segunda-feira, 31 de agosto de 2009

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Sala P. F. Gastal segue exibindo Trama Internacional

A Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) segue exibindo na próxima semana o filme Trama Internacional (The International), de Tom Tykwer, um dos bons títulos lançados nos cinemas brasileiros nesta temporada. Filme que abriu o Festival de Berlim este ano, Trama Internacional retoma a tradição dos grandes dramas de espionagem dirigidos por Alfred Hitchcock nos anos 50, como O Homem que Sabia Demais e Intriga Internacional.

O diretor alemão Tom Tykwer ficou conhecido em 1998 com o sucesso de Corra Lola Corra, que lhe abriu as portas do mercado internacional. Com locações em diversas cidades, como Nova Iorque, Berlim, Milão e Istambul, seu novo filme tem pelo menos uma seqüência antológica, o tiroteio dentro do Museu Guggenheim, em Nova Iorque. Para viabilizá-la, a produção construiu uma réplica do museu.

Trama Internacional (The International). EUA/Alemanha/Inglaterra, 2009. Direção de Tom Tykwer. Com Clive Owen, Naomi Watts e Armin Mueller-Stahl. Colorido. Duração: 118 minutos.

Trama Internacional
pode ser visto nos horários das 15h, 17h15 e 19h30. Ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00 (estudantes e sêniors).

Grade de Horários

Semana de 1º a 6 de setembro de 2009

Terça-feira (1º de setembro)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Quarta-feira (2 de setembro)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Quinta-feira (4 de setembro)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Sexta-feira (4 de setembro)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Projeto Raros (aguarde divulgação)

Sábado (5 de setembro)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Domingo (6 de setembro)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Raros exibidos em 2008

A MALDIÇÃO DO SANGUE DA PANTERA - de Robert Wise - 1944
Exibido em 03/10/2008

A Maldição do Sangue de Pantera (The Curse of the Cat People), foi o filme que marcou a estréia na direção de Robert Wise (1914-2005), o renomado montador de Cidadão Kane e Soberba, de Orson Welles.
Wise fez uma carreira longa em Hollywood, transitado pelos mais diferentes gêneros, sempre com grande sucesso, da ficção científica (O Dia em que a Terra Parou, O Enigma de Andrômeda) ao musical (West Side Story, A Noviça Rebelde), passando pelo terror (Desafio do Além, As Duas Vidas de Audrey Rose) e o western (Sangue na Lua, Honra a um Homem Mau), sem esquecer dos clássicos dramas ambientados no universo do boxe (Punhos de Campeão, Marcado pela Sarjeta).
Continuação de Sangue de Pantera (Cat People), o filme retoma os personagens da obra-prima de Jacques Tourneur realizada dois anos antes, em 1942. Depois de sua morte, Irena, a mulher pantera (Simone Simon) do filme anterior, volta a assombrar a pequena Amy (Ann Carter), filha do casal Oliver e Alice Reed. Ao mesmo tempo, Amy aproxima-se da misteriosa atriz Julia Farren (Julia Dean), mulher reclusa e de comportamento estranho. A exemplo de Sangue de Pantera, esta seqüência faz parte da célebre série de filmes de horror realizada pelo produtor Val Lewton nos anos 40. Títulos cujo orçamento baixo era compensado pela criatividade do produtor e dos diretores, capazes de criar atmosferas perturbadoras apenas com recursos de iluminação.

A Maldição do Sangue de Pantera (The Curse of the Cat People). Estados Unidos, 1944. Direção de Robert Wise. Com Simone Simon, Ann Carter, Kent Smith, Julia Dean e Jane Randolph. Preto e branco. Duração: 70 minutos. Exibição em DVD. Legendas em espanhol.

AS AVENTURAS DE JUAN QUIN QUIN - de Julio García Espinosa - 1967
Exibido em 22/08/2008

Filme mais conhecido do diretor Julio García Espinosa, homenageado este ano pelo Festival de Gramado com o Kikito de Cristal (o qual não veio receber devido a razões de saúde), As Aventuras de Juan Quin Quin acompanha as peripécias de um herói picaresco, Juan Quin Quin (Júlio Martínez), que no contexto da Cuba pré-revolucionária vai assumindo diferentes papéis, de sacristão a artista de circo, de toureiro a plantador de café, até finalmente tornar-se membro das guerrilhas contra as tropas de Batista. Caracterizado por um humor pouco freqüente no cinema cubano daquele período, o filme de Espinosa incorpora à sua narrativa elementos da cultura pop, como os quadrinhos, os seriados e o western, o que lhe valeu comparações com o cinema de Godard.
O diretor Espinosa também tornou-se conhecido por haver redigido o manifesto "Por um Cine Imperfecto", polêmico ensaio no qual propõe sua visão provocativa às linguagens padronizadas de certos filmes. A obra é considerada um dos maiores manifestos estilísticos sobre o chamado Novo Cinema Latino-americano.

As Aventuras de Juan Quin Quin (Las Aventuras de Juan Quin Quin). Cuba, 1967. Direção de Julio García Espinosa. Com Julio Martínez, Erdwin Fernández e Adelaida Raymat. Preto e branco. Duração: 105 minutos.

ATÉ O VENTO TEM MEDO - de Mario Bava
Exibido em 13/06/2008

Produção de baixo orçamento realizada em 1968 (e que, portanto, está comemorando quatro décadas de lançamento este ano), Até o Vento Tem Medo é um exemplar típico do cinema de horror realizado no México, e que teve sua fase áurea nas décadas de 60 e 70. O cinema de horror mexicano, embora goze de grande prestígio entre os fãs do gênero, é quase desconhecido no Brasil. A sessão programada pelo Raros é uma ótima oportunidade para os espectadores interessados em conhecer um pouco do que esta cinematografia praticou no gênero, ainda hoje fonte de influência para diretores mexicanos contemporâneos, como Guillermo Del Toro (Cronos, O Labirinto do Fauno).

A trama de Até o Vento Tem Medo está ambientada numa escola para meninas assombrada por espíritos malignos e ajudou a consagrar a reputação de Taboada como diretor de filmes fantásticos. Entre outros títulos dirigidos por Taboada estão El Libro de Piedra (1969), Más Negro que la Noche (1975) e Veneno para las Hadas (1984).
Sessão comentada pelo jornalista Thomaz Albornoz. A entrada é franca.

Até o Vento Tem Medo (Hasta el Viento Tiene Miedo). México, 1968. Direção de Carlos Enrique Taboada. Com Marga López, Maricruz Olivier e Alicia Bonet. Colorido. Duração: 88 minutos.

CÃES RAIVOSOS - de Mario Bava
Exibido em 05/09/2008

Último filme dirigido por Bava, Cães Raivosos foi rodado em 16mm, em 1978, apenas cinco anos antes de sua morte. Devido a problemas com os produtores, Bava não conseguiu concluir o projeto, que só seria finalizado em 1998, quando os negativos foram encontrados e o filme pode ser finalmente editado, tal como Bava o imaginou, a partir de anotações deixadas por ele. Lamberto Bava, filho do diretor e seu assistente no filme, acompanhou a edição final.
A trama de Cães Raivosos mostra um grupo de ladrões truculentos que, após um violento assalto, fazem uma mulher de refém, e obrigam um senhor de carro, com uma criança doente a bordo, a dirigir com segurança até o local onde pretendem dividir o produto do assalto.
Sessão comentada pelo jornalista Thomaz Albornoz.

Cães Raivosos (Cani Arrabbiati/Rabid Dogs). Itália, 1974/1998. Direção de Mario Bava. Com Riccardo Cucciolla, Don Backy, Lea Lander e Maurice Poli. Colorido. Duração: 96 minutos.

POLYESTER - John Waters - 1981
Exibido em 27/06/2008
Um dos maiores sucessos da carreira do diretor John Waters, Polyester (1981), nunca foi lançado nos cinemas brasileiros. O filme integrou a programação da mostra Beleza Imperfeita: Em Busca de uma Nova Estética.
Waters é uma figura central do cinema underground americano, que ganhou fama com uma série de produções bizarras como Pink Flamingos (1972), Female Trouble (1974), Desperate Living (1997) e Hairspray (1988).
Polyester é o filme que marcou a invenção do Odorama, um processo criado pelo próprio Waters, no qual as pessoas, ao entrarem no cinema, recebiam uma cartela com um cardápio de odores dos mais variados. Durante a projeção do filme, surgiam na tela indicações para o espectador raspar determinado campo da cartela, liberando odores tão distintos quanto flores, gases, peixe morto, meias sujas e escatologias afins.
A história acompanha as desventuras de uma dona de casa americana (interpretada pela travesti Divine, ator-fetiche de Waters) às voltas com sua família disfuncional, numa demolidora sátira ao american way of life. Exibição em DVD, com legendas em português.

Polyester, de John Waters. Estados Unidos, 1981. Com Divine, Tab Hunter, Edith Massey e David Samson. Colorido. Duração: 86 minutos.

ARRIVEDERCI AMORE, CIAO - de Michele Soavi - 2006
Exibido em 30/05/2008

Lançado em 2006, o filme marcou a volta ao cinema do diretor Soavi, que desde o cultuado Dellamorte Dellamore (1994) havia assinado apenas esporádicas produções para a televisão. Classificado como um noir mediterrâneo, Arriverderci Amore, Ciao foi imediatamente saudado como o melhor thriller italiano dos últimos 30 anos.
Adaptado de um romance do escritor Massimo Carlotto, o filme acompanha a trajetória de um antigo terrorista (Alessio Boni) que deseja levar uma vida tranqüila e respeitável. Através de um policial corrupto (Michele Placido), aceita trair seus antigos companheiros para ter sua pena reduzida. Mas ao sair da prisão, os fantasmas de sua vida pregressa voltarão a cruzar o seu caminho.
Ex-assistente do mestre do cinema fantástico italiano Dario Argento, Michele Soavi havia evidenciado seu talento dirigindo produções na mesma linha de Argento - Deliria (1986), La Chiesa (1989), La Setta (1991) e o já citado Dellamorte Dellamore (1994), considerado sua obra-prima. Com Arrivederci Amore, Ciao, Soavi aventura-se em outro gênero, com o mesmo virtuosismo revelado em seus filmes fantásticos.
Sessão comentada pelo jornalista Thomaz Albornoz.
Arrivederci Amore, Ciao. Itália/França, 2006. Direção de Michele Soavi. Com Alessio Boni, Michele Placido e Isabella Ferrari. Duração: 107 minutos.

SOMBRAS DO MAL - de Jules Dassin - 1950
Exibido em 16/05/2008
Realizado em 1950, Sombras do Mal tem no elenco Richard Widmark e Gene Tierney (um dos mais belos rostos do período clássico de Hollywood). A sessão desta sexta-feira do Raros tem o caráter de uma dupla homenagem ao diretor Dassin e ao ator Widmark, ambos mortos no final de março. Cineasta americano, Dassin foi obrigado a fugir para a Europa após ser denunciado como comunista nos tribunais macartistas. Lá dirigiu vários filmes célebres, como Rififi (1954), Nunca aos Domingos (1959) e Topkapi (1963), todos estrelados por sua esposa, a atriz grega Melina Mercouri.
Com excepcional fotografia em preto & branco, Sombras do Mal está ambientado no universo dos lutadores de box, em Londres, e entrou para a história do cinema como um dos melhores exemplos de representação do submundo nas grandes metrópoles. Até hoje, o filme de Dassin serve de referência para outros cineastas. O caso mais recente é o de David Cronenberg, que buscou inspiração em Sombras do Mal para criar a atmosfera opressiva de Senhores do Crime (Eastern Promises, 2007), ambientado no submundo londrino.
Exibido em uma cópia em DVD, com legendas em português.

100 Filmes exibidos até 2007 no Raros

PROJETO RAROS (2003)


Viy - O Espírito do Mal (Viy), de Konstantin Yershov e Georgy Kropachyov – 2/05/03
Freaks, de Tod Browning – 16/05/03
Fando y Lis, de Alejandro Jodorowsky – 23/05/03
A Queda da Casa de Usher (La Chute de la Maison Usher), de Jean Epstein – 30/05/03
Drácula Espanhol (Dracula), de George Melford - 13/06/03
Queen Kelly, de Erich Von Stronheim – 20/06/03
O Chicote e o Corpo (La Frusta e il Corpo), de Mario Bava – 04/06/03
El Topo, de Alejandro Jodorowsky – 11/07/03
Scarlet Diva, de Asis Argento – 18/07/03
A Turba (The Crowd), de King Vidor – 25/07/03
La Jetée, de Chris Marker e Di, de Glauber Rocha – 01/08/03
As Extraordinárias Aventuras de Mr. West no País dos Bolcheviques (Neobychainye Priklyucheniya Mistera Vesta v Strane Bolschevikov), de Lev Kulechov – 08/08/03
Coisa na Roda, de Werner Schünemann – 15/08/03
O Ano Passado em Marienbad (L´Année Dernière à Marienbad), de Alain Resnais – 29/08/03
Incubus, de Leslie Stevens – 05/09/03
Begotten, de Elias E. Mehrige – 19/09/03
O Elemento do Crime (Forbrydelsens Element), de Lars von Trier – 26/09/03
Uma História Chinesa de Fantasmas (Sinnui Yauwan), de Ching Siu-Tung – 03/10/03
Nana, de Jean Renoir – 31/10/03
A Noite do Demônio (The Night of the Demon), de Jacques Tourneur – 07/11/03
Curtas de Martin Scorsese (What´s a Nice Girl Like You Doing in a Place Like This?, It´s Not Just You, Murray!, The Big Shave, Italianamerican)
Rua das Lágrimas (Die Freudlose Gasse), de G. W. Pabst – 21/11/03
Sangue e Meias Pretas (Blood and Black Lace), de Mario Bava – 05/12/03
Metrópolis (Metropolis), de Fritz Lang – 12/12/03

PROJETO RAROS (2004)


Cinzas do Tempo (Dung Che Sai Duk), de Wong Kar-Wai – 09/01/04
El Viaje, de Fernando Solanas – 16/01/04
Você Deve Respeitar Sua Mulher (Du Skal Aere din Hustru), de Carl T. Dreyer – 30/01/04
A Mulher de Areia (Suna No Onna), de Hiroshi Teshigahara – 05/03/04
Alice, de Jan Svankmajer – 12/03/04
Carnival of Souls, de Herk Harvey – 26/03/04
O Beijo Amargo (The Naked Kiss), de Samuel Fuller – 30/04/04
Velhas Lendas Tchecas (Staré Povesti Ceské), de Jirí Trnka – 16/04/05
Berlin Alexanderplatz, de Rainer Werner Fassbinder (capítulo 1) – 23/04/04
Cronos, de Guillermo del Toro – 07/05/04
Bande à Part, de Jean-Luc Godard – 21/05/04
Viva a Morte e Adyós General, de Omar de Barros Filho – 04/06/04
O Quarto Homem (De Vierde Man), de Paul Verhoeven – 18/06/04
Performance, de Nicolas Roeg – 25/06/04
Terapia do Sexo, de Ody Fraga – 16/07/04
Performance, de Nicolas Roeg – 06/08/04
As Filhas do Fogo, de Walter Hugo Khouri – 27/08/04
O Uivo da Bruxa (The Cry of the Banshee), de Gordon Hessler e Alucarda, de Juan López Moctezuma – 17/09/04
Electra, de Michael Cacoyannis – 01/10/04
Kwaidan – As Quatro Faces do Medo (Kwaidan), de Masaki Kobayashi – 08/10/04
Viver a Vida (Vivre Sa Vie), de Jean-Luc Godard – 22/10/04
Freaks, de Tod Browning – 29/10/04
Silêncio e Grito (Csend és Kiáltás), de Miklós Jancsó – 12/11/04
Curtas Brasileiros de Horror (Sintomas, de Fernando Mantelli; Cruzamento, de Adriano Kakazuo; Puta Solidão, de Eduardo Aguilar; Noturnos, de André Kapel Furman; Os Últimos Dias de Papal Noel, de Eduardo Aguilar; Hai Kai Hotel, de André Kapel Furman; Lourdes – Um Conto Gótico de Horror, de Eduardo Aguilar) – 19/11/04
Aquele que Veio Salvar o Mundo (Dünyayi Kurtaran Adam), de Çetin Inanç – 26/11/04
Thriller – Um Filme Cruel (Thriller – En Gryn Film), de Bo Arne Vibenius – 03/12/04
Onibaba, a Mulher Demônio, de Kaneto Shindo – 17/12/04

PROJETO RAROS (2005)

Les Vampires, de Louis Feuillade – 04, 05 e 06/03/05
Olhos Sem Rosto (Les Yeux Sans Visage), de Georges Franju – 18/03/05
As Três Máscaras do Terror (I Tre Volti della Paura), de Mario Bava – 01/04/05
Escravas do Desejo (Les Lèvres Rouges), de Harry Kümel – 15/04/05
Possessão (Possession), de Andrzej Zulawski – 29/04/05
Dellamorte Dellamore, de Michele Soavi – 06/05/05
A Máscara do Demônio (La Maschera del Demonio), de Mario Bava – 13/05/05
Drácula e a Alma de Guapa, de Augusto Biglia – 20/05/05
Godzilla, o Rei dos Monstros (Gojira), de Inoshiro Honda – 17/06/05
O Vampiro (Vampyr), de Carl T. Dreyer – 24/06/05
Epidemic, de Lars Von Trier – 01/07/05
A Morte Cansada (Der Müde Tod), de Fritz Lang – 15/07/05
Desafio do Além (The Haunting), de Robert Wise – 22/07/05
A Última Gargalhada (Der Letze Mann), de F. W. Murnau – 29/07/05
Alcova (L´Alcova), de Joe D´Amato – 02/09/05
Dias Contados (Días Contados), de Imanol Uribe – 23/09/05
A Noite do Terror Cego (La Noche del Terror Ciego), de Amando de Ossorio – 30/09/2005
Tabu (Tabu), de F. W. Murnau – 11/11/05
Otelo (Othello), de Orson Welles – 25/11/05
A Sétima Vítima (The Seventh Victim), de Mark Robson – 16/12/05

PROJETO RAROS (2006)

O Mundo Perdido (The Lost World), de Harry O. Hott – 06/01/06
A Morta-viva (I Walked with a Zombie), de Jacques Tourneur – 16/03/06
Duplo Suicídio em Amijima, de Masahiro Shinoda – 24/03/06
Film, de Samuel Beckett, e Marinheiro de Encomenda (Steamboat Bill Jr.), de Charles Reisner e Buster Keaton – 31/03/2006
Sob os Tetos de Paris (Sous les Toits du Paris), de René Clair
O Túmulo Vazio, de Robert Wise – 23/06/2006
Curtas de David Lynch – 30/06/2006
Häxan – A Feitiçaria Através dos Tempos (Häxan), de Benjamin Christensen – 26/05/06
O Gabinete das Figuras de Cera, de Paul Leni
A Pequena Loja dos Horrores, de Roger Corman – 04/08/06
Fausto, de F. W. Murnau – 11/08/2006
Nossa Hospitalidade (Our Hospitality), de Buster Keaton – 25/08/2006
O Espelho da Bruxa, de – 01/09/2006
Nosferatu, de F. W. Murnau – 09/06/06
O Vigilante (Vigilante), de William Lustig – 16/06/06
Seytan, de
Aniversário Macabro, de Wes Craven – 13/10/06
Tartufo, de F. W. Murnau – 03/11/06
O Homem Que Ri, de Paul Leni – 10/11/06
Succubus, de Jess Franco – 17/11/2006
O Ladrão (The Thief), de Russell Rouse – 08/12/06

Projeto Raros - apresentação


O slogan do projeto Raros é a sua melhor definição: “Filmes que você sempre quis ver ou nem imaginava que existiam”. Iniciado em maio de 2003, o projeto foi concebido com a intenção de apresentar ao público local títulos nunca lançados no circuito exibidor brasileiro ou há muito tempo fora de circulação nos cinemas, procurando reproduzir o espírito das “midnight movies” realizadas em Nova York a partir do final dos anos 60. Cada filme é apresentado uma única vez, nas noites de sexta-feira, e as sessões são comentadas. Imediatamente acolhido pelos cinéfilos porto-alegrenses, o Raros foi um sucesso instantâneo e logo inspiraria outras iniciativas similares, a mais conhecida delas sendo as Sessões do Comodoro, organizadas pelo diretor Carlos Reichenbach no Cinesesc de São Paulo.

Quem foi Paulo Fontoura Gastal

Nascido em Pelotas, o jornalista Paulo Fontoura Gastal (1922-1996) foi o maior crítico de cinema que o Rio Grande do Sul já teve. Responsável pela formação de várias gerações de cinéfilos, começou a publicar seus artigos em 1941, passando pelos mais importantes veículos de imprensa do estado. Principal mentor do Clube de Cinema de Porto Alegre, que ajudou a criar em 1948, e um dos idealizadores do Festival de Gramado, P. F. Gastal, como era conhecido por seus leitores e admiradores, encarava o cinema como a maior de todas as artes e notabilizou-se por defender o filme de autor diante das exigências do cinema comercial.
Um homem que dedicou sua vida a nos ensinar a amar o cinema, P. F. Gastal empresta seu nome à primeira sala de exibição municipal de Porto Alegre, numa justa homenagem ao seu notável trabalho em prol da consolidação de uma cultura cinematográfica entre nós.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Estamos no Twitter

Quem gosta de saber o que anda rolando na Sala P F Gastal, agora tem mais uma opção.
Voce pode nos seguir pelo Twitter:

www.twitter.com/salapfgastal


Nossa programação completa sempre estará aqui, com muitas fotos, sinopses completas e grade de horários detalhadas.
Os lembretes e informações sobre alguma mudança de horário/filme , noticias de ultima hora, etc., vamos colocar no Twitter.

Documentário abre discussão sobre a ditadura no Rio Grande do Sul

Arquivos da Cidade é lançado no dia 28 de agosto

O documentário Arquivos da Cidade, realização da Modus Produtora, será lançado na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro no dia 28 de gosto, às 19h30m – mesma data em que se completam 30 anos da lei da anistia no Brasil. Com roteiro e direção de Felipe Diniz e Luciana Knijnik, produção de Cris Reque, direção de fotografia de Mirela Kruel e montagem de Fábio Lobanowsky, o filme apresenta, 45 anos depois, histórias de resistência à ditadura militar com o foco no Rio Grande do Sul, contadas pelos próprios protagonistas. A trilha sonora é de Marcelo Fruet e vai contar também com música de Nei Lisboa.

Arquivos da Cidade aborda o período de 1964 a 1985 e tem como pano de fundo manifestações culturais, sociais e econômicas da época. Através de depoimentos de seis militantes, presos políticos e familiares, o documentário revela como essas pessoas vivem hoje, as marcas que carregam, tornando públicas trajetórias desconhecidas.

Os depoimentos dos personagens foram gravados, em maio, no palco do Teatro de Arena que, na ditadura, caracterizou-se em Porto Alegre como espaço de encontro e resistência à opressão vigente: Lino Brum, irmão de Cilon Cunha Brum, um dos quatro gaúchos desaparecidos na Guerrilha do Araguaia; Ignês Serpa Raminger, uma das mulheres que participaram ativamente da luta armada no estado, mais conhecida na época como “Martinha”; Bona Garcia, miltante político que foi preso e forçado a viver no exílio por muitos anos; Gregório Mendonça, operário que participou de diversas ações de contestação à ditadura militar, desde a tentativa de sequestro ao cônsul norte-americano, passando pela guerrilha do Caparaó, permanecendo por oito anos nos cárceres da ditadura brasileira; Carlos Alberto Tejera De Ré, militante do movimento estudantil preso na Ilha Presídio, hoje chamada de Ilha Pedras Brancas; e Antonio Losada, sindicalista preso por muitos anos e um dos últimos a serem libertados.

Os depoimentos tratam de temas como clandestinidade, prisão, tortura, perseguição política e militância. Muitos morreram, outros enlouqueceram, alguns seguem na militância e muitos ainda se esforçam para superar ou esquecer momentos de quase insuportável dor. Paradoxalmente, alguns se referem a esse período como um dos melhores de suas vidas, mostrando aspectos como o sentimento de liberdade, o companheirismo e a esperança de um Brasil melhor. Intercalam os depoimentos imagens de arquivo, resultado de pesquisa, envolvendo fatos inusitados, movimentos políticos e culturais que marcaram os 21 anos de ditadura no Brasil.

O documentário tem financiamento do Fumproarte/Prefeitura de Porto Alegre.

Os diretores

Felipe Diniz é documentarista e sócio da Modus Produtora de Imagens, onde há seis anos roteiriza, produz e dirige vídeos institucionais, experimentais e documentários.

Luciana Knijnik é militante de direitos humanos. Como parte de sua dissertação de mestrado, na Universidade Federal Fluminense/RJ, realizou o curta Fala Corpo, no qual produz arquivos sobre a experiência da tortura no Brasil. É psicóloga e membro da Equipe Clínico-jurídica do Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro. Publicou artigos sobre o tema em livros e periódicos.

Ficha técnica

Arquivos da Cidade

Direção: Felipe Diniz e Luciana Knijnik
Produção Executiva:
Cris Reque
Direção de Fotografia e imagens: Mirela Kruel
Direção de Produção:
Cris Reque
Iluminação de cena: Claudia de Bem
Som Direto: Leandro Lefa
Pesquisa: Ananda Simões
Montagem: Fabio Lobanowsky

Trilha sonora original: Marcelo Fruet e Boto Stanley
Canção: Nei Lisboa

Material
gráfico: Pedro Engel
Fotógrafa still: Fernanda Chemale
Realização: Modus Produtora
Financiamento: Fumproarte

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Contato - Equipe

Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar (Usina do Gasômetro)
Porto Alegre - RS - 90010-120

3289 8135 - Marcus Mello (Coordenador de Cinema, Vídeo e Fotografia da SMC/Porto Alegre)

3289 8133 - Leonardo Bomfim (Programador da Sala P. F. Gastal)

3289 8137 - Beti Tomasi (Gerência da Sala P. F. Gastal, Curta nas Telas e produção)

3289 8133 - Lurdes Krás (Galeria Lunara e Galeria dos Arcos, redes sociais, produção e divulgação)

3289 8134 - Maria Angélica dos Santos (Programa de Alfabetização Audiovisual, Acervo Cinemateca Capitólio e produção)

3289 8136 - Vitor Antonio Bianchi  (Administrativo e produção)

3289 8137 - Cristian Verardi (Assistente de programação)

salapfgastal@smc.prefpoa.com.br

salapfgastal@gmail.com

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

VI PRÊMIO SANTANDER CULTURAL /PMPA / APTC-RS

Confira abaixo Regulamento do

VI PRÊMIO SANTANDER CULTURAL /PMPA / APTC-RS

CONCURSO Nº 12/2009
Regulamento do
VI Pêmio Santander Cultural /PMPA / APTC-RS
Processo nº 001.036759.09.0

O Município de Porto Alegre, por meio da Secretaria Municipal da Cultura, a Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos do RS (APTC/ABD-RS) e o Santander Cultural publicam o presente Edital com o Regulamento para a realização do VI Concurso de Desenvolvimento de Projetos de Filmes em Longa-Metragem, em face de Convênio celebrado entre si, e mediante as seguintes cláusulas e condições:


REGULAMENTO


1. DOS PRINCÍPIOS BÁSICOS

1.1. O Concurso visa estimular o desenvolvimento de projetos para a produção de obras audiovisuais de longa-metragem do Rio Grande do Sul.

1.2. Para os efeitos deste Regulamento, entende-se que:

a) Obra Audiovisual de longa-metragem é toda aquela realizada para exibição pública em sala adequada, independente da bitola ou suporte em que o material tenha sido originalmente captado e com duração superior a 70 minutos;

b) Obra Audiovisual de Produção Independente é aquela cujo produtor majoritário não é vinculado, direta ou indiretamente, a empresas concessionárias de serviços de radiodifusão e cabodifusão de sons e imagens em qualquer tipo de transmissão;

c) Projeto Inédito é aquele que, até o prazo final de inscrição neste concurso, não foi premiado em nenhum outro tipo de concurso – de desenvolvimento de projetos ou de produção – nem tenha iniciado sua produção;

d) Diretor estreante: é aquele que nunca tenha dirigido um longa-metragem já finalizado, até a data da escolha dos premiados;

e) SMC: Secretaria Municipal da Cultura;

f) APTC/ABD-RS: Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul;

g) PMPA: Prefeitura Municipal de Porto Alegre;

h) CDPLM: Concurso de Desenvolvimento de Projetos de Filmes em Longa-metragem.


2. DO OBJETO

2.1. Constitui objeto do Concurso o apoio a empresas produtoras do Rio Grande do Sul para o desenvolvimento de projetos inéditos destinados à realização de obras audiovisuais de longa-metragem, de produção independente, nos gêneros ficção, animação ou documentário.


3. DOS PARTICIPANTES

3.1. Poderá participar do presente Concurso qualquer projeto, desde que a empresa produtora esteja sediada no Estado do Rio Grande do Sul há, no mínimo, dois anos, e o(s) diretor(es), roteirista(s) e produtor(es), integrantes da equipe básica, sejam residentes no RS.

3.1.1. Na hipótese de co-autoria de roteiro, admite-se a participação de roteiristas de fora do Estado do Rio Grande do Sul, desde que seja obedecido um percentual mínimo de 50% (cinqüenta por cento) de roteiristas residentes no RS.

3.2. Não poderão participar do presente concurso, como membros da equipe básica, qualquer funcionário do Santander Cultural, da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre e da APTC/RS, bem como parentes em primeiro grau desses funcionários, sob pena de desclassificação do projeto inscrito.

3.3. Não será aceita a inscrição de projeto que já tenha sido aprovado pela Ancine / SDAV para efeito das leis 8685/93 e 9323/96, bem como legislações municipais e estaduais equivalentes.


4. DA INSCRIÇÃO

4.1. De 05 a 30 de outubro 2009 estarão abertas as inscrições para o VI Concurso de Desenvolvimento de Projetos de Filmes em Longa-Metragem

4.2. As inscrições deverão ser feitas na Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia (Avenida Presidente João Goulart, nº 551 – Usina do Gasômetro – 3º andar – Centro – Porto Alegre), de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h e das 14h às 17h.

4.3. A inscrição será feita mediante o preenchimento da FICHA DE INSCRIÇÃO e com a entrega de 02 (dois) envelopes: o primeiro, contendo os documentos de HABILITAÇÃO JURÍDICA dos proponentes (descrito no item 06); o segundo, com o PROJETO INICIAL (descrito no item 07), mediante protocolo.

4.3.1 Ambos os envelopes deverão ser entregues lacrados, contendo os seguintes dizeres em suas faces externas:

Envelope 01 – Documentação

PMPA – Secretaria Municipal da Cultura

CONCURSO nº 12 / 2009 – VI Concurso de Desenvolvimento de Projetos de Filmes em Longa-Metragem

Nome do projeto:

Nome da empresa produtora:

Envelope 02 – Projeto Inicial

PMPA – Secretaria Municipal da Cultura

CONCURSO nº 12 / 2009 – VI Concurso de Desenvolvimento de Projetos de Filmes em Longa-Metragem

Nome do projeto:

Nome da empresa produtora:

4.4. A inscrição será feita pela empresa produtora, que será responsável pelo projeto perante o Concurso.

4.4.1. Essa mesma empresa produtora deverá inscrever o projeto, ao final do processo de desenvolvimento, para captação nas Leis de Incentivo à Cultura. Caso isso não aconteça, a mesma será responsável pela devolução do recurso monetário recebido para o desenvolvimento, com as devidas atualizações monetárias.

4.5. Cada empresa produtora poderá inscrever até 03 (três) projetos no Concurso, sendo que apenas um projeto por produtora poderá ser selecionado para recebimento do Prêmio em cada edição.

4.6. Produtores, diretores e roteiristas poderão participar da equipe básica de tantos projetos quanto julgarem conveniente.


5. DA FICHA DE INSCRIÇÃO E DA EQUIPE BÁSICA

5.1. A Ficha de Inscrição deverá ser assinada pelo responsável pela empresa produtora e ainda pelos três membros de sua equipe básica:

a. Produtor
b. Diretor
c. Roteirista

5.1.1. Estas três funções devem ser exercidas por, no mínimo, dois profissionais distintos.

5.2. Os integrantes da Equipe Básica de cada projeto deverão ser profissionais com Registro no Ministério do Trabalho na condição de Técnico Cinematográfico (Lei n° 6533/78, regulamentada através do Decreto 82.385/78), independente de coincidência entre a função de registro e a função a ser exercida no projeto.

5.2.1. Em caso de co-autoria do roteiro, será exigido que pelo menos um dos co-roteiristas tenha a documentação referida acima.


6. DA HABILITAÇÃO JURÍDICA

6.1 O envelope 1, com a habilitação jurídica, deverá conter:

a) Ficha de inscrição original preenchida;

b) Contrato social da empresa produtora e suas alterações, se houver, devidamente registrados na Junta Comercial ou Cartório de Pessoa Jurídica, comprovando seu endereço e seus fins de produção audiovisual (não serão aceitas inscrições de empresas com contrato social com fins genéricos e que não explicitem a finalidade de produção audiovisual);

c) Cópia do cartão de registro da Empresa Produtora junto a Agência Nacional de Cinema – Ancine;

d) Cópia do cartão de registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ;

e) Certidão de regularidade de tributos federais, expedida pela Secretaria da Receita Federal – SRF;

f) Certidão negativa de Dívida Ativa da União da produtora, expedida pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – PGFN;

g) Certidão negativa de tributos municipais diversos, expedida pela Secretaria Municipal da Fazenda;

h) Declaração de não inidoneidade para contratar com a Administração Pública;

i) Certidão ou declaração de cumprimento com o disposto no inciso XXXIII do artigo 7° da Constituição Federal de 1988, que veda a exploração do trabalho infantil, expedida pela Delegacia Regional do Ministério do Trabalho( DRT);

j) Declaração de autoria própria do argumento ou, se for o caso, carta do autor da obra original (ou dos detentores dos direitos autorais), manifestando a intenção e as condições para cessão de direitos com prazo de validade não inferior a um ano, contados da data da inscrição, para a empresa produtora do projeto;

k) Comprovação atual de residência no Estado do Rio Grande do Sul, mediante a apresentação de documento tais como contas de luz, telefone, certidão do Tribunal Regional Eleitoral, etc., onde deverá constar o nome e endereço do(s) produtor(es), diretor(es) e roteirista(s) projeto;

l) Comprovante de registro profissional dos membros da equipe básica, de acordo com o item 5.2 (cópia legível da folha de qualificação civil da Carteira de Trabalho, com a identificação do titular, e da página onde consta o registro profissional);

m) Declaração dos membros da equipe básica de que não são funcionários da Secretaria Municipal da Cultura, da APTC/ABD-RS, do Santander Cultural e do Banco Santander, assim como não são parentes em primeiro grau de algum funcionário dessas instituições e que residem há pelo menos dois anos no RS;

n) declaração de compromisso da empresa produtora de que inscreverá o projeto depois de desenvolvido nas leis de incentivo e que renderá todos seus esforços para que o mesmo seja efetivamente realizado.


6.1.1 Os documentos deverão ser entregues em sua via original ou, então, serem autenticados, previamente, por um funcionário público da SMC.


7. DO PROJETO INICIAL


7.1. O envelope 2, com o projeto inicial, deverá conter:

a) Cópia da ficha de inscrição preenchida;

b) Sinopse do filme de, no máximo, uma página;

c) Nota de intenção do diretor de, no máximo, uma página, com informações sobre a abordagem cinematográfica e o perfil de produção a ser adotado;

d) Nota de intenção do produtor do projeto de, no máximo, uma página estabelecendo seu envolvimento com a proposta, sua visão do público-alvo, do custo estimado da produção final e de como viabilizar a realização da obra;

e) Perfis dos principais personagens em, no máximo, duas páginas (dispensado no caso de documentários);

f) Argumento desenvolvido com, no mínimo, 10 (dez) e, no máximo, 20 (vinte) páginas;

g) Planejamento em, no máximo, duas páginas da estratégia de viabilização do filme final (financiamento da produção, distribuição, público alvo, lançamento, comercialização, etc)

h) Redação de, no mínimo, uma cena ou trecho de uma cena do argumento, já formatada como roteiro, em até três páginas;

i) Indicação de referência bibliográfica ou de campo que orientaram a realização do projeto (obrigatório apenas no caso de documentários);

j) Storyboard de pelo menos duas cenas, em forma de layout (obrigatório apenas no caso de projetos de animação);

k) Registro ilustrativo de referências (escrita ou em imagens) de propostas de locações, elenco, etc (obrigatório apenas para filmes de ficção em imagem real);

l) Descrição das 03 (três) etapas a serem desenvolvidas na elaboração do projeto final.


7.2. ETAPAS

A divisão em etapas serve para padronizar a futura liberação das parcelas do Prêmio. Os materiais produzidos em cada etapa deverão necessariamente ser encaminhados com a prestação de contas financeira da mesma para a análise da CAC e liberação dos recursos da próxima parcela e devem obedecer o seguinte modelo

ETAPA 1 – Duração 05(cinco) meses – valor R$ 20.000,00(vinte mil reais)

- Contratação definitiva dos direitos da obra (em caso de adaptação)

- Contratação pela Empresa Produtora do produtor, diretor e roteirista para desenvolvimento da obra. O contrato deve disciplinar ainda a continuidade do trabalho até a realização do filme final

- Desenvolvimento de tratamento completo do roteiro

- No caso de documentários, primeiros resultados das pesquisas bibliográficas e de campo sobre o tema pelo menos 10 (dez) páginas, com tratamento específico para a abordagem do documentário proposto

- Encaminhamento do registro para a Biblioteca Nacional

- Para filmes de animação, primeiros estudos de personagens e de cenários (pelo menos 10 desenhos em tamanho A4)

ETAPA 2 – Duração 04(quatro) meses – valor R$ 20.000,00(vinte mil reais)

- Para filmes de animação, trecho de storyboard, model sheet final dos personagens e desenhos de cenários (pelo menos 10 cenários com traço final e coloridos)

- Plano de produção

- Plano de filmagem (para filmes de ficção em imagem real e documentários)

- Para filmes de ficção em imagem real, análise técnica completa

- Para filmes de documentário, pesquisa bibliográfica e de campo completas, que orientarão a realização do documentário (pelo menos 40 páginas)

- Para filmes de documentário, previsão de estrutura narrativa do filme, e, caso não se aplique, justificativa do autor para a abordagem, determinando como pretende realizar o filme sem essa estrutura

- Orçamento analítico detalhado no modelo da IN22 da Ancine, no site www.ancine.gov.br, expresso em reais, e incluindo os custos de desenvolvimento já contemplados pelo prêmio

- Planejamento estratégico detalhado de viabilização da produção e de marketing e comercialização (incluindo lançamento e distribuição) do filme final.

ETAPA 3 – Parcela final – valor R$ 10.000,00(dez mil reais)

- Esta parcela será paga a partir da aprovação pela CAC do projeto final desenvolvido e a comprovação do registro do mesmo para captação na Ancine e outras fontes de captação de recursos para viabilização financeira do projeto.

m) Orçamento detalhado de cada etapa;

n) Currículo da produtora e dos técnicos envolvidos;

o) Outros materiais opcionais, a critério do proponente.

7.2.1.Todo o material do projeto inicial deverá ser entregue em 05 (cinco) vias.

7.3. As páginas devem estar encadernadas, numeradas e rubricadas pelo produtor e pelo diretor do projeto.


8. DA COMISSÃO DE HABILITAÇÃO JURÍDICA

8.1. A Comissão de Habilitação Jurídica será designada pela Secretaria Municipal da Cultura, e constituída por 03 (três) membros, que verificarão a exatidão dos documentos constantes do primeiro envelope – da habilitação jurídica –, enumerados neste Edital, bem como os respectivos prazos de validade.

8.2. Da decisão desta Comissão caberá recurso no prazo de 05 (cinco) dias úteis, contados a partir do primeiro dia útil após a publicação no Diário Oficial do Município de Porto Alegre e em, pelo menos, um jornal de grande circulação no Estado do Rio Grande do Sul;

8.3. Após esgotado o prazo recursal, a documentação das produtoras não habilitadas será devolvida às respectivas produtoras, que deverão retirá-la no prazo de 30 (trinta dias), na Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da SMC. Após este prazo, a mesma será inutilizada.

8.4. As inscrições habilitadas serão encaminhadas à Comissão de Seleção.


9. DA COMISSÃO E DO PROCESSO DE SELEÇÃO

9.1. O processo de seleção dos projetos será realizado por uma Comissão de Seleção integrada por 05 (cinco) membros: 01 (um) indicado pela Secretaria Municipal da Cultura, 01 (um) pela APTC / ABD-RS, 01 (um) pelo SIAV (Sindicato da Indústria do Audiovisual do Rio Grande do Sul), outro pelo Santander Cultural e o quinto de comum acordo entre os promotores deste Concurso.

9.2. Nenhum dos membros da Comissão de Seleção poderá participar ou ter participado, em qualquer fase de execução (incluindo a realização do filme), de algum dos projetos em julgamento.

9.3. A Comissão de Seleção levará em conta os critérios de qualidade e viabilidade, e escolherá os 04 (quatro) melhores projetos, não fazendo qualquer distinção entre eles.

9.3.1. A Comissão poderá escolher menos de 04 (quatro) projetos, no caso de não se apresentarem projetos com qualificação necessária para preencher o n° estabelecido na cláusula anterior.

9.4. Nenhum diretor e produtor poderá estar em mais de um projeto selecionado e nenhum roteirista poderá estar em mais de um projeto selecionado, exceto em casos de co-autoria, mesmo quando exercer funções diferentes em projetos distintos.

9.5. Nenhuma empresa produtora poderá ter mais de um projeto selecionado.

9.6. Empresas produtoras, roteiristas e produtores que foram contemplados em editais anteriores do Prêmio Santander Cultural / Prefeitura de Porto Alegre / APTC-RS, que não tenham concluído o desenvolvimento do projeto contemplado anteriormente, não podem participar deste Edital.

9.7. Fica vedada a participação no presente Concurso de diretores contemplados nos dois editais anteriores.

9.8. Pelo menos um dos projetos premiados deverá ser de diretor estreante em longa-metragem.

9.9. A decisão da Comissão será tomada por maioria simples e registrada em ata, e será anunciada até dezembro de 2009.

9.10. Da decisão da Comissão que selecionará os quatro projetos de filmes longas-metragens caberá interposição de recurso no prazo de 05 (cinco) dias úteis, a contar do primeiro dia útil após a publicação no Diário Oficial do Município e em um jornal de grande circulação no Estado do Rio Grande do Sul.

9.11. O resultado final do Concurso, relacionando os títulos dos projetos selecionados e os nomes das produtoras e dos diretores responsáveis será publicado no Diário Oficial do Município de Porto Alegre e em um jornal de grande circulação no Estado do Rio Grande do Sul.


10. DA CONTRATAÇÃO E PREMIAÇÃO

10.1. Para cada projeto aprovado, será assinado contrato entre a Secretaria Municipal da Cultura da PMPA, a APTC, o Santander Cultural e a empresa produtora responsável, tendo como objeto o projeto de longa-metragem a ser desenvolvido, nos termos estabelecidos no Anexo I deste Edital.

10.2 Cada um dos projetos selecionados e contratados receberá prêmio outorgado pelo Santander Cultural, através da APTC, no valor de R$ 50.000,00 (cinqüenta mil reais).

0.3 O prêmio será pago em 03 (três) parcelas: a primeira, correspondente a R$ 20.000,00 (vinte mil reais), será paga na assinatura do contrato; a segunda, correspondente a R$ 20.000,00 (vinte mil reais), será paga com apresentação de materiais, aprovação de relatório e prestação de contas da primeira etapa; a terceira, correspondente aos R$ 10.000,00 (dez mil reais) restantes, será paga após a apresentação e aprovação do projeto e da prestação de contas finais, bem como comprovante da aprovação do registro para captação nas leis de incentivo

.10.4 Os valores correspondentes à referida premiação correrão por conta de recursos provenientes da parceria com o Santander Cultural, repassados à APTC / ABD-RS.


11. DO ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO

11.1 A Comissão de Acompanhamento de Concurso (CAC) será formada por um representante indicado pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Prefeitura, um representante indicado pelo Santander Cultural e por um representante indicado pela APTC/ABD-RS.

11.2 A CAC será responsável por acompanhar todos os projetos contemplados desde a contratação até a efetiva entrega dos projetos desenvolvidos, examinando e aprovando ou reprovando qualquer alteração durante a execução.

11.3 A CAC deverá ainda emitir parecer final quanto ao cumprimento das exigências do edital pelo projeto desenvolvido, podendo solicitar ao proponente complementação de documentos ou quaisquer outras informações necessárias para o atendimento completo das demandas do edital.


12. DO PROJETO DESENVOLVIDO

12.1 O projeto deverá ser desenvolvido no prazo de 270 (duzentos e setenta) dias, contados a partir do recebimento da primeira parcela.

12.2 O projeto desenvolvido conterá os seguintes elementos, que deverão ser entregues na Coordenação de Cinema, Video e Fotografia da Secretaria Municipal da Cultura, em envelope lacrado dirigido à CAC no prazo definido no item anterior:

a) Roteiro completo, não decupado, com divisão de cenas e com todos os diálogos e/ou textos de narração;

b) Certificado de registro do roteiro na Biblioteca Nacional;

c) Documento comprobatório da aquisição ou da opção para aquisição de direitos para adaptação da obra pretendida, se for o caso;

d) Análise técnica detalhada para filmes de ficção;

e) Trecho de storyboard e estudos de cenários e personagens para filmes em animação;

f) Pesquisa bibliográfica e de campo que orientarão a realização da obra final, para filmes de documentário;

g) Plano de produção;

h) Plano de filmagem;

i) Orçamento analítico detalhado, expresso em reais, e incluindo obrigatoriamente os custos do desenvolvimento do projeto (no modelo da IN 22 da Ancine);

j) Comprovante de inscrição do projeto em alguma das leis federais de incentivo à cultura;

k) Planejamento estratégico detalhado de viabilização da produção e de marketing e comercialização (incluindo lançamento e distribuição) do filme final.

12.3 A análise da prestação de contas será realizada pela CAC e pela Administração de Fundos da Coordenação Financeira e de Planejamento da Secretaria Municipal da Cultura.

12.4 Cada Empresa Produtora premiada deverá realizar uma oficina popular de roteiro ou de produção cinematográfica, com duração mínima de 12 horas-aula, ministrada pelo roteirista e/ou pelo produtor do projeto aprovado, sem cachê. Qualquer outra proposta de tema para oficina deve ser encaminhada para análise e aprovação da CAC.

12.5 O proponente contemplado deverá apresentar plano para execução da oficina referida no item anterior juntamente com o projeto desenvolvido, com execução prevista dentro de até 90 (noventa) dias após a entrega do projeto desenvolvido, responsabilizando-se pela organização e pela infra-estrutura necessária à realização da mesma.

12.6 Uma cópia encadernada do roteiro, já devidamente registrado na Biblioteca Nacional, será doada à Cinemateca Capitólio.

12.7 O filme, uma vez concluído, deverá ter, em seus letreiros, não necessariamente os de apresentação, um cartão exclusivo com os dizeres: "ESTE FILME RECEBEU O PRÊMIO PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETO DE LONGAMETRAGEM - SANTANDER CULTURAL/PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE/APTC-RS - 2009”, com uma duração mínima de 6 (seis) segundos, acompanhado da logotipia do Prêmio.

12.8 O material de comercialização do projeto desenvolvido deverá conter a logotipia do Prêmio Santander Cultural/Prefeitura de Porto Alegre/APTC-RS, conforme padrão visual a ser fornecido pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da SMC.


13. DOS LABORATÓRIOS DE ROTEIRO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PROJETOS

13.1 Serão realizados simultaneamente dois laboratórios de projetos com todos os contemplados até o momento no CDPLM, a fim de potencializar a chegada desses filmes ao mercado.

13.2 Os projetos contemplados na VI edição do Concurso estarão automaticamente inscritos nos laboratórios, desde que os mesmos tenham sido entregues e aprovados pela Comissão de Acompanhamento do Concurso, dentro do prazo disposto neste edital.

13.3 Os produtores, diretores e roteiristas envolvidos nos projetos selecionados nessa edição ficam desde já comprometidos em participar de todas as atividades definidas nos laboratórios.

13.4. A CAC fica responsável pela devida organização e comunicação antecipada das atividades dos laboratórios.


14. CLÁUSULA PENAL

14.1. Em caso de não cumprimento do disposto no Item 12, a Empresa Produtora perderá o direito de participação nos Laboratórios de Roteiro e Comercialização e deverá ressarcir à APTC/ABD-RS o valor recebido a título de prêmio, descrito no Item Décimo, num prazo máximo de 60 (sessenta) dias após a data estabelecida no Contrato para a entrega do Projeto Desenvolvido.


15. DISPOSIÇÕES GERAIS

15.1. A mesma fase de um projeto contemplado por este Concurso não poderá receber financiamento do FUMPROARTE.

15.2. Se um projeto, mesmo já aprovado, alterar a sua Equipe Básica sem se adequar a este regulamento e sem submeter essa alteração à apreciação da CAC, perderá automaticamente o direito ao Prêmio previsto neste Concurso.

15.3. Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar o presente Edital por irregularidade, devendo protocolar o pedido até 05 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura dos envelopes de habilitação, devendo a Administração julgar e responder à impugnação em até 03 (três) dias úteis após a data do protocolo do pedido de impugnação.

15.4. Os casos omissos a este regulamento serão resolvidos pela Secretaria Municipal da Cultura em conjunto com a CAC, observada a legislação pertinente.

15.5. Os participantes do Concurso autorizam, desde já, o uso de sua imagem e informações relativas ao projeto, para quaisquer fins relativos a este, sem a incidência de qualquer tipo de ônus, ficando o mesmo comprometido a comunicar às Partes qualquer alteração destas informações.

15.6. Informações requisitadas pelos concorrentes deverão ser encaminhadas à Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia / Secretaria Municipal da Cultura, por escrito, sito no 3° Andar do Espaço Cultural Usina do Gasômetro, sito na Av. João Goulart, n° 551, f. 3289-81-32.

15.7. Os Recursos Administrativos previstos nos subitens 8.2. serão processados nos termos do art. 109, da Lei 8666/93.

15.8. As despesas decorrentes da participação do Município neste Concurso correrão pela dotação orçamentária nº 1003 2572 339036 ou 1003.2493. 339036.

15.9. A participação neste Concurso implica a aceitação e cumprimento total das condições e normas descritas neste Regulamento, estando os participantes cientes de que o direito a concorrer e ser premiado somente se efetuará quando todas as condições do presente forem cumpridas.

Porto Alegre 13 de agosto de 2009.

Sergius Gonzaga
Secretário Municipal da Cultura

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Sala P. F. Gastal recoloca em cartaz novo filme de Tom Tykwer


A Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) recoloca em cartaz a partir de terça-feira, 25 de agosto, o filme Trama Internacional (The International), de Tom Tykwer, um dos bons títulos lançados nos cinemas brasileiros nesta temporada. Filme que abriu o Festival de Berlim este ano, Trama Internacional retoma a tradição dos grandes dramas de espionagem dirigidos por Alfred Hitchcock nos anos 50, como O Homem que Sabia Demais e Intriga Internacional.

O diretor alemão Tom Tykwer ficou conhecido em 1998 com o sucesso de Corra Lola Corra, que lhe abriu as portas do mercado internacional. Com locações em diversas cidades, como Nova Iorque, Berlim, Milão e Istambul, seu novo filme tem pelo menos uma seqüência antológica, o tiroteio dentro do Museu Guggenheim, em Nova Iorque. Para viabilizá-la, a produção construiu uma réplica do museu.

Sinopse

Em Luxemburgo para uma investigação sobre um grande banco, o agente da Interpol Louis Salinger (Clive Owen) vê seu parceiro morrer do coração no meio da rua logo após o encontro com um informante. Apesar dos legistas darem certeza de ser uma morte natural, o agente e a promotora americana Eleanor Whitman (Naomi Watts) tem motivos para crer que se trata de um assassinato, e que estão envolvidos em uma poderosa trama internacional principalmente ao perceber que o informante também morreu em um acidente poucas horas depois.

Eleanor e Salinger passam a investigar com mais cuidado o banco, que apesar de ser respeitado em todo o planeta, parece ser um grande financiador da guerra no terceiro mundo. Quanto mais a dupla se envolve no caso, mais percebe que a instituição financeira tem um lado obscuro, e Salinger também passa a ser alvo de tentativas de assassinato. A principal preocupação é que o banco está prestes a fechar um acordo com uma grande indústria de armas e eles parecem estar dispostos a fazer de tudo para que esta negociação seja bem sucedida.


Trama Internacional poderá ser visto nos horários das 15h, 17h15 e 19h30. Ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00 (estudantes e sêniors).


Trama Internacional (The International). EUA/Alemanha/Inglaterra, 2009. Direção de Tom Tykwer. Com Clive Owen, Naomi Watts e Armin Mueller-Stahl. Colorido. Duração: 118 minutos.


Grade de Horários

Semana de 25 a 30 de agosto de 2009

Terça-feira (25 de agosto)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Quarta-feira (26 de agosto)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Quinta-feira (27 de agosto)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Sexta-feira (28 de agosto)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Lançamento do documentário Arquivos da Cidade, de
Felipe Diniz e Luciana Knjinik

Sábado (29 de agosto)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

Domingo (30 de agosto)

15:00 – Trama Internacional
17:15 – Trama Internacional
19:30 – Trama Internacional

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Grade da Sala até 23 de agosto

A Sala P. F. Gastal segue exibindo a mostra Novos Clássicos Paulistas, reunindo os filmes: Bang Bang, de Andrea Tonacci, A Marvada Carne, de André Klotzel, Cidade Oculta, de Chico Botelho, e Brasa Adormecida, de Djalma Limongi Batista.

Apoio: Programadora Brasil, projeto de difusão do cinema brasileiro mantido pelo Ministério da Cultura.

Além dos Clássicos Paulistas, teremos a exibiçã do filme Adagio Sostenuto, de Pompeu Aguiar, nas sessões das 17h.

Detalhes dos filmes nas postagens anteriores.




SALA P. F. GASTAL

Grade de Horários

Semana de 18 a 23 de agosto de 2009


Terça-feira (18 de agosto)

15h – Brasa Adormecida

17h – Adagio Sostenuto

19h – Cidade Oculta


Quarta-feira (19 de agosto)

15h – A Marvada Carne

17h – Adagio Sostenuto
19h – Bang Bang


Quinta-feira (20 de agosto)

15h – Cidade Oculta

17h – Adagio Sostenuto
19h – Brasa Adormecida


Sexta-feira (21 de agosto)

15h – Bang Bang

17h – Adagio Sostenuto
19h – A Marvada Carne


Sábado (22 de agosto)

15h – Brasa Adormecida

17h – Adagio Sostenuto
19h – Cidade Oculta


Domingo (23 de agosto)

15h – A Marvada Carne

17h – Adagio Sostenuto

19h – Bang Bang