário, Don Miguel Aleondo (Hugh Marlowe), voltou de Buenos Aires para as pastagens infinitas conhecidas como pampas, para trazer ainda mais civilização de influência europeia ao seu país recém-unificado. Para os gaúchos, contudo, os selvagens, cowboys orgulhosos e violentos que vivem uma existência nômade a cuidar do gado, este desenvolvimento acabará por significar a sua destruição.

PROJETO RAROS
23/09 - 20h
O GAÚCHO
(Ways of a Gaucho, 1952, 90 minutos)
Direção: Jacques Tourneur
Elenco: Gene Tierney, Rory Calhoun, Richard Boone, Hugh Marlowe.













GRADE DE HORÁRIOS
20 a 25 de setembro de 2016

20 de setembro (terça)
17h – Samurai
19h – El Grito en la Sangre

21 de setembro (quarta)
17h – El Grito en la Sangre
19h – Martin Fierro, La Pelicula

22 de setembro (quinta)
17h – Contos Gauchescos
19h – O Deserto Negro

23 de setembro (sexta)
17h – Samurai
20h – Projeto Raros (O Gaúcho, de Jacques Tourneur)

24 de setembro (sábado)
16h – Sessão Plataforma (Terra Natal – Iraque Ano Zero, de Abbas Fahdel)

25 de setembro (domingo)
17h – Samurai

19h – Martin Fierro, La Pelicula

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Pré-estreia de Som Sem Sentido




Dirigido por Gabriela Bervian, projeto retrata as mulheres que vivem silenciosas nos corredores do Hospital Psiquiátrico São Pedro em Porto Alegre.

O média-metragem Som sem Sentido, dirigido por Gabriela Bervian, tem sessão de pré-estreia no dia 14 de setembro, às 20h, na Sala P.F. Gastal, com entrada franca. O mais recente filme da Pata Negra tem financiamento do Fumproarte, produção de Gilson Vargas e retrata o dia a dia das mulheres internadas no Hospital Psiquiátrico São Pedro.

Segunda imersão de Gabriela na direção, Som Sem Sentido nasce de uma curiosidade: desvendar as mulheres que vivem silenciosas nos corredores do Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre. Realizado entre 2014 e 2016, o filme mostra a íntima percepção da realizadora ao penetrar nos corredores do São Pedro e, por consequência, adentrar nas suas próprias auto-percepções sobre o clichê da sanidade mental. Este documentário-ensaio pretende respirar o tempo e exalar intimidade.

Gabriela é conhecida como técnica e desenhista de som de inúmeras produções, como YOÑLU, de Hique Montanari, Ponto Zero, de José Pedro Goulart, O Carteiro, de Reginaldo Faria, Os Senhores da Guerra, de Tabajara Ruas, A Última Estrada da Praia, de Fabiano de Souza e Dromedário no Asfalto, de Gilson Vargas. Com seu curta anterior – Domingo de Marta - que marcou sua estreia como diretora, recebeu diversas premiações, como os Troféus Assembleia Legislativa no 42º Festival de Gramado, nas categorias Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Som e Melhor Roteiro; e Melhor Filme, melhor Fotografia e Melhor Atuação no Diálogo de Cinema - Mostra Cercanias.

A sessão de pré-estreia contará com a presença da diretora e debate com a crítica de cinema Daniela Strack, colaboradora do Zinematógrafo, publicação local especializada na área.

Título: Som Sem Sentido
Direção: Gabriela Bervian
Produção: Gilson Vargas e Gabriela Bervian
Realização Pata Negra
Financiamento Fumproarte - Prefeitura Municipal de Porto Alegre
FullHD - 50 minutos - 2016 - Som 5.1 - Brasil

Sinopse
A jornada silenciosa de uma mulher, realizadora de cinema, por de trás dos muros de um hospital psiquiátrico, onde mulheres passam anos, dias e horas sem que lá fora, os que passam há horas, dias e anos, percebam seus olhos, seus sons, suas verdades, suas existências.

SERVIÇO:
Sessão de pré-estreia com debate
SALA PF GASTAL
DIA 14 DE SETEMBRO, 20h

Entrada Franca