sexta-feira, 27 de setembro de 2013

CONSULTORIA E OFICINA DE ROTEIRO COM O CUBANO SENEL PAZ, AUTOR DO CLÁSSICO MORANGO E CHOCOLATE, EM PORTO ALEGRE

O Ministério das Relações Exteriores – Itamaraty está trazendo a Porto Alegre em novembro o roteirista e escritor cubano Senel Paz. A vinda de Paz à capital gaúcha tem o apoio da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre, da APTC-RS e do SIAV RS – Sindicato da Indústria Audiovisual. Professor da renomada Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de los Baños, em Cuba, Paz é autor do conto que deu origem ao filme Morango e Chocolate (1993), de Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabio, do qual também assinou o roteiro. Recentemente o cubano respondeu pela consultoria de roteiro do filme colombiano Cazando Luciérnagas, que ganhou vários prêmios no último Festival de Gramado (incluindo melhor roteiro e melhor atriz).

Em sua estada na capital gaúcha, Senel Paz irá ministrar uma oficina de roteiro de longa-metragem com 12 horas de duração, além de dar consultoria a dois projetos de longa-metragem. A oficina, que é gratuita, tem vagas para 10 roteiristas com experiência em roteiros de ficção e que tenham um projeto de longa-metragem ainda não filmado. A oficina será ministrada a partir da discussão dos argumentos apresentados na inscrição. Já os dois projetos selecionados para consultoria individual serão escolhidos entre as propostas apresentadas pelos 10 alunos da oficina.
As inscrições para a oficina de Senel Paz estão abertas entre os dias 7 e 11 de outubro, junto à Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da SMC (Usina do Gasômetro – 3º andar). Os candidatos devem apresentar no momento da inscrição:
1) ficha de inscrição preenchida e assinada pelo proponente
2) argumento (de duas a cinco páginas) em português e espanhol
3) sinopse (máximo uma página) em português e espanhol
4) currículo (o proponente deve ter experiência em roteiros de ficção de filmes já produzidos)
5) material adicional e opcional: última versão do roteiro em espanhol. Este material deve ser anexado apenas se o proponente tiver interesse em receber consultoria individual

CRONOGRAMA

Inscrições: de 7 a 11 de outubro
Divulgação dos selecionados: 1º de novembro
Data da Oficina: de 11 a 14 de novembro (19h30 às 22h30)

INSCRIÇÃO

Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre (Usina do Gasômetro – 3º andar)

SELEÇÃO OFICINA :

1) Um comissão de três pessoas (representantes da APTC, SIAV e CCVF) selecionarão 10 roteiristas a partir do potencial do argumento e currículo do roteirista.

2) Dos projetos com mais de um roteirista, os proponentes deverão indicar quem fará a oficina.
SELEÇÃO CONSULTORIA:
1) os argumentos, sinopses e roteiros traduzidos serão enviados a Senel Paz. Com este material na mão, ele escolherá dois projetos para dar consultoria. i
2) para receber consultoria o projeto tem que estar, pelo menos, com a primeira versão de roteiro já escrita. Se estiver só no argumento, o proponente poderá participar da oficina, mas não poderá se candidatar à consultoria.
Durante a semana que passará em Porto Alegre, Senel Paz também participa de atividades abertas ao público em geral. No dia 15 de novembro faz palestra na Feira do Livro e depois autografa seu livro Morango e Chocolate, coletânea de contos recentemente lançada no Brasil pela Geração Editorial. E no dia 16 fará uma sessão comentada de Morango e Chocolate na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro, justamente no ano em que o filme comemora seu 20º aniversário de lançamento.

Senel Paz nasceu em Cuba, em 1950. Cresceu no campo, numa família de agricultores semianalfabetos, mas pôde educar-se graças à revolução. Foi o primeiro membro da família que conseguiu terminar o ensino fundamental. Escritor e roteirista de cinema, é autor de contos, romances e peças teatrais traduzidos para 11 idiomas e publicados em 20 países. É também professor de dramaturgia e roteiro cinematográfico, dentro e fora de Cuba. Morango e Chocolate, além de filmado, teve 19 versões teatrais.

* Informações adicionais pelo telefone 3289-8137

JUVENTUDE EM FÚRIA INVADE A SALA P. F. GASTAL

Warriors- Os Selvagens da Noite (1979)
De 1º a 9 de outubro a Sala P.F. Gastal da Usina do Gasômetro reúne na mostra Juventude em Fúria filmes que exploram diversas facetas da rebeldia e da inquietação juvenil. Platão dizia que “de todos os animais selvagens, o homem jovem é o mais difícil de domar”, e o cinema foi pródigo em retratar este período da vida marcado pelo inconformismo, pela experimentação, e por arroubos de paixão e violência, onde imperam a transgressão e o desafio as autoridades.

A mostra faz um breve panorama cinematográfico do furor juvenil reunindo obras de diversas épocas, como Juventude Transviada (1955), de Nicholas Ray e Sementes da Violência (1955), de Richard Brooks, retratos seminais sobre a delinquência e a rebeldia dos jovens nos anos 1950, e obras de culto, como os violentos Laranja Mecânica (1971), de Stanley Kubrick, Warriors - Os Selvagens da Noite (1979), de Walter Hill, e Quadrophenia (1979), de Franc Roddam, baseado no álbum homônimo da banda de rock inglesa The Who. A irreverência, tendo o rock como força motriz, está presente nos escrachados Cry-Baby (1990), de John Waters, Rock’n’Roll High School (1979), de Allan Arkush e Joe Dante, e na insana comédia apocalíptica Gas! (1970), de Roger Corman. A crueldade e a inocência se chocam em obras como O Senhor das Moscas (1990), de Harry Hook, Terra de Ninguém (1973), de Terrence Malick e na bizarra visão da juventude americana vista em Gummo - Vida Sem Destino (1997), de Harmony Korine. Já o diretor Nagisa Oshima, falecido no início deste ano, apresenta um feroz retrato da juventude japonesa pós-guerra em O Túmulo do Sol (1960), um dos primeiros filmes de sua carreira.

A mostra Juventude em Fúria tem o apoio da distribuidora MPLC e da locadora E o Vídeo Levou.

PROGRAMAÇÃO


Juventude Transviada 
(Rebel Without a Cause / 1955 / 111 minutos), de Nicholas Ray.
Recém chegado em uma nova cidade, Jim Stark (James Dean), rapaz rebelde com um passado conturbado, enfrenta problemas de adaptação e entra em conflito com as autoridades e com outros jovens da comunidade. Emblemático filme sobre rebeldia juvenil que influenciou toda uma geração.



Sementes da Violência
(Blackboard Jungle / 1955 / 101 minutos), de Richard Brooks.
Richard Dadier (Glenn Ford), um veterano de guerra, inicia a sua carreira como professor em um bairro pobre de Nova York. No entanto, ele logo descobre que a escola é dominada por delinqüentes que oprimem com violência os professores. Porém Dadier está determinado a trazer a ordem de volta para sua sala de aula. Clássico sobre delinqüência juvenil, e um dos primeiros filmes a incluir o rock’n’roll em sua trilha sonora com "Rock Around the Clock", de Bill Haley & His Comets.


Laranja Mecânica 
(A Clockwork Orange / 1971 / 136 minutos), de Stanley Kubrick.
Num futuro indeterminado o delinquente Alex (Malcolm McDowell) é preso após cometer uma série de crimes, e para amenizar sua pena torna-se voluntário em uma terapia experimental de aversão a violência, desenvolvida pelo governo numa tentativa de extirpar a criminalidade da sociedade. Um dos mais controversos e cultuados filmes dos anos 1970, baseado em um romance de Anthony Burgess. (exibição em blu ray)


Terra de Ninguém 
(Badlands / 1973 / 94 minutos), de Terrence Malick
Nos anos 1950, o solitário e rebelde Kit (Martin Sheen) conhece a sonhadora Holly (Sissy Spacek). A ingênua paixão juvenil toma rumos trágicos quando, para consumar seu amor, Kit decide assassinar o pai de Holly e empreender com ela uma alucinada fuga. Perseguidos pela lei, o casal deixa pelo caminho uma trilha de corpos. Inspirado em um fato real “Terra de Ninguém” é o filme de estreia do aclamado diretor Terrence Malick.


Warriors - Os Selvagens da Noite 
 (The Warriors / 1979 / 92 minutos), de Walter Hill.
Acusados injustamente de assassinar o líder de uma gangue, os Warriors precisam atravessar uma Nova Iorque distópica e violenta para chegar até o seu território enquanto são caçados por todas as gangues da cidade. Obra prima do diretor Walter Hill, se transformou num filme de culto durante os anos 1980. (Sessão comentada com os críticos de cinema Cristian Verardi e César Almeida).



Sessão Maldita Matinê - Os Donos do Amanhã (Class of 1984 / 1982 / 98 minutos), de Mark L. Lester
Professor recém chegado em uma escola dominada por gangues é envolto numa rede de brutalidade e selvageria juvenil. Violenta releitura oitentista de “Sementes da Violência” (1955).





Gummo - Vida Sem Destino
(Gummo / 1997 / 89 minutos), de Harmony Korine Numa cidade do interior de Ohio, adolescentes passam o dia usando drogas, vagando sem rumo e cometendo atos de crueldade. Retrato caótico e cruel de um grupo de jovens entregues ao abandono e a alienação.






O Senhor das Moscas (Lord of The Flies / 1990 / 90 minutos), de Harry Hook
Isolados em uma ilha após um acidente aéreo, uma turma de crianças funda uma sociedade livre dos adultos, após alguns conflitos o grupo se divide revelando aos poucos o que de pior pode reservar a natureza humana. Baseado no romance do escritor inglês William Golding.



 Cry-Baby 
(1990 / 85 minutos), de John Waters
Wade Walker (Johnny Depp), mais conhecido como Cry-Baby, é o rebelde líder de uma gangue na Baltimore dos anos 1950. Ele se apaixona por Allison, uma jovem da alta sociedade. O romance acaba desencadeando uma guerra entre o seu grupo de delinqüentes e uma turma de playboys caretas. Comédia musical dirigida pelo anárquico John Waters em uma homenagem escrachada aos anos 1950.


Quadrophenia (1979 / 117 minutos), de Franc Roddam
Londres, 1964. Assim como muitos adolescentes, Jimmy Cooper odeia a vida medíocre, especialmente no que se refere aos seus pais e seu emprego. Apenas quando ele está com seus amigos, Dave, Chalky e Spider, membros da gangue "Mod" - atravessando Londres em sua moto scooter e ouvindo "The Who" e "The High Numbers", ele se sente livre e aceito. Os "Mods" estão sempre brigando com os "Rockers" para defender seus estilos de vida e identidades. Baseado no álbum homônimo lançado pelo The Who em 1973.


Vidas Sem Rumo (The Outsiders / 1983 / 91 minutos), de Francis Ford Coppola
Em um subúrbio da pequena cidade de Tulsa, Ponyboy Curtis (C. Thomas Howell) é o caçula de uma turma, formada ainda por Darrel Curtis (Patrick Swayze) e Sodapop Curtis (Rob Lowe). Os três órfãos tentam sobreviver onde tudo se restringe a "mexicanos pobres" e "ricaços". A trinca descende de mexicanos, amarga empregos em postos de gasolina e sofre com a perseguição da polícia. Também fazem parte da gangue Dallas Winston (Matt Dillon) e Johnny Cade (Ralph Macchio), ainda um projeto de marginal. Eles tentam vencer e amadurecer enfrentando os ricos, mas nem tudo acontece como eles planejam.



Rock’n’ Roll High School (1979 / 93 minutos), de Allan Arkush e Joe Dante
Para combater a opressora direção de uma escola, um grupo de alunos rebeldes pede a inusitada ajuda da banda de punk rock Ramones. Insana e irreverente comédia musical produzida por Roger Corman.








O Túmulo do Sol (Taiyô no hakaba 1960 / 87 minutos), de Nagisa Ôshima Num bairro pobre de Tóquio, entre os destroços de uma sociedade, um grupo de jovens delinqüentes precisam lidar com um cotidiano de miséria, marginalidade e desesperança.





Projeto Raros - Gás! 
(Gas! -Or- It Became Necessary to Destroy the World in Order to Save It/ 1970 / 79 minutos), de Roger Corman
Uma arma química criada por militares acidentalmente mata todos os adultos, deixando o planeta sob o domínio dos jovens. Humor, psicodelia, irreverência e rock’n’roll, neste delírio fílmico dirigido pelo Rei dos Filmes B Roger Corman. (Sessão comentada com os críticos de cinema Cristian Verardi e César Almeida).



GRADE DE HORÁRIOS
Semana de 1° a 9 de outubro


1° de outubro (terça-feira)
15:00 – Juventude Transviada (111 minutos)
17:00 – Vidas Sem Rumo (91 minutos)
19:00 – Sementes da Violência (101 minutos)

02 de outubro (quarta-feira)
15:00 – O Senhor das Moscas (90 minutos)
17:00 – Gummo- Vida Sem Destino (89 minutos)
19:00 – Laranja Mecânica (136 minutos)

03 de outubro (quinta-feira)
15:00 – Cry-Baby (85 minutos)
17:00 – Quadrophenia (117 minutos)
19:00 – O Túmulo do Sol (87 minutos)

04 de outubro (sexta-feira)
15:00 – Sementes da Violência (101 minutos)
17:00 – Terra de Ninguém (94 minutos)
20:00 – Projeto Raros- Gas! (79 minutos) - Sessão comentada.

05 de outubro (sábado)
15:00 – Rock’n’ Roll High School (93 minutos)
17:00 – Maldita Matinê - Os Donos do Amanhã (98 minutos)
19:00 – Warriors - Os Selvagens da Noite (92 minutos) – Sessão comentada.

06 de outubro (domingo)
15:00 – Vidas Sem Rumo (91 minutos)
17:00 – Gummo - Vida Sem Destino (89 minutos)
19:00 – Quadrophenia (117 minutos)

08 de outubro (terça-feira)
15:00 – Warriors - Os Selvagens da Noite (92 minutos)
17:00 – O Senhor das Moscas (90 minutos)
19:00 – Terra de Ninguém (94 minutos)

09 de outubro (quarta-feira)
15:00 – sessão fechada
17:00 – Juventude Transviada (111 minutos)
19:00 – Laranja Mecânica (136 minutos)

Apoio

terça-feira, 24 de setembro de 2013

SESSÃO PLATAFORMA #02, QUE OCORRE HOJE NA P. F. GASTAL FOI UM DOS DESTAQUES DE ZERO HORA

Reproduzimos,  abaixo, matéria da Zero Hora de hoje, falando sobre o segundo filme da Sessão Plataforma, que será exibido a partir das 20h na Sala P. F. Gastal.

Tá olhando o quê?23/09/2013 | 16h00

Sessão Plataforma chega à segunda edição com filme canadense "Bestiaire"

Documentário dirigido por Denis Côté será exibido nesta terça-feira na Sala P.F. Gastal da Usina do Gasômetro. Confira os longas das edições seguintes

Sessão Plataforma chega à segunda edição com filme canadense "Bestiaire" Sessão Plataforma/Divulgação
Foto: Sessão Plataforma / Divulgação
Depois de estrear com um longa sobre a obsessão cinéfila (Room 239), a Sessão Plataforma propõe uma reflexão sobre o lugar e o papel do espectador. Com Bestiaire (de Denis Côté, Canadá/França, 2012), os curadores Davi Pretto, Giovani Borba e Paola Wink esperam instigar a reflexão sobre esta "outra ponta" do processo de fazer filmes.
Bestiaire terá sessão às 20h desta terça-feira (com ingresso a R$ 3), na Sala P.F. Gastal, e, como ocorreu no mês passado, reprise às 17h do sábado seguinte – o que veio a calhar devido à superlotação do cinema da Usina do Gasômetro na exibição de Room 239(sobre o clássico do terror O Iluminado, de Kubrick).
Trata-se do sexto longa de Côté, que tem 40 anos e um currículo com diversos prêmios no Festival de Locarno, obtidos com os filmes Les États Nordiques (2005), Nos Vies Privées (2007), Elle Veut le Chaos (2008) e Curling (2010). Bestiaire foi exibido em Sundance e em Berlim, de onde seu sétimo longa, VIC + Flo Saw a Bear (2013), saiu neste ano com o Troféu Alfred Bauer, que tem o peso de um Urso de Prata e é entregue a projetos que "apontam novas perspectivas para o cinema" (no ano passado, o premiado foi o português Tabu, de Miguel Gomes).
Novas perspectivas – faz sentido pensar Bestiaire a partir deste termo. São 72 minutos de imagens de animais, parte delas num zoológico, algumas intimidatórias à medida que põem público e "personagens" (girafas, búfalos, impalas) a trocar olhares, nem sempre através de grades. Seus enquadramentos rigorosos (há muitos planos longos e câmera estática) levam ao que Borba chama de "jogo de inversões entre observador e observado".
– Nossa proposta é oferecer uma sessão única, que ressalta o fato de que os filmes podem não ser um conjunto, mas algo específico, o que faz de cada edição uma experiência diferente, que aponta novos caminhos e olhares – diz.
A agenda da Sessão Plataforma, que desde agosto apresenta filmes badalados em festivais e que não devem ter distribuição em Porto Alegre, prevê sessões mensais, sempre na Sala P.F. Gastal da Usina do Gasômetro, em Porto Alegre. Veja, abaixo, as datas das próximas edições e os filmes já definidos pelo trio de curadores.
Datas da Sessão Plataforma em 2013:
> 15 de outubro
> 5 de novembro
> 3 de dezembro
Outros filmes já definidos na programação
(ainda sem a respectiva data de exibição):
The Invader, de Nicolas Provost (Drama, Bélgica, 95min, 2011). Apresentado nos festivais de Veneza, Roterdã e Toronto.
Leviathan, de Lucien Castaing-Taylor e Verena Paravel (Documentário, França/EUA/Grã-Bretanha, 87min, 2012). Festivais de Locarno, Chicago e Nova York. Filme independente do ano para a Associação de Críticos de Los Angeles.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

CINE ESQUEMA NOVO E 9ª BIENAL DO MERCOSUL APRESENTAM 5 PROGRAMAS NA SALA P. F. GASTAL

Viajo porque Preciso, Volto Porque Te Amo

Um dos mais belos filmes brasileiros contemporâneos encontra as imagens de uma fuga de Londres ao mar. Viajo porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Marcelo GomesKarim Aïnouz entra em diálogo com Continental Drift, de William Raban na próxima sessão CEN+BIENAL, domingo, 29 de setembro, às 19h, na Sala P. F. Gastal.


Continental Drift
_________________________________________


Desde domingo, dia 22 de setembro, e em diferentes finais de semana, a Sala P.F. Gastal recebe sessões únicas com obras de William Raban, pioneiro inglês do cinema expandido, em diálogo com trabalhos de artistas brasileiros.
Dando continuidade à colaboração estabelecida no último mês de junho, o Cine Esquema Novo e a Bienal do Mercosul voltam a realizar atividades curatoriais conjuntas entre os meses de setembro e novembro – desta vez, dentro do contexto da própria realização da 9a. Bienal do Mercosul | Porto Alegre.

Como parte de uma programação especial paralela, CEN e Bienal levarão cinco programas diferentes à Sala PF Gastal – mais uma vez, utilizando a obra do inglês William Raban, pioneiro do expanded cinema desde os anos 1970, como ponto de intersecção.

Em junho, durante o Cine Esquema Novo Expandido, o longa Thames Film foi exibido em um barco navegando pelo Guaíba, além de outros dois trabalhos de Raban (um deles, em première internacional) terem ocupado a Galeria Lunara e Galeria Iberê Camargo, ambas na Usina do Gasômetro.
Desta vez, as obras do inglês vão à “caixa preta” da sala de cinema para travar um diálogo com obras e artistas brasileiros que já passaram pelas oito edições realizadas pelo Cine Esquema Novo desde 2003.
Island Race_Raban

No primeiro programa, que aconteceu neste domingo a partir das 19h com entrada franca, o contestador Island Race (1996), de Raban, encontrou duas obras brasileiras inéditas: É Início da Primavera e Ainda Penso no Inverno, de Dellani Lima (MG, em première internacional) e Manifesto Makumbacyber, de Beto Brant (SP, realizado em parceria com o coletivo Fata Morgana e exibido pela primeira vez na última semana, em São Paulo).

Todas as sessões do evento tem uma única exibição.


diretores / curadores Cine Esquema Novo: Alisson Avila, Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Morgana Rissinger e Ramiro Azevedo 

MISTÉRIOS DE LISBOA SEGUE NA PROGRAMAÇÃO DA SALA P.F. GASTAL



Obra-prima de Raoul Ruiz, Mistérios de Lisboa ganha mais uma semana na Sala P.F. Gastal e permanece em cartaz até dia 29 de setembro.


O filme mergulha o espectador num turbilhão incontrolável de aventuras e desventuras, coincidências e revelações, sentimentos e paixões violentas, vinganças, amores desgraçados e ilegítimos em uma atribulada viagem por Portugal, França, Itália e Brasil.
Numa Lisboa de intrigas e identidades ocultas, encontramos uma série de figuras que dominam o destino de Pedro da Silva, órfão de um colégio interno. Entre eles, está o Padre Dinis, que de aristocrata e libertino se converte em justiceiro; uma condessa roída pelo ciúme e sedenta de vingança; e um pirata sanguinário que se torna um próspero homem de negócios. Todos eles atravessam a história do século XIX e ajudam Pedro na busca por sua identidade.

Vencedor de Prêmio da Crítica da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e do prestigiado Prix Louis Delluc na França em 2010, Mistérios de Lisboa é um dos testamentos cinematográficos de Ruiz, morto em 2011. Pouco exibido no Brasil, o cineasta foi um dos principais nomes do Novo Cinema Chileno dos anos 1960, país do qual precisou fugir após o Golpe de Estado em 1973. Radicado na França, compôs uma filmografia ímpar com mais de 100 títulos, com destaque para A Hipótese do Quadro Roubado (1978), As Três Coroas do Marinheiro (1983), A Vila dos Piratas (1983), além de O Tempo Redescoberto (1998), abusada adaptação da obra de Marcel Proust. Considerado pelo crítico Inácio Araújo como “um herdeiro direto de Orson Welles e Jorge Luis Borges, na medida em que aceita o mundo como constituído por aparências, a partir das quais compõe seus labirintos”, Ruiz faz de seu cinema uma investigação constante sobre a natureza das imagens. Produzido para a televisão, para ser exibido em capítulos, Mistérios de Lisboa foi captado e finalizado em formato digital. Na Sala P. F. Gastal o filme será exibido na íntegra, em uma sessão com cerca quatro horas e meia. O elenco do filme conta com as estrelas francesas Léa Seydoux, Clotilde Hesme e com o ator português e galã global Ricardo Pereira. A exibição será em blu-ray, no projetor de alta definição do espaço, o que assegura a qualidade da projeção.

Mistérios de Lisboa
Dirigido por Raoul Ruiz.
Portugal, 2010, 266 minutos
Com Léa Seydoux, Melvil Poupaud, Clotilde Hesme, Ricardo Pereira, Maria João Bastos, Catarina Wallenstein, Filipe Vargas.
Exibição em blu-ray.

GRADE DE HORÁRIOS
24 a 29 de Setembro de 2013

24 de setembro (terça-feira)
15:00 – Mistérios de Lisboa
20:00 – Sessão Plataforma (Bestiário, de Denis Côté)

25 de setembro (quarta-feira)
14:30 – Mistérios de Lisboa
19:00 – Mistérios de Lisboa

26 de setembro (quinta-feira)
14:30 – Mistérios de Lisboa
19:00 – Mistérios de Lisboa

27 de setembro (sexta-feira)
14:30 – Mistérios de Lisboa
19:00 – Mistérios de Lisboa

28 de setembro (sábado)
17:00 – Sessão Plataforma (Bestiário, de Denis Côté)
19:00 – Mistérios de Lisboa

29 de setembro (domingo)
14h30 – Mistérios de Lisboa
19:00 – Sessão CEN + Bienal (Continental Drift + Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo)